Arte1 exibe 'O Último Tango em Paris', clássico de Bertolucci

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 27/11/2018 às 06:29:00

 

Infelizmente, a dica só vale para quem desembolsa os seus caraminguás com a TV a cabo. O canal Arte1 exibe nesta quarta-feira, dia 28 de novembro, à 0h, o clássico 'O Último Tango em Paris', em homenagem ao cineasta italiano Bernardo Bertolucci, que morreu na segunda-feira, aos 77 anos de idade.
Lançado em 1972, o filme é protagonizado por Maria Schneider e Marlon Brando. A produção conta a história do relacionamento entre a jovem parisiense Jeanne e do norte-americano de meia idade Paul. Ele se recupera da recente morte de sua mulher e Jeanne se prepara para casar com Tom, um diretor de cinema que está produzindo um documentário sobre ela.
A obra recebeu duas indicações ao Oscar (melhor ator e melhor diretor), e levou Bertolucci ao reconhecimento mundial. O filme foi censurado no Brasil pela ditadura. Em 2016, o filme voltou a ser alvo de uma polêmica pela confirmação de Bertolucci de que a filmagem da famosa cena de sexo que usou manteiga não foi consentida pela atriz Maria Schneider.
O cineasta - Nascido em Parma, em 1941, Bertolucci começou sua carreira nos anos 60. Foi considerado um dos grandes nomes do cinema italiano e fez parte da geração de renomados diretores conterrâneos como Michelangelo Antonioni, Frederico Fellini e Pier Paolo Pasolini.
Encorajado por Pasolini, estreou como diretor em 1962 com o filme "A Morte". Ele também dirigiu obras como 'Antes da Revolução' (1964), 'O Conformista' (1970) e 'Os Sonhadores' (2003).

Infelizmente, a dica só vale para quem desembolsa os seus caraminguás com a TV a cabo. O canal Arte1 exibe nesta quarta-feira, dia 28 de novembro, à 0h, o clássico 'O Último Tango em Paris', em homenagem ao cineasta italiano Bernardo Bertolucci, que morreu na segunda-feira, aos 77 anos de idade.
Lançado em 1972, o filme é protagonizado por Maria Schneider e Marlon Brando. A produção conta a história do relacionamento entre a jovem parisiense Jeanne e do norte-americano de meia idade Paul. Ele se recupera da recente morte de sua mulher e Jeanne se prepara para casar com Tom, um diretor de cinema que está produzindo um documentário sobre ela.
A obra recebeu duas indicações ao Oscar (melhor ator e melhor diretor), e levou Bertolucci ao reconhecimento mundial. O filme foi censurado no Brasil pela ditadura. Em 2016, o filme voltou a ser alvo de uma polêmica pela confirmação de Bertolucci de que a filmagem da famosa cena de sexo que usou manteiga não foi consentida pela atriz Maria Schneider.

O cineasta - Nascido em Parma, em 1941, Bertolucci começou sua carreira nos anos 60. Foi considerado um dos grandes nomes do cinema italiano e fez parte da geração de renomados diretores conterrâneos como Michelangelo Antonioni, Frederico Fellini e Pier Paolo Pasolini.
Encorajado por Pasolini, estreou como diretor em 1962 com o filme "A Morte". Ele também dirigiu obras como 'Antes da Revolução' (1964), 'O Conformista' (1970) e 'Os Sonhadores' (2003).