Definição do secretariado

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A vereadora Kitty Lima (Rede) criticou ontem a ausência de políticas públicas por parte da Prefeitura de Aracaju à causa animal. Denunciou que procurada pelos próprio servidores da PMA, foi resgatar uma cadela debilitada na porta do Centro Administrativo
A vereadora Kitty Lima (Rede) criticou ontem a ausência de políticas públicas por parte da Prefeitura de Aracaju à causa animal. Denunciou que procurada pelos próprio servidores da PMA, foi resgatar uma cadela debilitada na porta do Centro Administrativo

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 06/12/2018 às 06:54:00

 

Após a finalização da primeira etapa 
da reforma administrativa, cujo pro
jeto de lei já se encontra na Assembleia Legislativa para análise e aprovação dos deputados estaduais, o governador Belivaldo Chagas (PSD) vai tratar da formação da sua nova equipe de governo para o comando das 14 secretarias que farão parte da estrutura administrativa, assim como da administração indireta.
Já estão confirmados pelo próprio governador os nomes de José Carlos Felizola para a super Secretaria Geral de Governo (SEGG); de João Eloy para a Secretaria de Segurança Pública (SSP); de Josué Modesto Subrinho para a Secretaria de Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc); e Sales Neto para a Comunicação Social (Secom).  Esses já respondem por essas pastas.
É tida como certa a permanência no governo, também, de Ademário Alves na Secretaria da Fazenda e de Rosman Pereira na nova Secretaria de Administração (SEAD), uma vez que a Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag) que o gestor responde, deixa de existir com a reforma administrativa. Isso porque o Planejamento irá para a Secretaria Geral de Governo e o Orçamento para a Secretaria da Fazenda.
A grande expectativa agora é com relação aos nomes para a Secretaria da Saúde ((SES); Secretaria da Transparência e Controle (SETC); Secretaria da Inclusão, Assistência Social e do Trabalho (Seit); Secretaria de Turismo (Setur); Secretaria da Justiça e de Defesa do Consumidor (Sejuc); Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (Sedetec); Secretaria da Agricultura, do Desenvolvimento Agrário e Pesca (Seagri); e Secretaria do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (Sedurbs).
O governador pode manter alguns dos atuais secretários nessas pastas, a exemplo de Cristiano Barreto, na Justiça, mas deve mudar a maioria. É praticamente favas contadas a saída de Valmor Barbosa da Secretaria de Infraestrutura, que a partir de janeiro de 2019 se transformará em Secretaria do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade, com a fusão da Secretaria de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh).
O PT, que tem hoje as Secretarias de Agricultura e Meio Ambiente, está querendo permanecer com a Agricultura e ficar com a nova Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade. Deseja também a Secretaria da Saúde e outros órgãos do segundo escalão, como o Ipesaúde.
Belivaldo só deve tratar dos nomes da equipe do seu novo governo a partir do próximo dia 13 de dezembro, quando deve ser votado na Assembleia Legislativa o projeto de reforma administrativa. E somente anunciar os nomes após sua diplomação como governador eleito, que ocorrerá no dia 17 deste mês junto com os demais eleitos. 
Agora é aguardar a definição dos nomes da equipe, que não deve ser fácil pela necessidade de indicação política e da redução de secretarias de 19 para 14...

Após a finalização da primeira etapa  da reforma administrativa, cujo pro jeto de lei já se encontra na Assembleia Legislativa para análise e aprovação dos deputados estaduais, o governador Belivaldo Chagas (PSD) vai tratar da formação da sua nova equipe de governo para o comando das 14 secretarias que farão parte da estrutura administrativa, assim como da administração indireta.
Já estão confirmados pelo próprio governador os nomes de José Carlos Felizola para a super Secretaria Geral de Governo (SEGG); de João Eloy para a Secretaria de Segurança Pública (SSP); de Josué Modesto Subrinho para a Secretaria de Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc); e Sales Neto para a Comunicação Social (Secom).  Esses já respondem por essas pastas.
É tida como certa a permanência no governo, também, de Ademário Alves na Secretaria da Fazenda e de Rosman Pereira na nova Secretaria de Administração (SEAD), uma vez que a Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag) que o gestor responde, deixa de existir com a reforma administrativa. Isso porque o Planejamento irá para a Secretaria Geral de Governo e o Orçamento para a Secretaria da Fazenda.
A grande expectativa agora é com relação aos nomes para a Secretaria da Saúde ((SES); Secretaria da Transparência e Controle (SETC); Secretaria da Inclusão, Assistência Social e do Trabalho (Seit); Secretaria de Turismo (Setur); Secretaria da Justiça e de Defesa do Consumidor (Sejuc); Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (Sedetec); Secretaria da Agricultura, do Desenvolvimento Agrário e Pesca (Seagri); e Secretaria do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (Sedurbs).
O governador pode manter alguns dos atuais secretários nessas pastas, a exemplo de Cristiano Barreto, na Justiça, mas deve mudar a maioria. É praticamente favas contadas a saída de Valmor Barbosa da Secretaria de Infraestrutura, que a partir de janeiro de 2019 se transformará em Secretaria do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade, com a fusão da Secretaria de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh).
O PT, que tem hoje as Secretarias de Agricultura e Meio Ambiente, está querendo permanecer com a Agricultura e ficar com a nova Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade. Deseja também a Secretaria da Saúde e outros órgãos do segundo escalão, como o Ipesaúde.
Belivaldo só deve tratar dos nomes da equipe do seu novo governo a partir do próximo dia 13 de dezembro, quando deve ser votado na Assembleia Legislativa o projeto de reforma administrativa. E somente anunciar os nomes após sua diplomação como governador eleito, que ocorrerá no dia 17 deste mês junto com os demais eleitos. 
Agora é aguardar a definição dos nomes da equipe, que não deve ser fácil pela necessidade de indicação política e da redução de secretarias de 19 para 14...

Pressão

A coluna tem informações que o presidente estadual do PT, senador eleito Rogério Carvalho, pressiona o governador Belivaldo Chagas (PSD) pelo comando de algumas secretarias por acreditar que o partido foi o grande responsável pela sua vitória nas eleições deste ano com os nomes dos petistas Eliane Aquino como sua vice e Fernando Haddad como presidenciável. O detalhe é que o "Galeguinho" já disse que o seu pescoço é grosso...

Pano para as mangas 

Segundo uma fonte, aliados do governo que estão com Belivaldo desde o começo da sua campanha - quando tinha apenas 4% das intenções de voto - estão cientes do PT "está se achando o rei da cocada preta" e não aceitarão maiores privilégios ao Partido dos Trabalhadores. Entendem que a atuação do próprio candidato a governador e o apoio de todos os aliados foram os responsáveis pela sua reeleição.

Cota pessoal

Belivaldo Chagas também já declarou que não será indicação política os comandos das Secretarias de Saúde, Educação e Segurança Pública. Somada a essas secretarias já são seis secretários na sua cota pessoal: além dessas três pastas, as Secretarias Geral de Governo, Fazenda e Comunicação Social.

Proposta para os DAF´s

Na reformulação dos cargos comissionados do Estado o Poder Executivo propõe no projeto de reforma administrativa a criação de um CC específico para diretores de DAF 1, que são para os que trabalharem em secretarias com grandes orçamentos, e outro CC de DAF 2, para os que atuarem em órgãos com orçamento pequeno. É justo.

Na lista de extinção

Na reforma administrativa da administra indireta, que o governador Belivaldo Chagas deve tratar em março do próximo ano, já é certo que a Fundação Hospitalar entrará em processo de extinção em abril. E que podem ser extintas ainda a Funesa, o Parreiras Horta, a Emgetis e a Emsetur, se for mantida a Secretaria de Turismo.

Na seca

Na ida ontem a Assembleia Legislativa para avaliação do cumprimento das metas fiscais do segundo quadrimestre de 2018, o secretário de Estado da Fazenda, Ademário Alves, não deu boas notícias para os servidores públicos, principalmente os barnabés do Estado. Não assegurou uma proposta efetiva de reajuste linear para o funcionalismo público em 2019, que em sua grande maioria está há cinco anos sem qualquer reposição salarial. Disse que a previsão é de um déficit de R$ 400 milhões nas contas do governo no ano que vem.

Nova polêmica 1

Ontem, em entrevista ao programa Sergipe Destaque, da rádio Aparecida FM, o deputado federal Fábio Reis (MDB) defendeu a importância da realização da obra de ampliação do abastecimento de água em Lagarto, que também vai beneficiar outros municípios da região Centro-Sul. Disse que o projeto está suspenso desde que o prefeito afastado Valmir Monteiro (PSC) se recusou a assinar o contrato de renovação de prestação de serviços com a Deso.

Nova polêmica 2

Fábio aproveitou para se defender da acusação da Prefeitura de Lagarto e do deputado estadual Gustinho Ribeiro (SD) de levar pânico à população de Lagarto por falar na mídia sobre a importância da realização da obra e alertar para o risco de desabastecimento. "Infelizmente vivemos essa picuinha política, essa arrogância, prepotência e maldade que não levam nada a ninguém. Fazem essa maldade achando que estão fazendo comigo, mas é com o povo de Lagarto", lamentou o parlamentar, enfatizando que espera agora que a prefeita em exercício Hilda Ribeiro reúna sua equipe, a equipe da Deso e o governador Beliv aldo Chagas e juntos, tentem chegar a um entendimento para o início das obras.

Nova polêmica 3

O ex-governador Jackson Barreto (MDB), que também participou da entrevista, defendeu a importância da obra para o município de Lagarto e a participação do deputado Fábio Reis na conquista. "Não é todo dia que se consegue liberar R$ 84 milhões e demorar mais é sacrificar Lagarto", disse, ressaltando que se não fosse a participação de Fábio o dinheiro não estaria à disposição do estado.

Em Sergipe 1

O ministro Gilberto Occhi (Saúde) estará em Sergipe nessa sexta-feira, às 9h, para inauguração da nova sede do Núcleo Estadual do Ministério da Saúde no Estado. Vem a convite do líder do governo no Congresso, deputado federal André Moura (PSC).

Em Sergipe 2

No próximo dia 19 de dezembro André trará a Sergipe o ministro Alexandre Baldy (Cidades) para inauguração de obras no 17 de Março, em Aracaju. O parlamentar conseguiu liberar R$ 62 milhões para as obras de infraestrutura na capital.

Queixa

Mesmo o governo tendo reformado a sede do Pelotão da Caatinga, em Vaca Serrada, ele não está atuando no espaço como antes da reforma. A base principal está em Nossa Senhora da Glória, o que vem sendo questionado pelo povo do sertão que considera Vaca Serrada um local estratégico para atuação da polícia da caatinga no combate ao crime na região.

Veja essa ..

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, mandou a Polícia Federal prender o advogado Cristiano Caiado de Acioli, de 39 anos, após ouvir dele em um voo de São Paulo para Brasília que o Supremo é uma "vergonha". Antes de mandar prendê-lo, o ministro questionou se o advogado queria ser preso e ouviu dele que estava se utilizando da liberdade de expressão. Foi em vão, pois Lewandowski pediu aos comissários da aeronave que chamassem agentes da PF e já em Brasília o Cristiano foi conduzido à Superintendência Regional da PF para prestar depoimento, tendo sido liberado uma hora e meia depois.  É muito abuso de poder!

Curtas

Belivaldo Chagas vai hoje ao interior para inauguração de obras de infraestrutura. A primeira delas é a entrega da restauração da Rodovia SE-331, no trecho do entroncamento da SE-175 e a sede municipal de São Miguel do Aleixo. Orçada em R$ 1.956.218,00, a obra do trecho restaurado tem a extensão de 8,20 km.

Em seguida, já no município de Areia Branca, o governador fará a entrega da obra de pavimentação asfáltica concluída em 28 ruas da sede municipal. A obra se estende por 4,71 km e recebeu R$ 1.196.395,77 em investimentos. 

O Ministério Público entrou com mais um processo, o de nº 201764002142, contra o presidente da Câmara Municipal de Canindé do São Francisco, Zé Caloi. O acusa de improbidade administrativa no contrato para a confecção de uniformes que seriam usados por funcionários da casa legislativa.