Deputado quer prestação de contas de secretários e lamenta reajuste no TJ e MPE

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 01/12/2018 às 07:17:00

 

O deputado Georgeo 
Passos (REDE) voltou 
a solicitar a vinda dos secretários de Estado da Fazenda, Ademario Alves de Jesus, da Saúde, Valberto de Oliveira Lima e da Secretaria de Segurança Pública, João Eloy à Assembleia Legislativa. O parlamentar também destacou o reajuste para os membros do Tribunal de Justiça de Sergipe e do Ministério Público Estadual (MPE).
"Isso para que os secretários da Fazenda e da Saúde possam prestar contas das suas atividades. Também protocolamos e já foi lido na Mesa Diretora, dois requerimentos de convocação para esta Casa. Esperamos que sejam aprovados pelos colegas e que o secretário de Segurança Pública João Eloy, bem como o delegado de polícia Paulo Márcio possam vir à Comissão de Segurança Pública para a gente abordar a questão dos plantões da polícia civil, bem como das diárias", ressalta.
Segundo Georgeo Passos, o volume de recursos é muito alto, o que vem chamando a atenção. "Tendo em vista que várias pessoas não poderiam estar recebendo essas diárias, conforme o próprio parecer da Procuradoria Geral do Estado, bem como a questão do diretor do Departamento Administrativo e Financeiro da Secretaria de Segurança Pública, Jocélio Fróes, que vinha respondendo pelo DAF sem ser nomeado, onde havia sido nomeado um outro servidor público, algo grave que permaneceu por quase um ano. Nós precisamos desses esclarecimentos", lamenta.
Reajuste - O deputado destacou também o reajuste dos subsídios dos membros do Poder Judiciário e do Ministério Público, que será votado na Assembleia Legislativa.
"Quando foi aprovado o reajuste pelo Senado Federal para os ministros do STF, eu externei minha posição contrária. Isso tendo em vista a situação fiscal que o país se encontra, pois isso trará um efeito cascata para os demais estados da federação. Depois da publicação da lei sancionada pelo presidente Michel Temer, os membros do Tribunal de Justiça de Sergipe se reuniram e aprovaram esse projeto de lei para ser encaminhado a essa Casa, onde o subsídio mensal do desembargador passa a ser de 35 mil 462 reais e 22 centavos, valores brutos, mas que mesmo o Poder Judiciário e o Ministério Público, essa conta também vem para o Poder Executivo, na parte que atinge a Previdência do Estado de Sergipe, por causa da paridade", enfatiza.

O deputado Georgeo  Passos (REDE) voltou  a solicitar a vinda dos secretários de Estado da Fazenda, Ademario Alves de Jesus, da Saúde, Valberto de Oliveira Lima e da Secretaria de Segurança Pública, João Eloy à Assembleia Legislativa. O parlamentar também destacou o reajuste para os membros do Tribunal de Justiça de Sergipe e do Ministério Público Estadual (MPE).
"Isso para que os secretários da Fazenda e da Saúde possam prestar contas das suas atividades. Também protocolamos e já foi lido na Mesa Diretora, dois requerimentos de convocação para esta Casa. Esperamos que sejam aprovados pelos colegas e que o secretário de Segurança Pública João Eloy, bem como o delegado de polícia Paulo Márcio possam vir à Comissão de Segurança Pública para a gente abordar a questão dos plantões da polícia civil, bem como das diárias", ressalta.
Segundo Georgeo Passos, o volume de recursos é muito alto, o que vem chamando a atenção. "Tendo em vista que várias pessoas não poderiam estar recebendo essas diárias, conforme o próprio parecer da Procuradoria Geral do Estado, bem como a questão do diretor do Departamento Administrativo e Financeiro da Secretaria de Segurança Pública, Jocélio Fróes, que vinha respondendo pelo DAF sem ser nomeado, onde havia sido nomeado um outro servidor público, algo grave que permaneceu por quase um ano. Nós precisamos desses esclarecimentos", lamenta.

Reajuste - O deputado destacou também o reajuste dos subsídios dos membros do Poder Judiciário e do Ministério Público, que será votado na Assembleia Legislativa.
"Quando foi aprovado o reajuste pelo Senado Federal para os ministros do STF, eu externei minha posição contrária. Isso tendo em vista a situação fiscal que o país se encontra, pois isso trará um efeito cascata para os demais estados da federação. Depois da publicação da lei sancionada pelo presidente Michel Temer, os membros do Tribunal de Justiça de Sergipe se reuniram e aprovaram esse projeto de lei para ser encaminhado a essa Casa, onde o subsídio mensal do desembargador passa a ser de 35 mil 462 reais e 22 centavos, valores brutos, mas que mesmo o Poder Judiciário e o Ministério Público, essa conta também vem para o Poder Executivo, na parte que atinge a Previdência do Estado de Sergipe, por causa da paridade", enfatiza.