Ex-miss Sergipe é acusada de estelionato e presta depoimento

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 20/12/2018 às 07:00:00

 

A modelo Paloma Vieira de Melo, ex-miss Sergipe 2007, foi detida ontem à tarde pela Polícia Civil, sob acusação de crimes de estelionato e fraudes cometidos através de sites de vendas online. Estima-se que Paloma tenha feito em torno de 12 vítimas. 
Segundo o delegado responsável pelo caso, Everton Santos, da 1ª Delegacia Metropolitana, foram prestados Boletins de ocorrência contra a ex-miss desde 2016. Em geral, ela aplicava golpes comprando produtos e apresentando falsos comprovantes de pagamento ou anunciando mercadorias na Internet e não entregando. Entre as vítimas estão uma empresária que vendeu a ela produtos de beleza e uma jornalista que pagou por um gato persa que nunca recebeu.
O delegado informou ainda que após ser presa ela confessou o crime e disse que gostaria de devolver parte dos produtos adquiridos nos golpes, entre eles algumas joias. Ela foi liberada no final da tarde, após prestar depoimento, e vai responder ao processo em liberdade. As penas por crimes de estelionato variam de um a cinco anos. Caso os danos causados sejam reparados, a sentença pode ser reduzida em até mais da metade.

A modelo Paloma Vieira de Melo, ex-miss Sergipe 2007, foi detida ontem à tarde pela Polícia Civil, sob acusação de crimes de estelionato e fraudes cometidos através de sites de vendas online. Estima-se que Paloma tenha feito em torno de 12 vítimas. 
Segundo o delegado responsável pelo caso, Everton Santos, da 1ª Delegacia Metropolitana, foram prestados Boletins de ocorrência contra a ex-miss desde 2016. Em geral, ela aplicava golpes comprando produtos e apresentando falsos comprovantes de pagamento ou anunciando mercadorias na Internet e não entregando. Entre as vítimas estão uma empresária que vendeu a ela produtos de beleza e uma jornalista que pagou por um gato persa que nunca recebeu.
O delegado informou ainda que após ser presa ela confessou o crime e disse que gostaria de devolver parte dos produtos adquiridos nos golpes, entre eles algumas joias. Ela foi liberada no final da tarde, após prestar depoimento, e vai responder ao processo em liberdade. As penas por crimes de estelionato variam de um a cinco anos. Caso os danos causados sejam reparados, a sentença pode ser reduzida em até mais da metade.