Defensoria Pública entra em recesso dia 20 e retorna em 7 de Janeiro de 2019

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 21/12/2018 às 05:03:00

 

A Defensoria Pública do Estado de Sergipe entrou em período de recesso forense desde ontem (20), e retorna os trabalhos no dia 7 de Janeiro de 2018. Durante esse período, o atendimento ao cidadão será realizado em regime de plantão para casos urgentes na unidade da Defensoria Pública do Fórum Gumersindo Bessa, localizado na Avenida Presidente Tancredo Neves, s/n , bairro Capucho, no horário das 8h às 18h.
"Mesmo em recesso, a Defensoria Pública do Estado continuará prestando assistência à população hipossuficiente para casos considerados urgentes tanto na área criminal quanto cível. Além dos Defensores Públicos, participarão da escala de plantão demais servidores e estagiários", garantiu o defensor público-geral, Leó Neto.
Durante o recesso, a população poderá solucionar casos de prisão em flagrante, pedidos de habeas corpus, liberdade provisória e mandados de segurança; busca e apreensão de pessoas, bens ou valores; medida cautelar de natureza cível ou criminal; procedimentos de saúde como UTI, internamentos, cirurgias e outros considerados urgentes.

A Defensoria Pública do Estado de Sergipe entrou em período de recesso forense desde ontem (20), e retorna os trabalhos no dia 7 de Janeiro de 2018. Durante esse período, o atendimento ao cidadão será realizado em regime de plantão para casos urgentes na unidade da Defensoria Pública do Fórum Gumersindo Bessa, localizado na Avenida Presidente Tancredo Neves, s/n , bairro Capucho, no horário das 8h às 18h.
"Mesmo em recesso, a Defensoria Pública do Estado continuará prestando assistência à população hipossuficiente para casos considerados urgentes tanto na área criminal quanto cível. Além dos Defensores Públicos, participarão da escala de plantão demais servidores e estagiários", garantiu o defensor público-geral, Leó Neto.
Durante o recesso, a população poderá solucionar casos de prisão em flagrante, pedidos de habeas corpus, liberdade provisória e mandados de segurança; busca e apreensão de pessoas, bens ou valores; medida cautelar de natureza cível ou criminal; procedimentos de saúde como UTI, internamentos, cirurgias e outros considerados urgentes.