Jovem de 19 anos é acusada de tramar morte do pai

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 30/11/2018 às 06:58:00

 

Gabriel Damásio
A polícia de Carmópo-
lis (Vale do Cotin-
guiba) prendeu ontem uma mulher acusada de tramar o assassinato do próprio pai. Isamara Vieira dos Santos, 19 anos, foi detida anteontem à tarde no povoado Pirunga, área rural do município, e confessou seu envolvimento na tentativa de homicídio contra Josiel dos Santos, 47 anos, que foi baleado em 29 de outubro deste ano, ao ser atacado dentro de casa, no Povoado Paudarco, em Capela (vizinha a Carmópolis). Ele foi ferido com tiros de espingarda e perdeu todos os movimentos do braço esquerdo, além de ter o pulmão perfurado, mas sobreviveu ao ataque. 
A investigação revelou que Isamara planejou e viabilizou o crime do então namorado, o ex-presidiário Pedro Feitosa, e com a ajuda da mãe dela, Jandira Vieira dos Santos. O delegado Wanderson Bastos, responsável pela elucidação do crime, fala como foram as investigações do caso. "Iniciamos as investigações e, após levantamentos de campo, trabalho de vigilância, depoimentos tomados da vítima e oitivas de outras testemunhas, nós conseguimos mapear o quadro geográfico do crime, chegando até os três responsáveis", relatou. Pedro, que já foi condenado por latrocínio, é considerado foragido e procurado pela polícia. 
A motivação do crime teria sido o ódio que a jovem tinha pelo pai, porque ele não aceitava o romance dos dois e por suspeitava que eles estavam envolvidos em tráfico de drogas. O delegado confirmou ainda que Jandira também tinha interesse na morte de Josiel. "Por parte da mãe, o desejo de se livrar dele, porque não queria mais conviver com ele e, por algum problema de ordem conjugal, quis ceifar a vida do marido. Já a filha disse claramente na confissão que ela queria matar o pai para ir morar na casa dele com o Pedro e ter uma vida normal. Um pouco do 'complexo de Absalão'", explicou Wanderson, referindo-se a um personagem da Bíblia que, segundo a história, era filho de Davi, o rei de Israel, e fez um levante para tentar tomar o trono do pai.  
No momento da confissão, Isamara confirmou a participação da mãe no crime, sendo que esta teria pago cerca de R$ 2 mil a Pedro Feitosa para a execução do marido, além de ter cedido a espingarda, arma usada no crime, que ela pegou escondido do tio da filha, e o dinheiro para comprar os insumos de recarga. Isamara ficou responsável por levar Pedro até o local da execução do pai. "A ordem que ela deu ao companheiro foi para atirar na cabeça do pai, mas ele erra o tiro e acerta o braço do pai", disse o delegado. Isamara foi presa e encaminhada à Delegacia de Carmópolis. Jandira, por sua vez, será indiciada pelos mesmos crimes imputados à filha.

A polícia de Carmópo- lis (Vale do Cotin- guiba) prendeu ontem uma mulher acusada de tramar o assassinato do próprio pai. Isamara Vieira dos Santos, 19 anos, foi detida anteontem à tarde no povoado Pirunga, área rural do município, e confessou seu envolvimento na tentativa de homicídio contra Josiel dos Santos, 47 anos, que foi baleado em 29 de outubro deste ano, ao ser atacado dentro de casa, no Povoado Paudarco, em Capela (vizinha a Carmópolis). Ele foi ferido com tiros de espingarda e perdeu todos os movimentos do braço esquerdo, além de ter o pulmão perfurado, mas sobreviveu ao ataque. 
A investigação revelou que Isamara planejou e viabilizou o crime do então namorado, o ex-presidiário Pedro Feitosa, e com a ajuda da mãe dela, Jandira Vieira dos Santos. O delegado Wanderson Bastos, responsável pela elucidação do crime, fala como foram as investigações do caso. "Iniciamos as investigações e, após levantamentos de campo, trabalho de vigilância, depoimentos tomados da vítima e oitivas de outras testemunhas, nós conseguimos mapear o quadro geográfico do crime, chegando até os três responsáveis", relatou. Pedro, que já foi condenado por latrocínio, é considerado foragido e procurado pela polícia. 
A motivação do crime teria sido o ódio que a jovem tinha pelo pai, porque ele não aceitava o romance dos dois e por suspeitava que eles estavam envolvidos em tráfico de drogas. O delegado confirmou ainda que Jandira também tinha interesse na morte de Josiel. "Por parte da mãe, o desejo de se livrar dele, porque não queria mais conviver com ele e, por algum problema de ordem conjugal, quis ceifar a vida do marido. Já a filha disse claramente na confissão que ela queria matar o pai para ir morar na casa dele com o Pedro e ter uma vida normal. Um pouco do 'complexo de Absalão'", explicou Wanderson, referindo-se a um personagem da Bíblia que, segundo a história, era filho de Davi, o rei de Israel, e fez um levante para tentar tomar o trono do pai.  
No momento da confissão, Isamara confirmou a participação da mãe no crime, sendo que esta teria pago cerca de R$ 2 mil a Pedro Feitosa para a execução do marido, além de ter cedido a espingarda, arma usada no crime, que ela pegou escondido do tio da filha, e o dinheiro para comprar os insumos de recarga. Isamara ficou responsável por levar Pedro até o local da execução do pai. "A ordem que ela deu ao companheiro foi para atirar na cabeça do pai, mas ele erra o tiro e acerta o braço do pai", disse o delegado. Isamara foi presa e encaminhada à Delegacia de Carmópolis. Jandira, por sua vez, será indiciada pelos mesmos crimes imputados à filha.