Vereadores tentam derrubar reajuste na tarifa de ônibus

Política


  • Renato Telles entrega planilha que definiu aumento da tarifa de ônibus ao presidente da Câmara

 

Milton Alves Júnior
Atendendo a reivindi-
cações apresenta-
das por usuários do sistema de transporte coletivo em Aracaju e região metropolitana, os vereadores Emília Corrêa (Patriota) e Lucas Aribé (PSB), ingressaram com uma ação popular na Justiça contra o reajuste de 14,2% concedido na semana passada pela Prefeitura de Aracaju, através da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT). A aplicação inflacionária faz com que, hoje, a capital sergipana ocupe o topo do ranking entre as capitais do Nordeste no quesito valor da passagem. Desde as 0h do último domingo, 09, o valor do serviço saltou de R$ 3,50, para R$ 4. O aumento foi oficializado pelo prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) através do decreto municipal nº 5.824/2018.
Para Emília Correia, o chefe do poder executivo municipal foge do posicionamento utilizado durante período eleitoral de 2016 enquanto garantia que - se eleito fosse -, iria administrar a cidade de acordo com o interesse unilateral dos contribuintes da capital. Apesar da promessa passada, a vereadora enaltece que, sem promover um diálogo democrático com o próprio povo aracajuano, ou mesmo dialogar com os parlamentares da Câmara Municipal de Aracaju (CMA), optou por aplicar o reajuste. O depoimento de Emília é relativamente semelhante aos passageiros que na última sexta-feira, 07, disseram ao JORNAL DO DIA estranhar a falta de audiência pública.
"É direito próprio do cidadão participar da vida política do Estado fiscalizando a gestão e o Patrimônio Público, a fim de que esteja conforme com os Princípios da Moralidade e da Legalidade. Esse reajuste escorchante só afeta o lado mais fraco e a população não merece isso. É triste perceber que mais uma vez a população não foi convidada a debater o assunto e apresentar as suas reivindicações em busca da qualificação real do sistema", disse. Sem se pronunciar quanto às críticas dos vereadores e da população, o prefeito optou apenas por rejeitar o pedido de aumento para R$ 4,44 solicitado pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Município de Aracaju (Setransp). "Meu compromisso é com a sociedade, e não com os empresários do transporte coletivo", declarou Edvaldo.
Lucas Aribé também não poupou críticas ao líder do PCdoB, em Sergipe. Para o vereador, era imprescindível que a PMA encaminhasse antecipadamente a planilha de preços para apreciação dos vereadores eleitos pelos aracajuanos. Esse compartilhamento de dados serviria para que os parlamentares pudessem analisá-los e aprovar, ou não, conforme o parágrafo 1º do artigo 238 da Lei Orgânica Municipal. "Observem como o prefeito age. Aprovaram o reajuste, aplicaram ao povo e somente essa semana disponibilizaram para que os vereadores pudessem analisar. Esse aumento é uma falta de respeito com o povo que necessita do serviço. Não existe qualificação do serviço, mas aumento ocorre todos os anos sms que exista o mínimo de debate com o povo", avaliou.
SMTT - Na tarde de ontem o órgão municipal informou que: "para manter a transparência no processo de reajuste da tarifa do transporte público da capital, o superintendente interino municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), Renato Telles, entregou na manhã desta segunda-feira, 10, uma cópia da planilha de custos para cálculo da tarifa do sistema de transporte coletivo, apresentada pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Setransp), à Câmara Municipal de Aracaju (CMA). A cópia foi entregue em mãos ao presidente da Casa, Josenito Vitale (PSD). Além disso, foi entregue também uma cópia da planilha que consta a avaliação final feita pela SMTT, após uma minuciosa análise".

Atendendo a reivindi- cações apresenta- das por usuários do sistema de transporte coletivo em Aracaju e região metropolitana, os vereadores Emília Corrêa (Patriota) e Lucas Aribé (PSB), ingressaram com uma ação popular na Justiça contra o reajuste de 14,2% concedido na semana passada pela Prefeitura de Aracaju, através da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT). A aplicação inflacionária faz com que, hoje, a capital sergipana ocupe o topo do ranking entre as capitais do Nordeste no quesito valor da passagem. Desde as 0h do último domingo, 09, o valor do serviço saltou de R$ 3,50, para R$ 4. O aumento foi oficializado pelo prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) através do decreto municipal nº 5.824/2018.
Para Emília Correia, o chefe do poder executivo municipal foge do posicionamento utilizado durante período eleitoral de 2016 enquanto garantia que - se eleito fosse -, iria administrar a cidade de acordo com o interesse unilateral dos contribuintes da capital. Apesar da promessa passada, a vereadora enaltece que, sem promover um diálogo democrático com o próprio povo aracajuano, ou mesmo dialogar com os parlamentares da Câmara Municipal de Aracaju (CMA), optou por aplicar o reajuste. O depoimento de Emília é relativamente semelhante aos passageiros que na última sexta-feira, 07, disseram ao JORNAL DO DIA estranhar a falta de audiência pública.
"É direito próprio do cidadão participar da vida política do Estado fiscalizando a gestão e o Patrimônio Público, a fim de que esteja conforme com os Princípios da Moralidade e da Legalidade. Esse reajuste escorchante só afeta o lado mais fraco e a população não merece isso. É triste perceber que mais uma vez a população não foi convidada a debater o assunto e apresentar as suas reivindicações em busca da qualificação real do sistema", disse. Sem se pronunciar quanto às críticas dos vereadores e da população, o prefeito optou apenas por rejeitar o pedido de aumento para R$ 4,44 solicitado pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Município de Aracaju (Setransp). "Meu compromisso é com a sociedade, e não com os empresários do transporte coletivo", declarou Edvaldo.
Lucas Aribé também não poupou críticas ao líder do PCdoB, em Sergipe. Para o vereador, era imprescindível que a PMA encaminhasse antecipadamente a planilha de preços para apreciação dos vereadores eleitos pelos aracajuanos. Esse compartilhamento de dados serviria para que os parlamentares pudessem analisá-los e aprovar, ou não, conforme o parágrafo 1º do artigo 238 da Lei Orgânica Municipal. "Observem como o prefeito age. Aprovaram o reajuste, aplicaram ao povo e somente essa semana disponibilizaram para que os vereadores pudessem analisar. Esse aumento é uma falta de respeito com o povo que necessita do serviço. Não existe qualificação do serviço, mas aumento ocorre todos os anos sms que exista o mínimo de debate com o povo", avaliou.

SMTT - Na tarde de ontem o órgão municipal informou que: "para manter a transparência no processo de reajuste da tarifa do transporte público da capital, o superintendente interino municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), Renato Telles, entregou na manhã desta segunda-feira, 10, uma cópia da planilha de custos para cálculo da tarifa do sistema de transporte coletivo, apresentada pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Setransp), à Câmara Municipal de Aracaju (CMA). A cópia foi entregue em mãos ao presidente da Casa, Josenito Vitale (PSD). Além disso, foi entregue também uma cópia da planilha que consta a avaliação final feita pela SMTT, após uma minuciosa análise".


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS