Suposto latrocínio: médico é encontrado morto na Praia da Costa

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 22/12/2018 às 07:14:00

 

Gabriel Damásio
A polícia investiga a 
morte do médico 
Iremar de Mecenas Silva, 58 anos, que foi encontrado morto por volta das 6h30 de ontem em uma casa de veraneio na Praia da Costa, Barra dos Coqueiros (Grande Aracaju). Segundo as primeiras informações apuradas, a vítima foi achada com marcas de pauladas na cabeça e pode ter sido vítima de um latrocínio (roubo seguido de morte). Iremar era neurologista, morava em Camaçari (BA), atuava em cidades da região metropolitana de Salvador e passava o natal com a família na Barra, onde sua irmã, Iracema Albuquerque, é vereadora. 
O corpo foi achado na casa por um irmão do médico, que chamou a Polícia Militar após constatar sinais de que alguém teria invadido a casa dele - e em seguida descobrir que ele estava morto. O comandante de policiamento da Capital, coronel Vivaldy Cabral, foi um dos policiais que estiveram no local e confirmou que o corpo estava na cama de um quarto e apresentava as marcas de agressões. Disse também que a suspeita de latrocínio foi levantada porque os parentes notaram a falta de alguns objetos pessoais do médico e outros que estavam na casa, como o telefone celular, uma corrente de ouro e equipamentos eletrônicos. O carro de Mecenas também estava com os pneus cortados a faca. 
"As informações que colhemos é de que não havia nenhum desentendimento da parte dele com ninguém. Foi percebida pela família a ausência desses objetos da vítima. Ainda é muito cedo pra que seja colocado qualquer tipo de definição [para o motivo do crime]. Tenho certeza absoluta de que, após a investigação, serão identificadas as pessoas, ou a pessoa que cometeu esse assassinato", disse Vivaldy, em entrevista à TV Atalaia. A mesma cautela é adotada pela equipe do delegado Marcelo Cardoso, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que ficará responsável pelas investigações. 

A polícia investiga a  morte do médico  Iremar de Mecenas Silva, 58 anos, que foi encontrado morto por volta das 6h30 de ontem em uma casa de veraneio na Praia da Costa, Barra dos Coqueiros (Grande Aracaju). Segundo as primeiras informações apuradas, a vítima foi achada com marcas de pauladas na cabeça e pode ter sido vítima de um latrocínio (roubo seguido de morte). Iremar era neurologista, morava em Camaçari (BA), atuava em cidades da região metropolitana de Salvador e passava o natal com a família na Barra, onde sua irmã, Iracema Albuquerque, é vereadora. 
O corpo foi achado na casa por um irmão do médico, que chamou a Polícia Militar após constatar sinais de que alguém teria invadido a casa dele - e em seguida descobrir que ele estava morto. O comandante de policiamento da Capital, coronel Vivaldy Cabral, foi um dos policiais que estiveram no local e confirmou que o corpo estava na cama de um quarto e apresentava as marcas de agressões. Disse também que a suspeita de latrocínio foi levantada porque os parentes notaram a falta de alguns objetos pessoais do médico e outros que estavam na casa, como o telefone celular, uma corrente de ouro e equipamentos eletrônicos. O carro de Mecenas também estava com os pneus cortados a faca. 
"As informações que colhemos é de que não havia nenhum desentendimento da parte dele com ninguém. Foi percebida pela família a ausência desses objetos da vítima. Ainda é muito cedo pra que seja colocado qualquer tipo de definição [para o motivo do crime]. Tenho certeza absoluta de que, após a investigação, serão identificadas as pessoas, ou a pessoa que cometeu esse assassinato", disse Vivaldy, em entrevista à TV Atalaia. A mesma cautela é adotada pela equipe do delegado Marcelo Cardoso, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que ficará responsável pelas investigações.