Governo espera receber logo novos integrantes do Mais Médicos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A saída dos médicos cubanos deixou 35 municípios sergipanos sem assistÊncia
A saída dos médicos cubanos deixou 35 municípios sergipanos sem assistÊncia

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 27/11/2018 às 06:57:00

 

Milton Alves Júnior
Servindo de alívio par-
cial para milhares de 
usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), bem como para os gestores imediatos da Secretaria de Estado da Saúde (SES), o Governo de Sergipe oficializou na manhã de ontem que os 35 municípios contemplados pelo Programa Mais Médicos estarão recebendo os novos profissionais da medicina nos próximos dias. Com base nas informações apresentadas pelo Ministério da Saúde, a partir do próximo dia 18 de dezembro será divulgado a lista contendo o nome dos profissionais que, inclusive, já estarão trabalhando. Ao todo serão 96 vagas preenchidas.
Enquanto o Governo Federal repassa a garantia de regularidade do sistema, inclusive destaca que 100% das vagas disponíveis para Sergipe já foram ocupadas, essa semana começou com 12 municípios sem médicos. Com a saída dos profissionais cubanos desde o início dos conflitos administrativos protagonizado entre o governo do país caribenho e o presidente eleito Jair Messias Bolsonaro, ao menos 600 mil sergipanos dependentes do sistema público de saúde serão atingidos diretamente pela falta de médicos nas unidades de atendimento à família até que o serviço assistencial seja realmente normalizado.
Através de comunicado oficial apresentado na manhã de ontem pela Secretaria de Saúde, a Referência Técnica do Mais Médicos no Estado, Elisa Leite, informou que enquanto o processo de encaminhamento dos novos médicos em cada região do Estado não ocorre na prática, a própria SES permanece acompanhando todo processo, focada em apoiar os municípios para minimizar os problemas enfrentadas pela população. Concluída a primeira fase de inscrição, a partir de agora os médicos que aderiam ao programa necessitam se apresentar nos municípios escolhidos com a documentação exigida pelo edital do Mais Médico.
Preenchimento nacional - O edital do Mais Médicos aberto para substituir os profissionais cubanos que desistiram do programa teve 97,2% das vagas preenchidas até as 12h desta segunda-feira (26), de acordo com o Ministério da Saúde. O último balanço realizado pelo MS, 8.278 profissionais haviam se cadastrado e estavam alocados para atuação imediata. Todos possuem até 14 de dezembro para se apresentar e entregar todos os documentos exigidos no edital. O salário é de R$ 11.800. Podem se candidatar às vagas os médicos brasileiros com CRM Brasil ou com diploma revalidado no país. Por ter apresentado instabilidade nos primeiros dias de abertura para cadastramento, as inscrições vão até o dia 7 de dezembro pelo site http://maismedicos.gov.br/.

Servindo de alívio par- cial para milhares de  usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), bem como para os gestores imediatos da Secretaria de Estado da Saúde (SES), o Governo de Sergipe oficializou na manhã de ontem que os 35 municípios contemplados pelo Programa Mais Médicos estarão recebendo os novos profissionais da medicina nos próximos dias. Com base nas informações apresentadas pelo Ministério da Saúde, a partir do próximo dia 18 de dezembro será divulgado a lista contendo o nome dos profissionais que, inclusive, já estarão trabalhando. Ao todo serão 96 vagas preenchidas.
Enquanto o Governo Federal repassa a garantia de regularidade do sistema, inclusive destaca que 100% das vagas disponíveis para Sergipe já foram ocupadas, essa semana começou com 12 municípios sem médicos. Com a saída dos profissionais cubanos desde o início dos conflitos administrativos protagonizado entre o governo do país caribenho e o presidente eleito Jair Messias Bolsonaro, ao menos 600 mil sergipanos dependentes do sistema público de saúde serão atingidos diretamente pela falta de médicos nas unidades de atendimento à família até que o serviço assistencial seja realmente normalizado.
Através de comunicado oficial apresentado na manhã de ontem pela Secretaria de Saúde, a Referência Técnica do Mais Médicos no Estado, Elisa Leite, informou que enquanto o processo de encaminhamento dos novos médicos em cada região do Estado não ocorre na prática, a própria SES permanece acompanhando todo processo, focada em apoiar os municípios para minimizar os problemas enfrentadas pela população. Concluída a primeira fase de inscrição, a partir de agora os médicos que aderiam ao programa necessitam se apresentar nos municípios escolhidos com a documentação exigida pelo edital do Mais Médico.

Preenchimento nacional - O edital do Mais Médicos aberto para substituir os profissionais cubanos que desistiram do programa teve 97,2% das vagas preenchidas até as 12h desta segunda-feira (26), de acordo com o Ministério da Saúde. O último balanço realizado pelo MS, 8.278 profissionais haviam se cadastrado e estavam alocados para atuação imediata. Todos possuem até 14 de dezembro para se apresentar e entregar todos os documentos exigidos no edital. O salário é de R$ 11.800. Podem se candidatar às vagas os médicos brasileiros com CRM Brasil ou com diploma revalidado no país. Por ter apresentado instabilidade nos primeiros dias de abertura para cadastramento, as inscrições vão até o dia 7 de dezembro pelo site http://maismedicos.gov.br/.