A família no Natal

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 13/12/2018 às 04:57:00

 

* Dom Edvaldo Gonçalves Amaral, SDB
É oportuno refletirmos sobre como 
estamos assistindo estarrecidos à 
dissolução da família brasileira. Como se não bastassem os altos índices de divórcio e os maus exemplos das chamadas "celebridades" do meio artístico, surgem, também, os ataques à família, oriundos do poder público, no ensino e no comportamento.
No Paraná - informava já em 2009 uma revista de circulação nacional -, um pai pretendia processar na justiça uma escola pública por três violações do Estatuto da Criança e do Adolescente.
São os itens: a) com o pretexto de educação sexual, a exibição em sala de aula para adolescentes, de 11 e 12 anos, de material pornográfico, ou seja, uma réplica em borracha do órgão masculino em situação especial, para ensinar sua função e explicar o emprego de preservativos; b) explanação do uso da maldita camisinha para alunos adolescentes, que não é outra coisa senão o incentivo à prática prematura e indiscriminada do sexo; c) ensino a menores de matéria fora do conteúdo didático, sem prévia autorização dos pais. 
Na área trabalhista, há um e-mail na internet com o curioso título "Falado, não se acredita". Trata-se da transcrição autêntica - diz-se - de comunicado do Ministério do Trabalho, ensinando o que deve alguém fazer para praticar a profissão de prostituta. O site, que é dado com precisão, forneceria instruções para quem desejar seguir a chamada "mais antiga das profissões", com minuciosos detalhes, tais como: a veste que deve usar, a maneira eficaz de abordar o cliente, os pontos e horários preferidos, e assim por diante.
O que assistimos - dia-a-dia - são, realmente, fatos aterradores. Nestas semanas que antecedem o santo Natal, vamos pensar em Jesus e na família.
Natal é a festa do Menino, que é Deus entre nós. É a festa de Jesus - não esqueçamos, nem troquemos por outro. É a festa do amor, da paz, da reconciliação dos corações. É a festa da santa família da gruta de Belém.
É a festa da alegria, celebrada em família, na simplicidade e no afeto, que une os corações. É a festa com Jesus e Maria presentes, como nas bodas de Caná.
* Dom Edvaldo Gonçalves Amaral, SDB é Arcebispo Emérito de Maceió (foi Bispo Auxiliar de Aracaju - 1975 a 1980)
dedvaldo@salesianorecife.com.br

* Dom Edvaldo Gonçalves Amaral, SDB

É oportuno refletirmos sobre como  estamos assistindo estarrecidos à  dissolução da família brasileira. Como se não bastassem os altos índices de divórcio e os maus exemplos das chamadas "celebridades" do meio artístico, surgem, também, os ataques à família, oriundos do poder público, no ensino e no comportamento.
No Paraná - informava já em 2009 uma revista de circulação nacional -, um pai pretendia processar na justiça uma escola pública por três violações do Estatuto da Criança e do Adolescente.
São os itens: a) com o pretexto de educação sexual, a exibição em sala de aula para adolescentes, de 11 e 12 anos, de material pornográfico, ou seja, uma réplica em borracha do órgão masculino em situação especial, para ensinar sua função e explicar o emprego de preservativos; b) explanação do uso da maldita camisinha para alunos adolescentes, que não é outra coisa senão o incentivo à prática prematura e indiscriminada do sexo; c) ensino a menores de matéria fora do conteúdo didático, sem prévia autorização dos pais. 
Na área trabalhista, há um e-mail na internet com o curioso título "Falado, não se acredita". Trata-se da transcrição autêntica - diz-se - de comunicado do Ministério do Trabalho, ensinando o que deve alguém fazer para praticar a profissão de prostituta. O site, que é dado com precisão, forneceria instruções para quem desejar seguir a chamada "mais antiga das profissões", com minuciosos detalhes, tais como: a veste que deve usar, a maneira eficaz de abordar o cliente, os pontos e horários preferidos, e assim por diante.
O que assistimos - dia-a-dia - são, realmente, fatos aterradores. Nestas semanas que antecedem o santo Natal, vamos pensar em Jesus e na família.
Natal é a festa do Menino, que é Deus entre nós. É a festa de Jesus - não esqueçamos, nem troquemos por outro. É a festa do amor, da paz, da reconciliação dos corações. É a festa da santa família da gruta de Belém.
É a festa da alegria, celebrada em família, na simplicidade e no afeto, que une os corações. É a festa com Jesus e Maria presentes, como nas bodas de Caná.

* Dom Edvaldo Gonçalves Amaral, SDB é Arcebispo Emérito de Maceió (foi Bispo Auxiliar de Aracaju - 1975 a 1980)dedvaldo@salesianorecife.com.br