Usuários reclamam de reforma em posto de saúde

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
PACIENTES E MÉDICOS RECLAMAM DA REFORMA DE POSTO NO SÃO CONRADO
PACIENTES E MÉDICOS RECLAMAM DA REFORMA DE POSTO NO SÃO CONRADO

Apesar da reforma, o posto de saúde do São Conrado continua funcionando
Apesar da reforma, o posto de saúde do São Conrado continua funcionando

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 30/11/2018 às 07:05:00

 

Milton Alves Júnior
Usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) assistidos pela Unidade Básica de Saúde Hamilton Mourão, bairro São Conrado, em Aracaju, protestam contra os transtornos gerados pelo serviço de manutenção física e administrativa da unidade. De acordo com os pacientes, diante da representatividade do serviço, era necessário que a Prefeitura de Aracaju, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), realizasse a transferência dos serviços em caráter paliativo para a UBS mais próxima da região. Além do amplo fluxo de operários, o barulho atrelado à poeira gera desconforto a todos, inclusive aos funcionários.
Compartilhando com as lamentações populares, na manhã de ontem o Sindicato dos Médicos do Estado de Sergipe (Sindimed), reforçou às críticas junto à administração municipal e exigiu providências imediatas. A constatação dos problemas ocorreu na tarde da última quarta-feira, 28, quando representantes sindicais realizaram uma vistoria na unidade. Por meio de nota, o diretor do Sindimed, Argemiro Macedo, declarou que é difícil manter a rotina de trabalho e assistência com o mínimo de qualidade aos aracajuanos diante das atuais condições de trabalho. O sindicalista enalteceu que profissionais da saúde e contribuintes merecem respeito. 
 "Não existe condições de dividir o mesmo ambiente com alto nível de ruído, além da poeira excessiva e o vai e vem dos operários com materiais dentro da Unidade de Saúde. Consultar um paciente requer concentração e privacidade. É perceptível, podemos nitidamente observar que mais uma vez o poder público de Aracaju não está preocupado com os seus servidores e nem com a população. Essa reclamação não parte apenas do Sindimed, mas sim de todos os aracajuanos que se dirigem à unidade em busca de atendimento compatível aos tributos pagos, mas infelizmente se deparam com uma cena de destruição", declarou.
A direção do Sindicato dos Médicos solicita o apoio dos órgãos estatuais de fiscalização e defesa do cidadão contribuinte a fim de solucionar em caráter imediato os contratempos enfrentadas pela população. Em comunicado encaminhado ao Jornal do Dia a classe trabalhadora completa informando que essas atitudes ajudam a desmistificar "uma das bandeiras do prefeito Edvaldo Nogueira que disse que a saúde, foi uma das causas que o fez (se candidatar mais uma vez e) voltar à Prefeitura de Aracaju".
Contraponto - Sobre as críticas apresentadas a Secretaria Municipal de Saúde informou que: "antes dessa reforma começar, assim como aconteceu em todas as outras unidades, houve uma conversa entre a gestão, o Conselho Local de Saúde e com os servidores da UBS para chegar a um consenso sobre a melhor forma de dar andamento às obras. Após esse diálogo, a reforma foi iniciada por etapas, justamente para que a população não seja desassistida. As imagens cedidas pelo sindicato representam apenas primeiros setores que estão sendo reformados e não toda estrutura da UBS". Ainda em resposta a SMS completou dizendo: "a intervenção trará melhorias não apenas para os usuários, mas para todos os servidores que atuam na unidade, uma vez que depois de finalizada, todos farão uso de ambientes totalmente revitalizados".

Usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) assistidos pela Unidade Básica de Saúde Hamilton Mourão, bairro São Conrado, em Aracaju, protestam contra os transtornos gerados pelo serviço de manutenção física e administrativa da unidade. De acordo com os pacientes, diante da representatividade do serviço, era necessário que a Prefeitura de Aracaju, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), realizasse a transferência dos serviços em caráter paliativo para a UBS mais próxima da região. Além do amplo fluxo de operários, o barulho atrelado à poeira gera desconforto a todos, inclusive aos funcionários.
Compartilhando com as lamentações populares, na manhã de ontem o Sindicato dos Médicos do Estado de Sergipe (Sindimed), reforçou às críticas junto à administração municipal e exigiu providências imediatas. A constatação dos problemas ocorreu na tarde da última quarta-feira, 28, quando representantes sindicais realizaram uma vistoria na unidade. Por meio de nota, o diretor do Sindimed, Argemiro Macedo, declarou que é difícil manter a rotina de trabalho e assistência com o mínimo de qualidade aos aracajuanos diante das atuais condições de trabalho. O sindicalista enalteceu que profissionais da saúde e contribuintes merecem respeito. 
 "Não existe condições de dividir o mesmo ambiente com alto nível de ruído, além da poeira excessiva e o vai e vem dos operários com materiais dentro da Unidade de Saúde. Consultar um paciente requer concentração e privacidade. É perceptível, podemos nitidamente observar que mais uma vez o poder público de Aracaju não está preocupado com os seus servidores e nem com a população. Essa reclamação não parte apenas do Sindimed, mas sim de todos os aracajuanos que se dirigem à unidade em busca de atendimento compatível aos tributos pagos, mas infelizmente se deparam com uma cena de destruição", declarou.
A direção do Sindicato dos Médicos solicita o apoio dos órgãos estatuais de fiscalização e defesa do cidadão contribuinte a fim de solucionar em caráter imediato os contratempos enfrentadas pela população. Em comunicado encaminhado ao Jornal do Dia a classe trabalhadora completa informando que essas atitudes ajudam a desmistificar "uma das bandeiras do prefeito Edvaldo Nogueira que disse que a saúde, foi uma das causas que o fez (se candidatar mais uma vez e) voltar à Prefeitura de Aracaju".

Contraponto - Sobre as críticas apresentadas a Secretaria Municipal de Saúde informou que: "antes dessa reforma começar, assim como aconteceu em todas as outras unidades, houve uma conversa entre a gestão, o Conselho Local de Saúde e com os servidores da UBS para chegar a um consenso sobre a melhor forma de dar andamento às obras. Após esse diálogo, a reforma foi iniciada por etapas, justamente para que a população não seja desassistida. As imagens cedidas pelo sindicato representam apenas primeiros setores que estão sendo reformados e não toda estrutura da UBS". Ainda em resposta a SMS completou dizendo: "a intervenção trará melhorias não apenas para os usuários, mas para todos os servidores que atuam na unidade, uma vez que depois de finalizada, todos farão uso de ambientes totalmente revitalizados".