Banese participa da comissão julgadora da Maratona Sebrae de Inovação e Tecnologia

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Equipe do projeto \"Mais Eco (Lixo Reciclável)\", uma das vencedoras da maratona
Equipe do projeto \"Mais Eco (Lixo Reciclável)\", uma das vencedoras da maratona

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 14/12/2018 às 06:59:00

 

O Banco do Estado de Sergipe (Banese) participou da comissão julgadora da Maratona Universitária de Inovação e Tecnologia promovida recentemente pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Sergipe (Sebrae-SE), em parceria com a Universidade Federal de Sergipe (UFS) e o Instituto Federal de Sergipe (IFS). Durante o evento, realizado com o objetivo de desenvolver o potencial empreendedor de alunos das instituições de ensino superior do Estado, foram apresentadas ideias inovadoras de negócio relacionadas a áreas como turismo, educação, responsabilidade social, desigualdade, geração de trabalho, empreendedorismo e sustentabilidade.
O Banese, além de participar da avaliação dos 25 trabalhos finalistas da maratona, doou uma série de brindes para os participantes do evento e premiou as duas equipes que ficaram em primeiro lugar nas competições com um título de previdência privada no valor de R$ 500 cada. "Pirâmide de Destilação Solar nas Indústrias" e "Mais Eco (Lixo Reciclável)", foram os projetos vencedores das competições, o primeiro na maratona organizada pelo IFS, e o segundo na etapa realizada pela UFS.
Para o gerente da Área de Tecnologia da Informação do Banese, Daniel Souza Santos, que representou o banco na comissão julgadora da maratona, o evento realizado pelo Sebrae atingiu os seus objetivos de promover uma imersão em empreendedorismo a estudantes das instituições de ensino superior do Estado. "Participar de um evento como esse é muito importante. Acredito que o Banese foi convidado pelo Sebrae para participar da comissão julgadora da maratona porque aqui no banco tem muita gente com experiência no campo do empreendedorismo, de startups e de inovação. Além disso, o banco também dispõe de linhas de crédito específicas para financiar os projetos desses jovens empreendedores, quando eles resolverem constituir as suas empresas", ressaltou.

O Banco do Estado de Sergipe (Banese) participou da comissão julgadora da Maratona Universitária de Inovação e Tecnologia promovida recentemente pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Sergipe (Sebrae-SE), em parceria com a Universidade Federal de Sergipe (UFS) e o Instituto Federal de Sergipe (IFS). Durante o evento, realizado com o objetivo de desenvolver o potencial empreendedor de alunos das instituições de ensino superior do Estado, foram apresentadas ideias inovadoras de negócio relacionadas a áreas como turismo, educação, responsabilidade social, desigualdade, geração de trabalho, empreendedorismo e sustentabilidade.
O Banese, além de participar da avaliação dos 25 trabalhos finalistas da maratona, doou uma série de brindes para os participantes do evento e premiou as duas equipes que ficaram em primeiro lugar nas competições com um título de previdência privada no valor de R$ 500 cada. "Pirâmide de Destilação Solar nas Indústrias" e "Mais Eco (Lixo Reciclável)", foram os projetos vencedores das competições, o primeiro na maratona organizada pelo IFS, e o segundo na etapa realizada pela UFS.
Para o gerente da Área de Tecnologia da Informação do Banese, Daniel Souza Santos, que representou o banco na comissão julgadora da maratona, o evento realizado pelo Sebrae atingiu os seus objetivos de promover uma imersão em empreendedorismo a estudantes das instituições de ensino superior do Estado. "Participar de um evento como esse é muito importante. Acredito que o Banese foi convidado pelo Sebrae para participar da comissão julgadora da maratona porque aqui no banco tem muita gente com experiência no campo do empreendedorismo, de startups e de inovação. Além disso, o banco também dispõe de linhas de crédito específicas para financiar os projetos desses jovens empreendedores, quando eles resolverem constituir as suas empresas", ressaltou.