Pedreiro morre soterrado em Aracaju

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 01/12/2018 às 07:13:00

 

Milton Alves Júnior
Será sepultado na manhã de hoje o corpo do pedreiro Hamilton da Silva Santos, de 30 anos, que morreu nessa sexta-feira, vítima de soterramento. De acordo com populares, a vítima do acidente - conhecido por comandante Hamilton, realizava escavações no bairro Capucho, em Aracaju, em busca de arenoso quando o barranco em que estava desmoronou ao ponto de inibir qualquer possibilidade de escapatória. Essa versão foi confirmada pela equipe de resgate do Corpo de Bombeiros Militar (CBM). Na tentativa de reanimar o carroceiro, profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) também foram encaminhamos para o local indicado. O CBM declarou ainda que Hamilton foi encontrado soterrado a partir do tórax.
Abalada, Maria Vilma de Jesus Santos - esposa da vítima, informou que o marido havia adquirido recentemente uma carroça com o propósito de intensificar o trabalho, ampliar a renda da família e terminar de construir a casa onde residia com mais um enteado e um filho biológico. Além de um marido exemplar, Maria Vilma enalteceu o bom relacionamento do marido com os carroceiros do conjunto Jardim Universitário, no bairro Barreiro, no município de São Cristovão. "Sempre foi uma pessoa de respeito, alegre, trabalhador demais, bom pai e amigo de muitos. Preciso de forças de Deus para suportar essa perda e a batalha que está por vir agora sem ele ao meu lado", lamentou.
O registro de óbito foi prestado no mesmo local da tragédia. Uma equipe do Instituto Médico Legal (IML), foi encaminhado para o local a fim de recolher o corpo do pedreiro. O local exato do acidente fica próximo a uma estação da Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso), no bairro Capucho, já nas mediações do limite com o município de São Cristóvão. Sobre a ação de remover areia para comércio, apesar das suspeitas de irregularidade, a viúva informou que esse tipo de serviço ocorre há mais de dez anos e tem sido a principal fonte de renda de dezenas de famílias. A esperança de dias melhores o fez adquirir a carroça e indicar, também, no serviço de extração da areia.
"Se é irregular não sabemos. Estava trabalhando quando uns colegas dele (Hamilton) pediram para retomar para casa. Insisti em saber o que havia acontecido é um dos amigos decidiu me revelar que meu marido havia sofrido um acidente. Voltei correndo e recebi o comunicado. Ele morreu buscando melhorias para todos nós é isso me dói muito. Ele morreu jovem e deixa a mensagem de cautela para os colegas que seguem trabalhando nessa atividade", declarou.

Será sepultado na manhã de hoje o corpo do pedreiro Hamilton da Silva Santos, de 30 anos, que morreu nessa sexta-feira, vítima de soterramento. De acordo com populares, a vítima do acidente - conhecido por comandante Hamilton, realizava escavações no bairro Capucho, em Aracaju, em busca de arenoso quando o barranco em que estava desmoronou ao ponto de inibir qualquer possibilidade de escapatória. Essa versão foi confirmada pela equipe de resgate do Corpo de Bombeiros Militar (CBM). Na tentativa de reanimar o carroceiro, profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) também foram encaminhamos para o local indicado. O CBM declarou ainda que Hamilton foi encontrado soterrado a partir do tórax.
Abalada, Maria Vilma de Jesus Santos - esposa da vítima, informou que o marido havia adquirido recentemente uma carroça com o propósito de intensificar o trabalho, ampliar a renda da família e terminar de construir a casa onde residia com mais um enteado e um filho biológico. Além de um marido exemplar, Maria Vilma enalteceu o bom relacionamento do marido com os carroceiros do conjunto Jardim Universitário, no bairro Barreiro, no município de São Cristovão. "Sempre foi uma pessoa de respeito, alegre, trabalhador demais, bom pai e amigo de muitos. Preciso de forças de Deus para suportar essa perda e a batalha que está por vir agora sem ele ao meu lado", lamentou.
O registro de óbito foi prestado no mesmo local da tragédia. Uma equipe do Instituto Médico Legal (IML), foi encaminhado para o local a fim de recolher o corpo do pedreiro. O local exato do acidente fica próximo a uma estação da Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso), no bairro Capucho, já nas mediações do limite com o município de São Cristóvão. Sobre a ação de remover areia para comércio, apesar das suspeitas de irregularidade, a viúva informou que esse tipo de serviço ocorre há mais de dez anos e tem sido a principal fonte de renda de dezenas de famílias. A esperança de dias melhores o fez adquirir a carroça e indicar, também, no serviço de extração da areia.
"Se é irregular não sabemos. Estava trabalhando quando uns colegas dele (Hamilton) pediram para retomar para casa. Insisti em saber o que havia acontecido é um dos amigos decidiu me revelar que meu marido havia sofrido um acidente. Voltei correndo e recebi o comunicado. Ele morreu buscando melhorias para todos nós é isso me dói muito. Ele morreu jovem e deixa a mensagem de cautela para os colegas que seguem trabalhando nessa atividade", declarou.