Falta de vagas em creches será discutida pela Defensoria Pública

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 30/11/2018 às 07:00:00

 

A busca por uma vaga nas poucas creches da Capital tem sido uma via-crúcis para mães e pais que não têm com quem deixar seus filhos. E para reduzir essa problemática, a Defensoria Pública do Estado de Sergipe, por meio do Núcleo da Criança e do Adolescente, iniciou uma série de audiências públicas nos bairros para ouvir as reivindicações e concretizar o direito à educação infantil.
O projeto "Creche: Um Direito a ser garantido" teve início no dia 19 de Outubro, na Escola Santa Rita de Cássia, no Bairro América, onde contou com a participação dos defensores públicos Karine Neri e Paulo Cirino, servidores da Defensoria Pública, dezenas de mães e pais, representantes da Secretaria Municipal de Educação, Conselheiros Tutelares do 2º Distrito, diretores de escolas e professores.
A próxima Audiência Pública acontece nesta sexta-feira, 30, às 16h, na Escola Municipal Papa João Paulo II, no Bairro Santa Maria. Os defensores públicos Fillype Rigaud e Daniel Faria estarão apurando deficiências com relação a creches no Bairro e adjacências.  
 "Temos muitas reclamações de pais e mães que alegam a falta de creches nos bairros, bem como a ausência de vagas nas que existem, e não conseguem trabalhar porque não tem com quem deixar os filhos. Além disso, a educação infantil é um direito que deve ser garantido e tem como finalidade o desenvolvimento integral da criança de até 5 (cinco) anos, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social. Por isso, iniciamos uma serie de audiências para ouvir as reivindicações e adotarmos as providências cabíveis", disse a defensora pública e diretora do Núcleo da Criança, Karine Neri.

A busca por uma vaga nas poucas creches da Capital tem sido uma via-crúcis para mães e pais que não têm com quem deixar seus filhos. E para reduzir essa problemática, a Defensoria Pública do Estado de Sergipe, por meio do Núcleo da Criança e do Adolescente, iniciou uma série de audiências públicas nos bairros para ouvir as reivindicações e concretizar o direito à educação infantil.
O projeto "Creche: Um Direito a ser garantido" teve início no dia 19 de Outubro, na Escola Santa Rita de Cássia, no Bairro América, onde contou com a participação dos defensores públicos Karine Neri e Paulo Cirino, servidores da Defensoria Pública, dezenas de mães e pais, representantes da Secretaria Municipal de Educação, Conselheiros Tutelares do 2º Distrito, diretores de escolas e professores.
A próxima Audiência Pública acontece nesta sexta-feira, 30, às 16h, na Escola Municipal Papa João Paulo II, no Bairro Santa Maria. Os defensores públicos Fillype Rigaud e Daniel Faria estarão apurando deficiências com relação a creches no Bairro e adjacências.  
 "Temos muitas reclamações de pais e mães que alegam a falta de creches nos bairros, bem como a ausência de vagas nas que existem, e não conseguem trabalhar porque não tem com quem deixar os filhos. Além disso, a educação infantil é um direito que deve ser garantido e tem como finalidade o desenvolvimento integral da criança de até 5 (cinco) anos, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social. Por isso, iniciamos uma serie de audiências para ouvir as reivindicações e adotarmos as providências cabíveis", disse a defensora pública e diretora do Núcleo da Criança, Karine Neri.