Inauguração no Huse gera processo para Almeida Lima

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 28/11/2018 às 06:53:00

 

A pedido do Ministério Público Estadual (MPE), ao Justiça decidiu acatar a Ação Civil Pública a qual indicia o ex-secretário de Estado da Saúde Almeida Lima por improbidade administrativa movida no caso da inauguração do Centro de Nefrologia de Sergipe, anexo ao Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), mesmo sem o centro estar concluído. Na mesma ACP o órgão estadual de fiscalização solicitava a inclusão do ex-governador Jackson Barreto, mas o colegiado da Corte Judiciária rejeitou. O processo que tramita na 6ª vara cível do município de Aracaju.
Ainda sobre a decisão de manter somente Almeida Lima como réu do processo, o juiz Francisco Alves Júnior, oficializou que apenas o ex-secretário deve figurar como réu na ação. O magistrado compreendeu que durante as análises dos autos não conseguiu identificar indícios suficientes para o convencimento da autoria também do ex-governador. A decisão se tornou pública no início da manhã de ontem, mas Almeida disse que não iria comentar.

A pedido do Ministério Público Estadual (MPE), ao Justiça decidiu acatar a Ação Civil Pública a qual indicia o ex-secretário de Estado da Saúde Almeida Lima por improbidade administrativa movida no caso da inauguração do Centro de Nefrologia de Sergipe, anexo ao Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), mesmo sem o centro estar concluído. Na mesma ACP o órgão estadual de fiscalização solicitava a inclusão do ex-governador Jackson Barreto, mas o colegiado da Corte Judiciária rejeitou. O processo que tramita na 6ª vara cível do município de Aracaju.
Ainda sobre a decisão de manter somente Almeida Lima como réu do processo, o juiz Francisco Alves Júnior, oficializou que apenas o ex-secretário deve figurar como réu na ação. O magistrado compreendeu que durante as análises dos autos não conseguiu identificar indícios suficientes para o convencimento da autoria também do ex-governador. A decisão se tornou pública no início da manhã de ontem, mas Almeida disse que não iria comentar.