Ex-secretário de Aquidabã é liberado com tornozeleira

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 21/12/2018 às 04:58:00

 

O ex-secretário municipal de controle interno de Aquidabã, Sérgio Jóas dos Santos, que é investigado pela 'Operação Higia', do Ministério Público Estadual, recebeu a liberdade provisória e já deixou a Cadeia Pública de Estância (Sul), onde estava detido desde 29 de setembro. A informação foi confirmada ontem pela Secretaria de Estado de Justiça (Sejuc). Segundo o órgão, Joás foi autorizado a responder ao processo em liberdade, mas será monitorado por uma tornozeleira eletrônica.
Sérgio é acusado por crimes de fraude à licitação, lavagem de dinheiro e organização criminosa, decorrentes de fraudes e irregularidades em contratos de limpeza urbana da Prefeitura de Aquidabã. Um outro ex-secretário e um empresário também foram presos. A Operação Higia foi deflagrada em 18 de janeiro deste ano pelo MPE e teve medidas cautelares deferidas pelo juiz da Comarca de Aquidabã. As investigações apontam que tais irregularidades causaram um prejuízo de cerca de R$ 3 milhões aos cofres públicos de Aquidabã.
Na primeira fase da operação, além das buscas residenciais, foi decretada a indisponibilidade dos bens de seis pessoas investigadas, dentre elas os alvos das prisões preventivas decretadas nessa segunda fase. A Hígia é um desdobramento da Operação Antidesmonte, deflagrada pelo MPSE e pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE) no final de 2016, para fiscalizar as transições de governo das prefeituras da capital e do interior do estado.

O ex-secretário municipal de controle interno de Aquidabã, Sérgio Jóas dos Santos, que é investigado pela 'Operação Higia', do Ministério Público Estadual, recebeu a liberdade provisória e já deixou a Cadeia Pública de Estância (Sul), onde estava detido desde 29 de setembro. A informação foi confirmada ontem pela Secretaria de Estado de Justiça (Sejuc). Segundo o órgão, Joás foi autorizado a responder ao processo em liberdade, mas será monitorado por uma tornozeleira eletrônica.
Sérgio é acusado por crimes de fraude à licitação, lavagem de dinheiro e organização criminosa, decorrentes de fraudes e irregularidades em contratos de limpeza urbana da Prefeitura de Aquidabã. Um outro ex-secretário e um empresário também foram presos. A Operação Higia foi deflagrada em 18 de janeiro deste ano pelo MPE e teve medidas cautelares deferidas pelo juiz da Comarca de Aquidabã. As investigações apontam que tais irregularidades causaram um prejuízo de cerca de R$ 3 milhões aos cofres públicos de Aquidabã.
Na primeira fase da operação, além das buscas residenciais, foi decretada a indisponibilidade dos bens de seis pessoas investigadas, dentre elas os alvos das prisões preventivas decretadas nessa segunda fase. A Hígia é um desdobramento da Operação Antidesmonte, deflagrada pelo MPSE e pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE) no final de 2016, para fiscalizar as transições de governo das prefeituras da capital e do interior do estado.