Seminário no MP comemora o "Dia Internacional Contra a Corrupção"

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O seminário foi realizado na sede do Ministério Público
O seminário foi realizado na sede do Ministério Público

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 11/12/2018 às 07:16:00

 

A corrupção é um 
tema cada vez mais 
urgente por ser um dos principais males que assolam não apenas o Brasil, mas os quatro cantos do mundo. O Ministério Público de Sergipe, por intermédio da Escola Superior e do CAOp de Defesa do Patrimônio Público e da Ordem Tributária, aproveitou o dia em que se comemorou o "Dia Internacional Contra a Corrupção" e realizou, no Auditório Promotor de Justiça Valdir de Freitas Dantas, um Seminário que reuniu membros e servidores do MP e integrantes de órgãos de controle e fiscalização de Sergipe.
O Seminário comemorou o dia em que foi assinada a convenção da ONU contra a corrupção e foi ministrado pelo promotor de Justiça do Estado de São Paulo, doutor em Direito pela USP e presidente do Instituto "Não Aceito Corrupção", Roberto Livianu.
O procurador-geral de Justiça Eduardo Barreto d'Ávila Fontes saudou a todos na abertura do evento e explicou a importância da realização do seminário, na semana em que se comemora o Dia Nacional do Ministério Público. "O combate à corrupção é um dos principais focos da atuação ministerial. Mais do que os crimes de homicídio, a corrupção gera mortes, esvazia os cofres públicos e isso afeta à saúde, à educação, à segurança e tantos outros direitos fundamentais do ser humano, ou seja, inviabiliza as políticas públicas", comentou o PGJ.
O palestrante Roberto Livianu apresentou um extenso material sobre corrupção e políticas públicas de combate. Ele enfatizou a importância de eventos que discutam em abrangência a "doença" que precisa ser prevenida e combatida. "Já percebemos nas últimas eleições, o expressivo grau de renovação política. Figuras envolvidas em escândalos de corrupção foram barradas nas urnas. A sociedade está mais atenta ". O palestrante comentou, ainda, que o "foro privilegiado" é uma das grandes barreiras no combate efetivo à corrupção.
Roberto Livianu falou sobre o importante papel do Ministério Público nesse combate e disse que é primordial o trabalho em parceria com outros órgãos. "A sociedade precisa da sinergia das instituições que atuam no controle e fiscalização. A sensação de impunidade não pode existir, o emaranhado de irregularidades causa indignação e precisa ser combatido de forma eficiente", declarou.
Além dos citados, compuseram a mesa de honra no evento, o promotor de Justiça e diretor do CAOp de Defesa do Patrimônio Público e da Ordem tributária, Jarbas Adelino Santos Júnior; o diretor da ESMP em exercício, Sandro Luiz da Costa; Paulo Lima de Santana, procurador de Justiça; Thais Lemos, diretora do Deotap; Marília Menezes, presidente da associação dos procuradores do Município e Lara Schuster, delegada do Deotap.
Dia Internacional contra a Corrupção - A Convenção das Nações Unidas contra a Corrupção foi assinada por diversos países em 9 de dezembro de 2003, na cidade de Mérida, no México. A ideia central é fortalecer a cooperação internacional para ampliar a prevenção e o combate à corrupção no mundo todo. Em referência a essa data, o 9 de dezembro foi então instituído como Dia Internacional contra a Corrupção, resultado de proposta feita pela delegação brasileira na Convenção de Mérida. No Brasil, é a Controladoria-Geral da União (CGU) que acompanha a implementação da Convenção e de outros compromissos internacionais assumidos pelo País, que tenham como objeto a prevenção e o combate à corrupção.

A corrupção é um  tema cada vez mais  urgente por ser um dos principais males que assolam não apenas o Brasil, mas os quatro cantos do mundo. O Ministério Público de Sergipe, por intermédio da Escola Superior e do CAOp de Defesa do Patrimônio Público e da Ordem Tributária, aproveitou o dia em que se comemorou o "Dia Internacional Contra a Corrupção" e realizou, no Auditório Promotor de Justiça Valdir de Freitas Dantas, um Seminário que reuniu membros e servidores do MP e integrantes de órgãos de controle e fiscalização de Sergipe.
O Seminário comemorou o dia em que foi assinada a convenção da ONU contra a corrupção e foi ministrado pelo promotor de Justiça do Estado de São Paulo, doutor em Direito pela USP e presidente do Instituto "Não Aceito Corrupção", Roberto Livianu.
O procurador-geral de Justiça Eduardo Barreto d'Ávila Fontes saudou a todos na abertura do evento e explicou a importância da realização do seminário, na semana em que se comemora o Dia Nacional do Ministério Público. "O combate à corrupção é um dos principais focos da atuação ministerial. Mais do que os crimes de homicídio, a corrupção gera mortes, esvazia os cofres públicos e isso afeta à saúde, à educação, à segurança e tantos outros direitos fundamentais do ser humano, ou seja, inviabiliza as políticas públicas", comentou o PGJ.
O palestrante Roberto Livianu apresentou um extenso material sobre corrupção e políticas públicas de combate. Ele enfatizou a importância de eventos que discutam em abrangência a "doença" que precisa ser prevenida e combatida. "Já percebemos nas últimas eleições, o expressivo grau de renovação política. Figuras envolvidas em escândalos de corrupção foram barradas nas urnas. A sociedade está mais atenta ". O palestrante comentou, ainda, que o "foro privilegiado" é uma das grandes barreiras no combate efetivo à corrupção.
Roberto Livianu falou sobre o importante papel do Ministério Público nesse combate e disse que é primordial o trabalho em parceria com outros órgãos. "A sociedade precisa da sinergia das instituições que atuam no controle e fiscalização. A sensação de impunidade não pode existir, o emaranhado de irregularidades causa indignação e precisa ser combatido de forma eficiente", declarou.
Além dos citados, compuseram a mesa de honra no evento, o promotor de Justiça e diretor do CAOp de Defesa do Patrimônio Público e da Ordem tributária, Jarbas Adelino Santos Júnior; o diretor da ESMP em exercício, Sandro Luiz da Costa; Paulo Lima de Santana, procurador de Justiça; Thais Lemos, diretora do Deotap; Marília Menezes, presidente da associação dos procuradores do Município e Lara Schuster, delegada do Deotap.

Dia Internacional contra a Corrupção - A Convenção das Nações Unidas contra a Corrupção foi assinada por diversos países em 9 de dezembro de 2003, na cidade de Mérida, no México. A ideia central é fortalecer a cooperação internacional para ampliar a prevenção e o combate à corrupção no mundo todo. Em referência a essa data, o 9 de dezembro foi então instituído como Dia Internacional contra a Corrupção, resultado de proposta feita pela delegação brasileira na Convenção de Mérida. No Brasil, é a Controladoria-Geral da União (CGU) que acompanha a implementação da Convenção e de outros compromissos internacionais assumidos pelo País, que tenham como objeto a prevenção e o combate à corrupção.