ESTÁ MUITO CLARO O ENGODO

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 20/12/2018 às 06:02:00

 

* Rômulo Rodrigues
O caso COAF, com o Fabrício Queiroz, operador e Caixa Eletrônico da família Bolsonaro, chegou às mãos do Juiz Bretas dois dias antes do segundo turno entre Bolsonaro e Haddad e ele segurou por mais de 30 dias para dar conhecimento público.
O pedido da P.F para a operação contra Aécio foi feito antes do primeiro turno das eleições gerais e a PGR, Raquel Dodge, esperou passar as eleições para opinar sobre o pedido, segurando por 45 dias, dando tempo do mineirinho se eleger e manter o foro.
No mundo exterior as coisas andam muito complicadas para o consórcio golpista, ao ponto de Ângela Merkel avisar que com Bolsonaro não tem acordo comercial e o Presidente da Argentina trocar a vinda para posse por férias com a família na Patagônia.
Para reforçar o estado de isolamento do Brasil, a Liga dos Estados Árabes, composta por 22 Países do Oriente Médio, Ásia e África enviou uma carta onde adverte do perigo da mudança da Embaixada do Brasil, em Israel, de Telavive para Jerusalém.
Tudo leva a crer que a anunciada submissão aos EUA tenha influenciado na importação do costume, cada vez mais frequente, de chacinas em ambientes públicos como aconteceu em Campinas, cujo comportamento do Presidente foi de, além de não visitar o local, no dia seguinte, praticar Tiro ao Alvo. Alertado da imbecilidade, cancelou a agenda do dia alegando que tomou remédio errado.
Enquanto o Mito faz suas peraltices do tipo, fazer flexões arriscadas para um grupo de policiais federais, seus apaixonados seguidores contentam-se em ignorar algumas verdades que provam os equívocos de suas paixões.
Depois de alimentarem seus ódios atribuindo aos governos do PT, principalmente a Lula, propagandeando que houve uma gigante farra com dinheiro público via Lei Rouanet, que desconhecem, recebem nos peitos o relatório, do próprio Minc, atual, dizendo que; cada Real aplicado com o incentivo da Lei gerou um retorno de R$ 1,59, ao Tesouro Nacional.
Outra incongruência desmascarada é a de que os governos petistas financiaram a ditadura comunista bolivariana da Venezuela; nada disso! No Site da Secretaria de Comercio Exterior, o Site "O Cafezinho", levantou que de 2003 a 2018, o Brasil obteve um saldo positivo de 40 bilhões de dólares, com a Venezuela e, no mesmo período, teve um saldo negativo de 2,7 bilhões de dólares com os EUA; ou seja, o Brasil ganhou da Venezuela e repassou um pouco para os EUA, exatamente o contrário do que os apaixonados foram convencidos a acreditar.
Então, os apaixonados serão totalmente culpados pelo desastre que nos espera? Totalmente, não! Muitos foram enganados e tangidos pelo ódio ao PT e às suas principais lideranças.
Querem exemplos? Vamos lá; o s escândalos revelando as falcatruas da família Bolsonaro, bem alimentada pelo assessor Fabrício Queiroz, foram abafados, pelo Juiz da Lava Jato, para proteger seu candidato. 
Outra informação divulgada para alimentar o ódio é a de que estrangeiros estão chegando aos montes por aqui para tomarem empregos e assistências dos brasileiros. Ledo engano; puro Fake.
O total de brasileiros que deixou o País, após o golpe, ultrapassa os 252 mil e os que entraram são em redor de 94 mil imigrantes; ou seja, saíram 157 mil a mais do que entraram. Foram para Cuba? Não! Uma grande parcela de coxinha que foi para as ruas gritar fora PT foi procurar meio de vida em Portugal, que tem um governo Socialista.
A contradição está em: uma grande parte ama os EUA e, quando podia viajar de Avião, para o exterior, foi gastar o dinheiro que sobrava em Orlando, na Disney, resolver o problema de caixa do Tio Sam. Depois do golpe, correm atrás de tudo que condenavam aqui.
O reflexo do peso na consciência já foi visto na diplomação com o fiasco de entusiasmo no meio do Povão.
Para a posse, as previsões são catastróficas se comparadas com as de Lula e Dilma, salvo se Fabrício aparecer e resolver patrocinar caravanas com o que arrecadava dos comissionados da Alerj.
As lembranças nas paredes dos seus quartos já são os quadros que doem mais, indicando pesadelos, frutos das traquinagens feitas pelos filhotes, que já fazem o Pai tomar posse com ares de fim de governo.
Em qualquer lugar que ponham a cara, vem a pergunta que não quer calar; por onde anda Fabrício Queiroz? Que notícias lhes mandam os amigos da personal trainer e da vendedora de Açaí? O que a recatada Michelle, vai fazer com os 24 mil depositados em sua conta?
Para fechar a conta e passar a régua, a Ministra da Família revela que vê o invisível e não vê o que está à sua frente; explico: diz que viu Jesus trepado em uma goiabeira e foi incapaz de ver que a ONG fundada por ela é acusada de incitar o ódio contra indígenas e traficar crianças; segundo reportagem da Folha de São Paulo.
Pelo andar da carruagem, puxada por mulas, a posse do novo Presidente anuncia-se como o maior fiasco da história. Entre desconvidados e que se recusam, a maior de todas as ausências será a do Patrão e, Bolsonaro perderá a oportunidade de bater continência para ele, já com a faixa presidencial.
* Rômulo Rodrigues é militante político

* Rômulo Rodrigues

O caso COAF, com o Fabrício Queiroz, operador e Caixa Eletrônico da família Bolsonaro, chegou às mãos do Juiz Bretas dois dias antes do segundo turno entre Bolsonaro e Haddad e ele segurou por mais de 30 dias para dar conhecimento público.
O pedido da P.F para a operação contra Aécio foi feito antes do primeiro turno das eleições gerais e a PGR, Raquel Dodge, esperou passar as eleições para opinar sobre o pedido, segurando por 45 dias, dando tempo do mineirinho se eleger e manter o foro.
No mundo exterior as coisas andam muito complicadas para o consórcio golpista, ao ponto de Ângela Merkel avisar que com Bolsonaro não tem acordo comercial e o Presidente da Argentina trocar a vinda para posse por férias com a família na Patagônia.
Para reforçar o estado de isolamento do Brasil, a Liga dos Estados Árabes, composta por 22 Países do Oriente Médio, Ásia e África enviou uma carta onde adverte do perigo da mudança da Embaixada do Brasil, em Israel, de Telavive para Jerusalém.
Tudo leva a crer que a anunciada submissão aos EUA tenha influenciado na importação do costume, cada vez mais frequente, de chacinas em ambientes públicos como aconteceu em Campinas, cujo comportamento do Presidente foi de, além de não visitar o local, no dia seguinte, praticar Tiro ao Alvo. Alertado da imbecilidade, cancelou a agenda do dia alegando que tomou remédio errado.
Enquanto o Mito faz suas peraltices do tipo, fazer flexões arriscadas para um grupo de policiais federais, seus apaixonados seguidores contentam-se em ignorar algumas verdades que provam os equívocos de suas paixões.
Depois de alimentarem seus ódios atribuindo aos governos do PT, principalmente a Lula, propagandeando que houve uma gigante farra com dinheiro público via Lei Rouanet, que desconhecem, recebem nos peitos o relatório, do próprio Minc, atual, dizendo que; cada Real aplicado com o incentivo da Lei gerou um retorno de R$ 1,59, ao Tesouro Nacional.
Outra incongruência desmascarada é a de que os governos petistas financiaram a ditadura comunista bolivariana da Venezuela; nada disso! No Site da Secretaria de Comercio Exterior, o Site "O Cafezinho", levantou que de 2003 a 2018, o Brasil obteve um saldo positivo de 40 bilhões de dólares, com a Venezuela e, no mesmo período, teve um saldo negativo de 2,7 bilhões de dólares com os EUA; ou seja, o Brasil ganhou da Venezuela e repassou um pouco para os EUA, exatamente o contrário do que os apaixonados foram convencidos a acreditar.
Então, os apaixonados serão totalmente culpados pelo desastre que nos espera? Totalmente, não! Muitos foram enganados e tangidos pelo ódio ao PT e às suas principais lideranças.
Querem exemplos? Vamos lá; o s escândalos revelando as falcatruas da família Bolsonaro, bem alimentada pelo assessor Fabrício Queiroz, foram abafados, pelo Juiz da Lava Jato, para proteger seu candidato. 
Outra informação divulgada para alimentar o ódio é a de que estrangeiros estão chegando aos montes por aqui para tomarem empregos e assistências dos brasileiros. Ledo engano; puro Fake.
O total de brasileiros que deixou o País, após o golpe, ultrapassa os 252 mil e os que entraram são em redor de 94 mil imigrantes; ou seja, saíram 157 mil a mais do que entraram. Foram para Cuba? Não! Uma grande parcela de coxinha que foi para as ruas gritar fora PT foi procurar meio de vida em Portugal, que tem um governo Socialista.
A contradição está em: uma grande parte ama os EUA e, quando podia viajar de Avião, para o exterior, foi gastar o dinheiro que sobrava em Orlando, na Disney, resolver o problema de caixa do Tio Sam. Depois do golpe, correm atrás de tudo que condenavam aqui.
O reflexo do peso na consciência já foi visto na diplomação com o fiasco de entusiasmo no meio do Povão.
Para a posse, as previsões são catastróficas se comparadas com as de Lula e Dilma, salvo se Fabrício aparecer e resolver patrocinar caravanas com o que arrecadava dos comissionados da Alerj.
As lembranças nas paredes dos seus quartos já são os quadros que doem mais, indicando pesadelos, frutos das traquinagens feitas pelos filhotes, que já fazem o Pai tomar posse com ares de fim de governo.
Em qualquer lugar que ponham a cara, vem a pergunta que não quer calar; por onde anda Fabrício Queiroz? Que notícias lhes mandam os amigos da personal trainer e da vendedora de Açaí? O que a recatada Michelle, vai fazer com os 24 mil depositados em sua conta?
Para fechar a conta e passar a régua, a Ministra da Família revela que vê o invisível e não vê o que está à sua frente; explico: diz que viu Jesus trepado em uma goiabeira e foi incapaz de ver que a ONG fundada por ela é acusada de incitar o ódio contra indígenas e traficar crianças; segundo reportagem da Folha de São Paulo.
Pelo andar da carruagem, puxada por mulas, a posse do novo Presidente anuncia-se como o maior fiasco da história. Entre desconvidados e que se recusam, a maior de todas as ausências será a do Patrão e, Bolsonaro perderá a oportunidade de bater continência para ele, já com a faixa presidencial.

* Rômulo Rodrigues é militante político