Setransp diz que não risco de suspender linhas por falta de segurança

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 19/12/2018 às 08:51:00

 

Milton Alves Júnior
Moradores da zona 
Norte de Aracaju 
podem ficar despreocupados quanto a possibilidade de suspensão parcial ou integral do sistema público de transporte coletivo. Conforme destacado na tarde de ontem pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Município de Aracaju (Setransp), o sistema segue sem alterações por tempo indeterminado. Apesar da garantia, o próprio Setransp garante que a interrupção do fluxo de ónibus na região apenas deve ocorrer em caso de registros oficializados indicando assalto, atos de vandalismo ou qualquer tipo de ameaça contra passageiros, cobradores e motoristas.
Por meio de nota a direção sindical informou que: "não há risco de paralisação de linhas. Consta é que, conforme exigência do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de Aracaju (Sinttra), as linhas que atendem a região do Município de Nossa Senhora do Socorro - Soledade (102), Parque São José/ Osvaldo Aranha (606) e Parque São José/ Maracaju (101) sofreram interrupções em momentos de ocorrências de pulos de catraca em quantidade com ameaças aos motoristas e cobradores, tentativas de vandalismo, ou assaltos. Nessas situações os veículos são encaminhados à delegacia mais próxima por medida de segurança, como estava sendo feito com a linha Maracaju/ Centro (607), de acordo com o que foi orientado pelo Sinttra aos trabalhadores rodoviários".
O comunicado oficial ocorre após o próprio Setransp enaltecer que em novembro houve uma queda de 68,70% no número de ações criminosas nos ônibus que percorrem as quatro principais cidades que compõem a região metropolitana de Aracaju [incluindo a capital, Aracaju]. De acordo com os dados emitidos pelo Governo de Sergipe, através da Secretaria de Estado da Segurança Pública, em novembro de 2016 foram 116 roubos a ônibus, decrescendo para 52 no ano seguinte e reduzindo para 28 neste ano. Os números representam uma redução de 46,15% entre a quantidade de investidas criminosas registradas em  2017 e as contabilizadas em 2018.
A queda na incidência de assaltos ao transporte coletivo da capital é ainda maior se comparado aos casos que ocorreram em 2016 e os apontados pela entidade neste ano. O índice de redução foi de 75,86%. Paralelo ao trabalho preventivo e investigativo das polícias Militar e Civil, em parceria com o Setransp, o sindicato enaltece a participação dos passageiros na ajuda ao combate de assaltos. Caso o índice de assaltos permanecesse em escala crescente, a perspectiva era que gradativamente o número de ônibus e linhas fossem reduzindo, em especial, após às 18 horas. Por iniciativa dos motoristas e cobradores essa medida chegou a ser adotada neste segundo semestre de 2018.
Comparativo - A SSP realizou um comparativo quanto ao número de assaltos à ônibus. Em janeiro foi registrada uma queda de 76,06% (188 para 45 casos); fevereiro marcou 71,43% (175 para 50); março registrou 55,77% (156 para 69); em abril o número foi de 71,56% (109 para 31); a redução em maio foi de  60% (130 para 52); junho obteve 80,47% (215 para 42), a maior marca; o mês seguinte registrou 53,04% (115 para 54); enquanto em agosto a queda foi de 66,10% (118 para 40); em setembro, o número subiu para 68% (100 para 32); e outubro registrou 66,67% (99 para 33). Todos esses dados referem-se aos anos de 2016 e 2018.

Moradores da zona  Norte de Aracaju  podem ficar despreocupados quanto a possibilidade de suspensão parcial ou integral do sistema público de transporte coletivo. Conforme destacado na tarde de ontem pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Município de Aracaju (Setransp), o sistema segue sem alterações por tempo indeterminado. Apesar da garantia, o próprio Setransp garante que a interrupção do fluxo de ónibus na região apenas deve ocorrer em caso de registros oficializados indicando assalto, atos de vandalismo ou qualquer tipo de ameaça contra passageiros, cobradores e motoristas.
Por meio de nota a direção sindical informou que: "não há risco de paralisação de linhas. Consta é que, conforme exigência do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de Aracaju (Sinttra), as linhas que atendem a região do Município de Nossa Senhora do Socorro - Soledade (102), Parque São José/ Osvaldo Aranha (606) e Parque São José/ Maracaju (101) sofreram interrupções em momentos de ocorrências de pulos de catraca em quantidade com ameaças aos motoristas e cobradores, tentativas de vandalismo, ou assaltos. Nessas situações os veículos são encaminhados à delegacia mais próxima por medida de segurança, como estava sendo feito com a linha Maracaju/ Centro (607), de acordo com o que foi orientado pelo Sinttra aos trabalhadores rodoviários".
O comunicado oficial ocorre após o próprio Setransp enaltecer que em novembro houve uma queda de 68,70% no número de ações criminosas nos ônibus que percorrem as quatro principais cidades que compõem a região metropolitana de Aracaju [incluindo a capital, Aracaju]. De acordo com os dados emitidos pelo Governo de Sergipe, através da Secretaria de Estado da Segurança Pública, em novembro de 2016 foram 116 roubos a ônibus, decrescendo para 52 no ano seguinte e reduzindo para 28 neste ano. Os números representam uma redução de 46,15% entre a quantidade de investidas criminosas registradas em  2017 e as contabilizadas em 2018.
A queda na incidência de assaltos ao transporte coletivo da capital é ainda maior se comparado aos casos que ocorreram em 2016 e os apontados pela entidade neste ano. O índice de redução foi de 75,86%. Paralelo ao trabalho preventivo e investigativo das polícias Militar e Civil, em parceria com o Setransp, o sindicato enaltece a participação dos passageiros na ajuda ao combate de assaltos. Caso o índice de assaltos permanecesse em escala crescente, a perspectiva era que gradativamente o número de ônibus e linhas fossem reduzindo, em especial, após às 18 horas. Por iniciativa dos motoristas e cobradores essa medida chegou a ser adotada neste segundo semestre de 2018.

Comparativo - A SSP realizou um comparativo quanto ao número de assaltos à ônibus. Em janeiro foi registrada uma queda de 76,06% (188 para 45 casos); fevereiro marcou 71,43% (175 para 50); março registrou 55,77% (156 para 69); em abril o número foi de 71,56% (109 para 31); a redução em maio foi de  60% (130 para 52); junho obteve 80,47% (215 para 42), a maior marca; o mês seguinte registrou 53,04% (115 para 54); enquanto em agosto a queda foi de 66,10% (118 para 40); em setembro, o número subiu para 68% (100 para 32); e outubro registrou 66,67% (99 para 33). Todos esses dados referem-se aos anos de 2016 e 2018.