Estátua do Bode Bito volta para praça principal de Riachão

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 12/12/2018 às 06:57:00

 

Por decisão judicial, a partir de ação do Ministério Público Estadual (MPE), a Prefeitura de Riachão do Dantas tem menos de 48 horas para reinstalar a estátua do popular Bode Bito. A cidade que fica na região Agreste de Sergipe, se tornou palco de curiosidades envolvendo a figura do animal. Isso porquê ao longo dos últimos 15 anos antes de morrer, o bode costumava participar de procissões, caminhadas, movimentos políticos e cortejos fúnebres pela cidade. Com postura mansa, Bito tornou-se símbolo do município ao ponto de, assim que morreu, moradores e parlamentares defenderam a criação de uma estátua do animal e que ela fosse instalada na entrada principal do município. Atendendo ao pleito, o poder executivo de Riachão chegou a inaugurar o monumento com solenidade festiva.
O animal morreu no segundo semestre de 2007, aos 18 anos. Outra curiosidade que envolve o animal é que em 2006, Bito havia se tornado protagonista do documentário "Deu Bode", produzido por Maria de Fátima Fontes de Góes. De volta à qualidade, o problema é que, Pedro Santos Oliveira - eleito vereador e presidente da Câmara Municipal de Riachão do Dantas, foi empossado para o cargo de prefeito no último mês de setembro deste ano após o poder judiciário eleitoral em Sergipe oficializar a cassação do mandato da prefeita Gerana Costa (PTdoB). Ao assumir o comando do município, o prefeito, mesmo que interinamente, retirou a estátua do Bode Bito e deu início a uma série de manifestações contrárias.
Na ação ajuizada a promotora de justiça Luciana Duarte disse compreender que a estátua se caracteriza como patrimônio material do município. Sendo assim é necessário que a administração municipal atenda às determinações aplicadas pelo MPE, as quais se tornaram possíveis após um grupo de moradores ter se deslocado até a sede do órgão estadual de fiscalização, em Aracaju, e pleiteado o apoio dos promotores. "Foi uma postura apoiada por todos em nossa cidade. Assim como o Caju representa bem a capital e o caminhão a cidade de Itabaiana, Bito é o nosso mascote, nosso símbolo, e espero que a partir de agora nenhum outro prefeito tente remover a estátua", declarou por telefone ao Jornal do Dia o morador George dos Santos.
Esclarecimentos - Por meio de nota pública a Prefeitura de Riachão do Dantas informou que a proposta da administração não era: "acabar com a estátua do "Bode-Bito". A estátua seria removida para um outro local, com toda uma estrutura, que iria trazer conforto e segurança para todos os seus visitantes, a estátua do "Bode Bito" seria colocada no trevo que dá acesso a  Avenida Manoel Costa Silva e no local onde o mesmo se encontrava nos iríamos colocar a estátua com a imagem de "Nossa Senhora do Amparo" (padroeira do município). Decidimos colocar a imagem da nossa padroeira naquele local por ser a principal entrada da cidade e próximo da igreja matriz".
Diante da pressão popular, bem como da decisão aplicada pelo Ministério Público Estadual, o poder executivo municipal destacou ainda na nota que: "diante da decisão [do MPE/SE], vamos cumprir e continuar dialogando com a população para que possamos chegar a uma decisão que seja favorável à todos". (Milton Alves Júnior)

Por decisão judicial, a partir de ação do Ministério Público Estadual (MPE), a Prefeitura de Riachão do Dantas tem menos de 48 horas para reinstalar a estátua do popular Bode Bito. A cidade que fica na região Agreste de Sergipe, se tornou palco de curiosidades envolvendo a figura do animal. Isso porquê ao longo dos últimos 15 anos antes de morrer, o bode costumava participar de procissões, caminhadas, movimentos políticos e cortejos fúnebres pela cidade. Com postura mansa, Bito tornou-se símbolo do município ao ponto de, assim que morreu, moradores e parlamentares defenderam a criação de uma estátua do animal e que ela fosse instalada na entrada principal do município. Atendendo ao pleito, o poder executivo de Riachão chegou a inaugurar o monumento com solenidade festiva.
O animal morreu no segundo semestre de 2007, aos 18 anos. Outra curiosidade que envolve o animal é que em 2006, Bito havia se tornado protagonista do documentário "Deu Bode", produzido por Maria de Fátima Fontes de Góes. De volta à qualidade, o problema é que, Pedro Santos Oliveira - eleito vereador e presidente da Câmara Municipal de Riachão do Dantas, foi empossado para o cargo de prefeito no último mês de setembro deste ano após o poder judiciário eleitoral em Sergipe oficializar a cassação do mandato da prefeita Gerana Costa (PTdoB). Ao assumir o comando do município, o prefeito, mesmo que interinamente, retirou a estátua do Bode Bito e deu início a uma série de manifestações contrárias.
Na ação ajuizada a promotora de justiça Luciana Duarte disse compreender que a estátua se caracteriza como patrimônio material do município. Sendo assim é necessário que a administração municipal atenda às determinações aplicadas pelo MPE, as quais se tornaram possíveis após um grupo de moradores ter se deslocado até a sede do órgão estadual de fiscalização, em Aracaju, e pleiteado o apoio dos promotores. "Foi uma postura apoiada por todos em nossa cidade. Assim como o Caju representa bem a capital e o caminhão a cidade de Itabaiana, Bito é o nosso mascote, nosso símbolo, e espero que a partir de agora nenhum outro prefeito tente remover a estátua", declarou por telefone ao Jornal do Dia o morador George dos Santos.

Esclarecimentos - Por meio de nota pública a Prefeitura de Riachão do Dantas informou que a proposta da administração não era: "acabar com a estátua do "Bode-Bito". A estátua seria removida para um outro local, com toda uma estrutura, que iria trazer conforto e segurança para todos os seus visitantes, a estátua do "Bode Bito" seria colocada no trevo que dá acesso a  Avenida Manoel Costa Silva e no local onde o mesmo se encontrava nos iríamos colocar a estátua com a imagem de "Nossa Senhora do Amparo" (padroeira do município). Decidimos colocar a imagem da nossa padroeira naquele local por ser a principal entrada da cidade e próximo da igreja matriz".
Diante da pressão popular, bem como da decisão aplicada pelo Ministério Público Estadual, o poder executivo municipal destacou ainda na nota que: "diante da decisão [do MPE/SE], vamos cumprir e continuar dialogando com a população para que possamos chegar a uma decisão que seja favorável à todos". (Milton Alves Júnior)