O quintal da Bahia

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A banda Chiclete com Banana é a principal atração do Réveillon 2018.
A banda Chiclete com Banana é a principal atração do Réveillon 2018.

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 29/11/2018 às 06:43:00

 

Rian Santos
riansantos@jornaldodiase.com.br
Nada mais sergipano do que celebrar o ano novo ao som da banda Chiclete com Banana. Para todos os efeitos, o pedaço de chão Serigy é mesmo o quintal da Bahia.
Os intelectuais do lugar se esforçam para insuflar uma tal sergipanidade - muito barulho por nada. Os investimentos realizados pelo poder público, ao contrário, confirmam a impressão mais evidente no meio do populacho e entregam o ouro nativo para qualquer um em cima de um trio elétrico, de mãos beijadas.
Fabiano Oliveira, O Rei da Festa, na definição de uma coluna social, formou várias gerações de aculturados. Um negócio da China. Nos dias tristes de carnaval antecipado, uma festa privada, o Governo de Sergipe entrava com a infraestrutura, um custo milionário, enquanto o empresário empregava o próprio Know How. Não fosse o zelo do Ministério Público, advogado de melhor emprego para os R$ 4 milhões devolvidos aos cofres do Ministério do Turismo, o prefeito Edvaldo Nogueira ainda hoje teria passe livre nos camarotes do finado Pré Caju - uma distinção reservada a gente de muito dinheiro, a nata do estado.
De todo modo, não vai faltar tambor e foguetório no dia 30 de dezembro. O prefeito de Aracaju, mancomunado com as empresas que fazem o transporte coletivo de passageiros, garante. Línguas venenosas certamente estranharão a generosidade do Setransp, justamente em momento financeiro tão difícil, de perdas acumuladas, capazes de ameaçar a prestação do serviço, conforme foi alardeado aos quatro ventos. Mas uma mão lava a outra. Não demora, Edvaldo Nogueira autoriza o reajuste da passagem de ônibus praticada na cidade.
A essa altura do campeonato, já não convém lembrar o calote imposto aos artistas sergipanos contratados pelo Forró Caju. A Prefeitura deve e não nega. Paga quando puder. Certo é que os músicos da banda Chiclete com Banana só subirão no palco do Réveillon 2018 com o combinado no bolso. E que as sereias da Atalaia já viram espetáculo mais bonito. 

Nada mais sergipano do que celebrar o ano novo ao som da banda Chiclete com Banana. Para todos os efeitos, o pedaço de chão Serigy é mesmo o quintal da Bahia.
Os intelectuais do lugar se esforçam para insuflar uma tal sergipanidade - muito barulho por nada. Os investimentos realizados pelo poder público, ao contrário, confirmam a impressão mais evidente no meio do populacho e entregam o ouro nativo para qualquer um em cima de um trio elétrico, de mãos beijadas.
Fabiano Oliveira, O Rei da Festa, na definição de uma coluna social, formou várias gerações de aculturados. Um negócio da China. Nos dias tristes de carnaval antecipado, uma festa privada, o Governo de Sergipe entrava com a infraestrutura, um custo milionário, enquanto o empresário empregava o próprio Know How. Não fosse o zelo do Ministério Público, advogado de melhor emprego para os R$ 4 milhões devolvidos aos cofres do Ministério do Turismo, o prefeito Edvaldo Nogueira ainda hoje teria passe livre nos camarotes do finado Pré Caju - uma distinção reservada a gente de muito dinheiro, a nata do estado.
De todo modo, não vai faltar tambor e foguetório no dia 30 de dezembro. O prefeito de Aracaju, mancomunado com as empresas que fazem o transporte coletivo de passageiros, garante. Línguas venenosas certamente estranharão a generosidade do Setransp, justamente em momento financeiro tão difícil, de perdas acumuladas, capazes de ameaçar a prestação do serviço, conforme foi alardeado aos quatro ventos. Mas uma mão lava a outra. Não demora, Edvaldo Nogueira autoriza o reajuste da passagem de ônibus praticada na cidade.
A essa altura do campeonato, já não convém lembrar o calote imposto aos artistas sergipanos contratados pelo Forró Caju. A Prefeitura deve e não nega. Paga quando puder. Certo é que os músicos da banda Chiclete com Banana só subirão no palco do Réveillon 2018 com o combinado no bolso. E que as sereias da Atalaia já viram espetáculo mais bonito.