Sistema de câmeras da SSP monitora capital e interior do estado

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O CIRCUITO DE VIDEOMONITORAMENTO POSSIBILITA A CHEGADA ANTECIPADA DA POLÍCIA ÀS OCORRÊNCIAS EM LOCAIS ONDE ESTÃO AS CÂMERAS
O CIRCUITO DE VIDEOMONITORAMENTO POSSIBILITA A CHEGADA ANTECIPADA DA POLÍCIA ÀS OCORRÊNCIAS EM LOCAIS ONDE ESTÃO AS CÂMERAS

O circuito de videomonitoramento possibilita a chegada antecipada da polícia às ocorrências em locais monitorados
O circuito de videomonitoramento possibilita a chegada antecipada da polícia às ocorrências em locais monitorados

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 20/12/2018 às 07:10:00

 

O sistema de video
monitoramento 
da Secretaria de Segurança Pública, também conhecido por Circuito Fechado de Televisão (CFTV), foi instalado no ano de 2009, desde a inauguração do Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp). Esse sistema vem sendo aperfeiçoado e hoje conta com 61 câmeras e 22 OCR´s (Reconhecimento Óptico de Caracteres) monitorando a capital e o interior, ajudando assim, no trabalho das forças policiais do Estado.
Um dos avanços desse sistema é que anteriormente essas câmeras monitoravam apenas pontos diferentes da cidade, hoje houve uma ampliação que abrange toda a saída de Aracaju, acompanhando os veículos que entram e saem da cidade. A iniciativa ajuda também na questão do mapa termal, que possibilita verificar os horários de mais fluxo de veículos e os locais com mais incidências de roubo e furto.
O coronel William Vasconcelos, diretor do Ciosp, fala sobre a importância dessa evolução. "Essa evolução é muito salutar, pois antigamente se falava apenas que estava acontecendo um roubo ou um furto, mas os policiais não tinham dimensão do que realmente estava ocorrendo. Hoje, a polícia quando vai no local, a pessoa que está monitorando passa todas as informações necessárias para concluir o caso", relatou.
Segundo o cabo Eduardo Oliveira, gestor do CFTV, esse sistema de videomonitoramento vê, informa e a viatura chega com brevidade ao local. Ainda segundo o militar, "as câmeras que possuem mais incidências vistas pelo CFTV são as do Centro da cidade, principalmente as que ficam circunvizinhas à rodoviária velha e ao Mercado Central de Aracaju", ressaltou.
É importante destacar o trabalho integrado entre os operadores e os policiais do Estado, que trabalham e estão atentos 24 horas, para manter a sensação de segurança para a sociedade sergipana.

O sistema de video monitoramento  da Secretaria de Segurança Pública, também conhecido por Circuito Fechado de Televisão (CFTV), foi instalado no ano de 2009, desde a inauguração do Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp). Esse sistema vem sendo aperfeiçoado e hoje conta com 61 câmeras e 22 OCR´s (Reconhecimento Óptico de Caracteres) monitorando a capital e o interior, ajudando assim, no trabalho das forças policiais do Estado.
Um dos avanços desse sistema é que anteriormente essas câmeras monitoravam apenas pontos diferentes da cidade, hoje houve uma ampliação que abrange toda a saída de Aracaju, acompanhando os veículos que entram e saem da cidade. A iniciativa ajuda também na questão do mapa termal, que possibilita verificar os horários de mais fluxo de veículos e os locais com mais incidências de roubo e furto.
O coronel William Vasconcelos, diretor do Ciosp, fala sobre a importância dessa evolução. "Essa evolução é muito salutar, pois antigamente se falava apenas que estava acontecendo um roubo ou um furto, mas os policiais não tinham dimensão do que realmente estava ocorrendo. Hoje, a polícia quando vai no local, a pessoa que está monitorando passa todas as informações necessárias para concluir o caso", relatou.
Segundo o cabo Eduardo Oliveira, gestor do CFTV, esse sistema de videomonitoramento vê, informa e a viatura chega com brevidade ao local. Ainda segundo o militar, "as câmeras que possuem mais incidências vistas pelo CFTV são as do Centro da cidade, principalmente as que ficam circunvizinhas à rodoviária velha e ao Mercado Central de Aracaju", ressaltou.
É importante destacar o trabalho integrado entre os operadores e os policiais do Estado, que trabalham e estão atentos 24 horas, para manter a sensação de segurança para a sociedade sergipana.