Tênis de mesa conquista ouro para o Brasil

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 07/12/2018 às 04:44:00

 

O Brasil conquistou, no Peru, a primeira medalha de ouro nos Jogos Sul-Americanos Escolares Arequipa 2018. Wanessa Su Wu e Melissa Yuri Arakaki foram campeãs no tênis de mesa por equipe ao derrotarem as atletas donas da casa por 3 sets a 1. No masculino, Joon Shim e Luigi Yamane ficaram com a prata, após perderem para os donos da casa, também por 3 a 1. As equipes masculina e feminina voltam a competir nas categorias individuais.
O caminho percorrido pelo Brasil até a medalha de ouro demonstrou a qualidade dos atletas que disputam esse Sul-Americano. As finais por equipe funcionam assim: dois atletas de cada país jogam dois jogos individuais, seguido por um de dupla e, por fim, mais um individual. Quem marcar três vitórias, vence.
Para Márcio Aragão, técnico da equipe feminina de tênis de mesa, é uma honra participar de um Sul-Americano com um nível tão alto. "A equipe do Peru tem uma atleta de seleção, muito forte. Entramos com muita garra e nos envolvemos muito tecnicamente para essa vitória. Graças a Deus, nos sagramos campeões", disse.
Aragão comentou ainda a importância para os jovens participarem de competições como essa. "É um sonho que se torna realidade. Ser melhor do estado é muito bom, ser melhor do país é muito bom também, mas quando se ganha o Sul-Americano e prova que seu país é o melhor escolar da América do Sul, é uma conquista ímpar", comemorou.
"Já sabíamos que a final ia ser difícil, porque o Peru tem um jogador muito forte, o Carlos Fernandez, o Nano", explicou Jiro William Kumagai, técnico da equipe masculina de tênis de mesa nos Jogos Sul-Americanos. "Mesmo assim, fizemos um bom jogo. O momento crucial foi quando perdemos nas duplas. Foi nos detalhes", analisou.

O Brasil conquistou, no Peru, a primeira medalha de ouro nos Jogos Sul-Americanos Escolares Arequipa 2018. Wanessa Su Wu e Melissa Yuri Arakaki foram campeãs no tênis de mesa por equipe ao derrotarem as atletas donas da casa por 3 sets a 1. No masculino, Joon Shim e Luigi Yamane ficaram com a prata, após perderem para os donos da casa, também por 3 a 1. As equipes masculina e feminina voltam a competir nas categorias individuais.
O caminho percorrido pelo Brasil até a medalha de ouro demonstrou a qualidade dos atletas que disputam esse Sul-Americano. As finais por equipe funcionam assim: dois atletas de cada país jogam dois jogos individuais, seguido por um de dupla e, por fim, mais um individual. Quem marcar três vitórias, vence.
Para Márcio Aragão, técnico da equipe feminina de tênis de mesa, é uma honra participar de um Sul-Americano com um nível tão alto. "A equipe do Peru tem uma atleta de seleção, muito forte. Entramos com muita garra e nos envolvemos muito tecnicamente para essa vitória. Graças a Deus, nos sagramos campeões", disse.
Aragão comentou ainda a importância para os jovens participarem de competições como essa. "É um sonho que se torna realidade. Ser melhor do estado é muito bom, ser melhor do país é muito bom também, mas quando se ganha o Sul-Americano e prova que seu país é o melhor escolar da América do Sul, é uma conquista ímpar", comemorou.
"Já sabíamos que a final ia ser difícil, porque o Peru tem um jogador muito forte, o Carlos Fernandez, o Nano", explicou Jiro William Kumagai, técnico da equipe masculina de tênis de mesa nos Jogos Sul-Americanos. "Mesmo assim, fizemos um bom jogo. O momento crucial foi quando perdemos nas duplas. Foi nos detalhes", analisou.