Traficante baiano morre em confronto em Simão Dias

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 21/12/2018 às 04:57:00

 

Um traficante foragido da Bahia morreu nesta quarta-feira, após uma operação de busca realizada em Simão Dias (Centro-Sul). A ação foi executada pela Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil, que recebeu um comunicado do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) da Bahia para cumprir o mandado de prisão de um traficante baiano que estava no município sergipano.
Após uma investigação bastante detalhada, Alan Batista de Morais foi localizado pelo Core e, em seguida, os policiais civis foram dar cumprimento ao mandado. Naquele momento, Alan não quis se entregar e atirou contra os policiais, que reagiram. O suspeito ficou ferido e foi encaminhado ao hospital, mas não resistiu.
De acordo com o Draco, Alan Batista de Morais era alvo de uma operação deles no final de novembro, o suspeito era o líder do braço armado do tráfico na Bahia. Alan era considerado perigoso e respondia por alguns homicídios na Bahia, pois assassinava traficantes concorrentes.
O Grupo Especial de Repressão e Busca (Gerb) passou a ser a Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core), após a publicação de uma portaria no dia 11 de dezembro deste ano. A mudança faz parte de uma padronização nacional da Polícia Civil.

Um traficante foragido da Bahia morreu nesta quarta-feira, após uma operação de busca realizada em Simão Dias (Centro-Sul). A ação foi executada pela Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil, que recebeu um comunicado do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) da Bahia para cumprir o mandado de prisão de um traficante baiano que estava no município sergipano.
Após uma investigação bastante detalhada, Alan Batista de Morais foi localizado pelo Core e, em seguida, os policiais civis foram dar cumprimento ao mandado. Naquele momento, Alan não quis se entregar e atirou contra os policiais, que reagiram. O suspeito ficou ferido e foi encaminhado ao hospital, mas não resistiu.
De acordo com o Draco, Alan Batista de Morais era alvo de uma operação deles no final de novembro, o suspeito era o líder do braço armado do tráfico na Bahia. Alan era considerado perigoso e respondia por alguns homicídios na Bahia, pois assassinava traficantes concorrentes.
O Grupo Especial de Repressão e Busca (Gerb) passou a ser a Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core), após a publicação de uma portaria no dia 11 de dezembro deste ano. A mudança faz parte de uma padronização nacional da Polícia Civil.