Governo pretende ampliar Mão Amiga para pequenos produtores de leite

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O governador Belivaldo Chagas cumprimenta beneficiados do Mão Amiga em Estância
O governador Belivaldo Chagas cumprimenta beneficiados do Mão Amiga em Estância

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 29/11/2018 às 07:12:00

 

O governador Belivaldo Chagas foi até o município de Estância, nesta quarta-feira (28), para entrega de cartões e novas senhas do Programa Mão Amiga Laranja a trabalhadores rurais. Desde a última segunda-feira (26), o governo do Estado iniciou o ciclo de entregas de cartões e novas senhas aos beneficiários do Mão Amiga em 14 municípios da cultura de citros. No total, serão contemplados 4.380 citricultores (3.678 antigos e 702 novos) de Pedrinhas, Riachão do Dantas, Lagarto, Salgado, Itaporanga D'Ajuda, Indiabora, Santa Luzia do Itanhy, Estância, Boquim, Arauá, Itabaianinha, Tomar do Geru, Cristinápolis e Umbaúba.
Na ocasião, o gestor aproveitou para reforçar o seu compromisso com o Programa que há quase dez anos atua no período das entressafras da laranja e da cana-de-açúcar e anunciar que a intenção é ampliá-lo para beneficiar também os pequenos produtores de leite do Sertão sergipano. 
 "Quero dizer da minha alegria e satisfação ao participar de eventos como este. Este programa foi criado em 2009, o governador era Marcelo Déda e eu, seu vice-governador. A vida segue e de repente me tornei de novo vice-governador do Estado. Desta vez, ao lado de Jackson Barreto. Durante todo esse período de programa, sempre que possível, participei do Mão Amiga. Esse programa existe para ajudar, no período da entressafra, os trabalhadores da laranja, na região da laranja, e da cana, na região da mesma, e é nosso interesse ampliar o Mão Amiga para área do leite, para que a gente possa atender ao pequeno criador, principalmente os que fizeram do Sertão uma bacia leiteira e estão sofrendo na época da seca", disse o governador.
O chefe do Executivo estadual afirmou, ainda, que a ideia é também aumentar o valor das parcelas e o número de beneficiados.  A partir do próximo ano, quero aumentar o valor dessa parcela, já que está assim há um tempo, e ampliar o número de beneficiários.  Quero que a gente continue com esse programa, se Deus nos permitir, pois esse valor pode parecer pouco para quem não precisa, mas para quem tem pouco, é muito. Esse programa é para ser respeitado, ser continuado até quando houver um trabalhador e trabalhadora que precise do auxílio do governo na época da entressafra. Vamos trabalhar para fortalecer esse programa", garantiu Belivaldo.
Criado em 2009, por meio da Lei 6.697/2009, pelo governo de Sergipe, através da Secretaria de Estado da Inclusão Social (Seidh), o Mão Amiga proporciona renda extra aos trabalhadores rurais durante a entressafra.  A ação se desenvolve em parceria com a Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), Sindicato dos Trabalhadores Rurais e secretarias municipais de Assistência Social.
O Programa Mão Amiga Laranja contempla as famílias inscritas no Cadastro Único do governo federal para benefícios em programas sociais. À altura do pagamento do 3º benefício, o Programa prevê a participação de beneficiários em um seminário de capacitação. No evento, os agricultores recebem orientações sobre o Mão Amiga, informações sobre outros benefícios públicos e sobre o desenvolvimento do cultivo da laranja. A presença do trabalhador é fundamental, pois sua participação é pré-requisito para a manutenção do benefício no programa. O beneficiário que não puder comparecer ao evento deve enviar um membro da família munido de documentos que comprovem o vínculo parental.
Estância - São 166 beneficiados no município do Sul sergipano, desses, 66 novos catadores que aderiram agora ao programa. De 2009 a 2018, foram investidos R$ 2.695.910,00 em Estância, incluindo já a primeira parcela de 2018, no valor de R$ 31.540,00.
Nesta edição, os trabalhadores beneficiados são dos povoados Riachão do Teté, Colônia Rio Fundo III, Colônia São José, Assentamento Caio Prado, Colônia Vertente, Mato Grosso. Como a senhora Regina dos Santos, que tira da citricultura o seu sustento e dos seus dois filhos.
A estimativa de investimento para a edição 2018/2019 é de R$ 3.328.800,00 do governo de Sergipe através da Seidh, por meio do Fundo Estadual de Combate à Pobreza. O benefício corresponde ao valor de R$ 760, pagos em quatro parcelas de R$ 190 durante os meses da entressafra dos cultivos da laranja.
Na cultura da Laranja, desde quando iniciou o programa em 2009 até agora, já foram investidos R$ 30.721.760,00 (incluindo a primeira parcela que será paga em 2018). A entressafra abrange novembro, dezembro, janeiro e fevereiro, período que compromete os trabalhos dos catadores e a colheita fica suspensa.

O governador Belivaldo Chagas foi até o município de Estância, nesta quarta-feira (28), para entrega de cartões e novas senhas do Programa Mão Amiga Laranja a trabalhadores rurais. Desde a última segunda-feira (26), o governo do Estado iniciou o ciclo de entregas de cartões e novas senhas aos beneficiários do Mão Amiga em 14 municípios da cultura de citros. No total, serão contemplados 4.380 citricultores (3.678 antigos e 702 novos) de Pedrinhas, Riachão do Dantas, Lagarto, Salgado, Itaporanga D'Ajuda, Indiabora, Santa Luzia do Itanhy, Estância, Boquim, Arauá, Itabaianinha, Tomar do Geru, Cristinápolis e Umbaúba.
Na ocasião, o gestor aproveitou para reforçar o seu compromisso com o Programa que há quase dez anos atua no período das entressafras da laranja e da cana-de-açúcar e anunciar que a intenção é ampliá-lo para beneficiar também os pequenos produtores de leite do Sertão sergipano. 
 "Quero dizer da minha alegria e satisfação ao participar de eventos como este. Este programa foi criado em 2009, o governador era Marcelo Déda e eu, seu vice-governador. A vida segue e de repente me tornei de novo vice-governador do Estado. Desta vez, ao lado de Jackson Barreto. Durante todo esse período de programa, sempre que possível, participei do Mão Amiga. Esse programa existe para ajudar, no período da entressafra, os trabalhadores da laranja, na região da laranja, e da cana, na região da mesma, e é nosso interesse ampliar o Mão Amiga para área do leite, para que a gente possa atender ao pequeno criador, principalmente os que fizeram do Sertão uma bacia leiteira e estão sofrendo na época da seca", disse o governador.
O chefe do Executivo estadual afirmou, ainda, que a ideia é também aumentar o valor das parcelas e o número de beneficiados.  A partir do próximo ano, quero aumentar o valor dessa parcela, já que está assim há um tempo, e ampliar o número de beneficiários.  Quero que a gente continue com esse programa, se Deus nos permitir, pois esse valor pode parecer pouco para quem não precisa, mas para quem tem pouco, é muito. Esse programa é para ser respeitado, ser continuado até quando houver um trabalhador e trabalhadora que precise do auxílio do governo na época da entressafra. Vamos trabalhar para fortalecer esse programa", garantiu Belivaldo.
Criado em 2009, por meio da Lei 6.697/2009, pelo governo de Sergipe, através da Secretaria de Estado da Inclusão Social (Seidh), o Mão Amiga proporciona renda extra aos trabalhadores rurais durante a entressafra.  A ação se desenvolve em parceria com a Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), Sindicato dos Trabalhadores Rurais e secretarias municipais de Assistência Social.
O Programa Mão Amiga Laranja contempla as famílias inscritas no Cadastro Único do governo federal para benefícios em programas sociais. À altura do pagamento do 3º benefício, o Programa prevê a participação de beneficiários em um seminário de capacitação. No evento, os agricultores recebem orientações sobre o Mão Amiga, informações sobre outros benefícios públicos e sobre o desenvolvimento do cultivo da laranja. A presença do trabalhador é fundamental, pois sua participação é pré-requisito para a manutenção do benefício no programa. O beneficiário que não puder comparecer ao evento deve enviar um membro da família munido de documentos que comprovem o vínculo parental.

Estância - São 166 beneficiados no município do Sul sergipano, desses, 66 novos catadores que aderiram agora ao programa. De 2009 a 2018, foram investidos R$ 2.695.910,00 em Estância, incluindo já a primeira parcela de 2018, no valor de R$ 31.540,00.Nesta edição, os trabalhadores beneficiados são dos povoados Riachão do Teté, Colônia Rio Fundo III, Colônia São José, Assentamento Caio Prado, Colônia Vertente, Mato Grosso. Como a senhora Regina dos Santos, que tira da citricultura o seu sustento e dos seus dois filhos.
A estimativa de investimento para a edição 2018/2019 é de R$ 3.328.800,00 do governo de Sergipe através da Seidh, por meio do Fundo Estadual de Combate à Pobreza. O benefício corresponde ao valor de R$ 760, pagos em quatro parcelas de R$ 190 durante os meses da entressafra dos cultivos da laranja.
Na cultura da Laranja, desde quando iniciou o programa em 2009 até agora, já foram investidos R$ 30.721.760,00 (incluindo a primeira parcela que será paga em 2018). A entressafra abrange novembro, dezembro, janeiro e fevereiro, período que compromete os trabalhos dos catadores e a colheita fica suspensa.