Moro reafirma "confiança pessoal" em Onyx

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, em Brasília
O futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, em Brasília

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 05/12/2018 às 06:55:00

 

Carolina Gonçalves 
Agência Brasil  
 
O futuro ministro da Justiça e Segurança, Sergio Moro, reafirmou ontem (4) sua confiança no ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni, confirmado para assumir a Casa Civil a partir de janeiro. "[Ele] tem minha confiança pessoal", disse Moro em entrevista coletiva.
A reação dele ocorre no momento em que o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), atendeu pedido feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR) e determinou a abertura de uma petição autônoma específica para analisar as acusações de caixa dois feitas por delatores da J&F ao futuro ministro da Casa Civil.
"Eu já me manifestei anteriormente. É uma questão de Onyx. O que vejo é um grande esforço [do ministro Onyx] para a aprovação das 10 medidas do Ministério Público, razão pela qual foi abandonado por grande parte de seus pares. Ele tem minha confiança pessoal."
Trabalho - Moro também falou sobre a estrutura que terá o ministério da Justiça, com a incorporação de áreas do Ministério do Trabalho, que será extinto no próximo governo. Ele admitiu que é possível que o setor de registro sindical, seja transferido para sua pasta. "Ainda ainda está sendo definido. Há intenção de transferir a parte do registro sindical, que é um setor que teve muita corrupção no passado."
Anteontem o ministro da transição anunciou a extinção da pasta, que terá partes incorporadas incorporadas aos ministérios da Economia, da Cidadania e da Justiça.

O futuro ministro da Justiça e Segurança, Sergio Moro, reafirmou ontem (4) sua confiança no ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni, confirmado para assumir a Casa Civil a partir de janeiro. "[Ele] tem minha confiança pessoal", disse Moro em entrevista coletiva.
A reação dele ocorre no momento em que o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), atendeu pedido feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR) e determinou a abertura de uma petição autônoma específica para analisar as acusações de caixa dois feitas por delatores da J&F ao futuro ministro da Casa Civil.
"Eu já me manifestei anteriormente. É uma questão de Onyx. O que vejo é um grande esforço [do ministro Onyx] para a aprovação das 10 medidas do Ministério Público, razão pela qual foi abandonado por grande parte de seus pares. Ele tem minha confiança pessoal."

Trabalho - Moro também falou sobre a estrutura que terá o ministério da Justiça, com a incorporação de áreas do Ministério do Trabalho, que será extinto no próximo governo. Ele admitiu que é possível que o setor de registro sindical, seja transferido para sua pasta. "Ainda ainda está sendo definido. Há intenção de transferir a parte do registro sindical, que é um setor que teve muita corrupção no passado."
Anteontem o ministro da transição anunciou a extinção da pasta, que terá partes incorporadas incorporadas aos ministérios da Economia, da Cidadania e da Justiça.