Alunos de escola agrícola constroem biodigestor para produção de biogás e fertilizante

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Projeto é conclusão do Curso Técnico em Agropecuária da Escola Família Agrícola de Ladeirinhas, em Japoatã
Projeto é conclusão do Curso Técnico em Agropecuária da Escola Família Agrícola de Ladeirinhas, em Japoatã

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 05/12/2018 às 07:06:00

 

Os alunos José Cleomadson da Silva e Henrique Silva Santos, da Escola Família Agrícola de Ladeirinhas, em Japoatã, concluíram a construção de um biodigestor, equipamento utilizado para o processamento de matéria orgânica, com a capacidade de produzir biogás e fertilizantes. O projeto foi desenvolvido com a orientação do professor Sérgio Cardoso Borges e fez parte da finalização do Curso Técnico em Agropecuária Integrado ao Ensino Médio em regime de internato. Os dois estudantes são bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica aos estudantes de Ensino Médio (Pibic Jr).
Para a construção do biodigestor, os alunos contaram com algumas parcerias, como a administração da escola, o pai de um dos estudantes, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o Movimento Pequeno Agricultor (MPA), Articulação Semiárido Brasileiro (ASA) e prefeituras de Japoatã e Japaratuba. Durante os últimos dois anos, os estudantes, orientador e entidades parceiras se mobilizaram entre reuniões, solicitação de peças, arrecadação de verbas e desenvolvimento do projeto. Já a construção do biodigestor durou cerca de duas semanas, sendo finalizada neste mês de dezembro.
O equipamento, que está instalado em um local a 12 metros da cozinha da escola, vai ajudar a reduzir os gastos da própria unidade de ensino. "O biodigestor vai servir para produzir gás para o fogão e biofertilizantes para adubar as plantas daqui da escola. Além disso, esse é um projeto de tecnologia social, pois com esses conhecimentos, poderão ter a oportunidade de gerar emprego e renda para eles mesmos", disse o professor e orientador Sérgio Borges.
O diretor da escola, Carlos Wagner dos Santos, falou sobre a importância do projeto. "Esperamos com isso obter uma economia considerável no consumo de gás e obter biofertilizante para utilizar na horta da escola. O mais importante na verdade é o conhecimento adquirido por esses alunos e demais colegas que deram apoio ao projeto, que denominamos na pedagogia da alternância de Projeto Profissional do Jovem", disse.

Os alunos José Cleomadson da Silva e Henrique Silva Santos, da Escola Família Agrícola de Ladeirinhas, em Japoatã, concluíram a construção de um biodigestor, equipamento utilizado para o processamento de matéria orgânica, com a capacidade de produzir biogás e fertilizantes. O projeto foi desenvolvido com a orientação do professor Sérgio Cardoso Borges e fez parte da finalização do Curso Técnico em Agropecuária Integrado ao Ensino Médio em regime de internato. Os dois estudantes são bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica aos estudantes de Ensino Médio (Pibic Jr).
Para a construção do biodigestor, os alunos contaram com algumas parcerias, como a administração da escola, o pai de um dos estudantes, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o Movimento Pequeno Agricultor (MPA), Articulação Semiárido Brasileiro (ASA) e prefeituras de Japoatã e Japaratuba. Durante os últimos dois anos, os estudantes, orientador e entidades parceiras se mobilizaram entre reuniões, solicitação de peças, arrecadação de verbas e desenvolvimento do projeto. Já a construção do biodigestor durou cerca de duas semanas, sendo finalizada neste mês de dezembro.
O equipamento, que está instalado em um local a 12 metros da cozinha da escola, vai ajudar a reduzir os gastos da própria unidade de ensino. "O biodigestor vai servir para produzir gás para o fogão e biofertilizantes para adubar as plantas daqui da escola. Além disso, esse é um projeto de tecnologia social, pois com esses conhecimentos, poderão ter a oportunidade de gerar emprego e renda para eles mesmos", disse o professor e orientador Sérgio Borges.
O diretor da escola, Carlos Wagner dos Santos, falou sobre a importância do projeto. "Esperamos com isso obter uma economia considerável no consumo de gás e obter biofertilizante para utilizar na horta da escola. O mais importante na verdade é o conhecimento adquirido por esses alunos e demais colegas que deram apoio ao projeto, que denominamos na pedagogia da alternância de Projeto Profissional do Jovem", disse.