Mais de 41 mil presos participam do Enem

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 12/12/2018 às 07:00:00

 

Milton Alves Júnior
Encerra hoje a marato
na de perguntas e 
respostas destinada à brasileiros que estão confinamos em unidades prisionais ou de medidas socioeducativas, mas os quais conquistaram o direito judicial em pleitear uma vaga em uma universidade ou instituto federal de ensino através do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), no Brasil existem 41.044 candidatos privados de liberdade inscritos no exame. Em Sergipe são mais de 300; nenhum deles acolhidos por alguma das seis unidades de atendimento socioeducativo.
Na perspectiva de minimizar possíveis críticas impostas por candidatos não sentenciados judicialmente, o Governo Federal, através do Ministério da Educação garantiu na manhã de ontem [primeiro dia de avaliação] que o Exame Nacional utiliza como base a metodologia da Teoria de Resposta ao Item (TRI), a qual permita democraticamente que todas as provas possuam níveis de dificuldade semelhantes e ofertem a comparação de notas de candidatos que fizeram edições diferentes. A proposta do poder executivo federal é evitar que candidatos privados de liberdade - e/ou vice-versa -, sejam de algum modo prejudicado pela existência de exames e questões diferentes.
No primeiro dia de provas foram aplicadas as provas de linguagens, redação e ciências humanas. Os candidatos tiveram cinco horas e 30 minutos para responder aos questionários. Hoje será a vez das provas de ciências da natureza e matemática, com o mesmo período de duração. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), mais de 197 mil pessoas presas e jovens sob medida socioeducativa já participaram do exame entre 2011 e 2016. O Enem PPL é uma iniciativa do Inep, em parceria com o Departamento Penitenciário Nacional do Ministério da Justiça e Cidadania (Depen/MJC) e com a Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente.
Encceja - Nos dias 19 e 20 de dezembro serão realizadas as provas do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos para Pessoas Privadas de Liberdade e jovens sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade (Encceja Nacional PPL). Segundo o Depen, mais de 74 mil presos vão prestar o exame.

Encerra hoje a marato na de perguntas e  respostas destinada à brasileiros que estão confinamos em unidades prisionais ou de medidas socioeducativas, mas os quais conquistaram o direito judicial em pleitear uma vaga em uma universidade ou instituto federal de ensino através do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), no Brasil existem 41.044 candidatos privados de liberdade inscritos no exame. Em Sergipe são mais de 300; nenhum deles acolhidos por alguma das seis unidades de atendimento socioeducativo.
Na perspectiva de minimizar possíveis críticas impostas por candidatos não sentenciados judicialmente, o Governo Federal, através do Ministério da Educação garantiu na manhã de ontem [primeiro dia de avaliação] que o Exame Nacional utiliza como base a metodologia da Teoria de Resposta ao Item (TRI), a qual permita democraticamente que todas as provas possuam níveis de dificuldade semelhantes e ofertem a comparação de notas de candidatos que fizeram edições diferentes. A proposta do poder executivo federal é evitar que candidatos privados de liberdade - e/ou vice-versa -, sejam de algum modo prejudicado pela existência de exames e questões diferentes.
No primeiro dia de provas foram aplicadas as provas de linguagens, redação e ciências humanas. Os candidatos tiveram cinco horas e 30 minutos para responder aos questionários. Hoje será a vez das provas de ciências da natureza e matemática, com o mesmo período de duração. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), mais de 197 mil pessoas presas e jovens sob medida socioeducativa já participaram do exame entre 2011 e 2016. O Enem PPL é uma iniciativa do Inep, em parceria com o Departamento Penitenciário Nacional do Ministério da Justiça e Cidadania (Depen/MJC) e com a Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Encceja - Nos dias 19 e 20 de dezembro serão realizadas as provas do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos para Pessoas Privadas de Liberdade e jovens sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade (Encceja Nacional PPL). Segundo o Depen, mais de 74 mil presos vão prestar o exame.