UMA GRANDE TRAGICOMÉDIA

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 27/12/2018 às 06:07:00

 

* Rômulo Rodrigues
O intervalo entre os finais dos anos de 2014 e 2018 foi suficiente para por à mostra toda a podridão moral dos que investiram contra o direito da classe trabalhadora de ter um partido político para disputar e conquistar espaços de poder.
Entre os expoentes da farsa, algumas personas bizarras ganharam o estrelato como, por exemplo, a então Âncora da TV-Veja que, após cinco minutos de proclamada a vitória de Dilma sobre Aécio, deu início a uma campanha pelo Impeachment da Presidenta.
No decorrer do golpe, perdeu o emprego mas continuou sua cantilena até ver sua vontade concretizada.
Foi bem sucedida em 2018, elegendo-se Deputada Federal, em São Paulo, pelo partido de Bolsonaro; melhor dizendo; de Steve Bannon, num time de excrementos humanos tendo, com certeza, votos dos quase mil ex-colegas de trabalho demitidos pelo grupo Abril que, com certeza, surfando no golpe, usou de fraude para demiti-los sem pagar os direitos trabalhistas.
Ela, dando demonstração do seu caráter, não levantou a voz em defesa dos que tanto trabalharam para seu sucesso e agora diz que o Ministério do Trabalho e Emprego, só serve para sufocar os Patrões.
Bem ao seu estilo, finda o ano de 2018 exibindo ostentação numa cerimônia em Curitiba quase de braço dado com o Juiz Gebran Neto, relator dos processos da Lava Jato no TRF-4, que condenou Lula, demonstrando ser um Juiz de alinhamento político com a Direita.
A fraude da Editora Abril que, nem Joyce e nem Gebran se preocupam é um pedido de recuperação judicial, para enganar credores, de uma dívida de R$ 1,6 bilhão e para tanto foi vendida por apenas R$ 100 milhões, supostamente, para o Banco do Paulo Guedes; expressando em números reais o réquiem de um grupo editorial que dedicou os últimos trinta anos a perseguir um partido político e seus líderes, com o foco de cumprir o seu papel em todos os momentos da luta de classes, para impedir que a classe trabalhadora consolide seu  partido político.
Foram mais de 900 capas da revista Veja execrando Lula, até chegar ao fim de 2018, quebrada e dando calote nos seus colaboradores e tendo que engolir a cruel realidade deste final de ano; Lula é o Personagem do ano no Brasil, derrotando-a sem lutar contra ela.
Claro que conseguiu com suas reportagens alimentar as teses da República de Curitiba que alimentava as narrativas do JN e, assim destruir a Economia do Brasil e colocar na cadeia o melhor Presidente da História do País; sendo incapaz, junto com seus parceiros de crimes, de produzir uma reportagem decente, indo atrás do paradeiro do Queiroz para desvendarem o milagre da multiplicação do patrimônio da família de Bolsonaro, aquele que poderá passar para a História como um Presidente que foi, sem nunca ter sido.
A Burguesia e seus partidos oficiosos como: o Midiático, da Justiça, do Ministério Público, do Militar, todos agindo na ilegalidade, não abrem mão, do objetivo maior que é o Estado ser um patrimônio das Elites.
Como os ditados populares são verdadeiras expressões filosóficas, vemos que estão indo com muita sede ao pote e, de tão apressados, podem acabar comendo cru.
Começaram o jogo ganhando ao hegemonizarem quase toda a Classe em Sí, amordaçarem o Judiciário e exigirem que os Militares golpistas batam continência para a Bandeira americana e tudo que ela representa enquanto Império.
Deixaram de combinar antes com os russos e, a cada dia, parecem mais assustados com as resistências Democráticas e Populares. Com isso, o reinado de Moro vai desmoronando porque, a cada dia, ele se cerca dos verdadeiros corruptos.
A grande cobertura protetora que o deixava imune para posar em convescotes ao lado de Aécio, Dória e outro corruptos sofre grande desgaste ao fugir do embate com Tacla Duran e usar trunfos para confrontar as instâncias superiores, quando seu objeto de desejo, Lula, tinha chance de botar o Pé fora da jaula. Chegou ao último degrau da loucura ao mandar revistar a casa e escritório do Advogado do esfaqueador, atrás de provas de que é Lula quem paga seus serviços.
A arrogância ou, quem sabe, ordens superiores, o fizeram sair da zona de conforto, a 13ª Vara Federal de Curitiba, para ir a campo aberto se misturar com os Porcos e, como bem diz o ditado, "quem se mistura com eles, farelo come", está agora na enrascada de lidar com casos rumorosos como o sumiço de Fabrício Queiroz, os Caixas 2 de Lorenzony, as fraudes de Paulo Guedes, as denúncias contra Damares; a Maconha, a Cocaína e a corrupção do Advogado com trânsito livre na equipe de transição e a dura realidade que vem à tona; toda a panaceia montada para fazer o combate à corrupção, dominar as mentes dos descerebrados está minguando e, por trás do palco, começam a aparecer sinais de que a operação de Curitiba esconde uma azeitada máquina de extorsão para proteger corruptos e prender inocentes.
Os resultados estão aparecendo; quebraram o Brasil, fatiaram a Petrobras, destruíram as grandes empresas de Engenharia Pesada e, noticiam com ênfase que as grandes empresas americanas se preparam para dominar o Mercado do Brasil.
O conceito implantado já vem de longe; quando um Presidente americano usa de todos os meios para que as empresas de lá atropelem o Mercado, isto é chamado de arrojo. Quando um Presidente do Brasil abriu o Mercado Internacional para as brasileiras; foi crime de corrupção.
* Rômulo Rodrigues é militante político

* Rômulo Rodrigues

O intervalo entre os finais dos anos de 2014 e 2018 foi suficiente para por à mostra toda a podridão moral dos que investiram contra o direito da classe trabalhadora de ter um partido político para disputar e conquistar espaços de poder.
Entre os expoentes da farsa, algumas personas bizarras ganharam o estrelato como, por exemplo, a então Âncora da TV-Veja que, após cinco minutos de proclamada a vitória de Dilma sobre Aécio, deu início a uma campanha pelo Impeachment da Presidenta.
No decorrer do golpe, perdeu o emprego mas continuou sua cantilena até ver sua vontade concretizada.
Foi bem sucedida em 2018, elegendo-se Deputada Federal, em São Paulo, pelo partido de Bolsonaro; melhor dizendo; de Steve Bannon, num time de excrementos humanos tendo, com certeza, votos dos quase mil ex-colegas de trabalho demitidos pelo grupo Abril que, com certeza, surfando no golpe, usou de fraude para demiti-los sem pagar os direitos trabalhistas.
Ela, dando demonstração do seu caráter, não levantou a voz em defesa dos que tanto trabalharam para seu sucesso e agora diz que o Ministério do Trabalho e Emprego, só serve para sufocar os Patrões.
Bem ao seu estilo, finda o ano de 2018 exibindo ostentação numa cerimônia em Curitiba quase de braço dado com o Juiz Gebran Neto, relator dos processos da Lava Jato no TRF-4, que condenou Lula, demonstrando ser um Juiz de alinhamento político com a Direita.
A fraude da Editora Abril que, nem Joyce e nem Gebran se preocupam é um pedido de recuperação judicial, para enganar credores, de uma dívida de R$ 1,6 bilhão e para tanto foi vendida por apenas R$ 100 milhões, supostamente, para o Banco do Paulo Guedes; expressando em números reais o réquiem de um grupo editorial que dedicou os últimos trinta anos a perseguir um partido político e seus líderes, com o foco de cumprir o seu papel em todos os momentos da luta de classes, para impedir que a classe trabalhadora consolide seu  partido político.
Foram mais de 900 capas da revista Veja execrando Lula, até chegar ao fim de 2018, quebrada e dando calote nos seus colaboradores e tendo que engolir a cruel realidade deste final de ano; Lula é o Personagem do ano no Brasil, derrotando-a sem lutar contra ela.
Claro que conseguiu com suas reportagens alimentar as teses da República de Curitiba que alimentava as narrativas do JN e, assim destruir a Economia do Brasil e colocar na cadeia o melhor Presidente da História do País; sendo incapaz, junto com seus parceiros de crimes, de produzir uma reportagem decente, indo atrás do paradeiro do Queiroz para desvendarem o milagre da multiplicação do patrimônio da família de Bolsonaro, aquele que poderá passar para a História como um Presidente que foi, sem nunca ter sido.
A Burguesia e seus partidos oficiosos como: o Midiático, da Justiça, do Ministério Público, do Militar, todos agindo na ilegalidade, não abrem mão, do objetivo maior que é o Estado ser um patrimônio das Elites.
Como os ditados populares são verdadeiras expressões filosóficas, vemos que estão indo com muita sede ao pote e, de tão apressados, podem acabar comendo cru.
Começaram o jogo ganhando ao hegemonizarem quase toda a Classe em Sí, amordaçarem o Judiciário e exigirem que os Militares golpistas batam continência para a Bandeira americana e tudo que ela representa enquanto Império.
Deixaram de combinar antes com os russos e, a cada dia, parecem mais assustados com as resistências Democráticas e Populares. Com isso, o reinado de Moro vai desmoronando porque, a cada dia, ele se cerca dos verdadeiros corruptos.
A grande cobertura protetora que o deixava imune para posar em convescotes ao lado de Aécio, Dória e outro corruptos sofre grande desgaste ao fugir do embate com Tacla Duran e usar trunfos para confrontar as instâncias superiores, quando seu objeto de desejo, Lula, tinha chance de botar o Pé fora da jaula. Chegou ao último degrau da loucura ao mandar revistar a casa e escritório do Advogado do esfaqueador, atrás de provas de que é Lula quem paga seus serviços.
A arrogância ou, quem sabe, ordens superiores, o fizeram sair da zona de conforto, a 13ª Vara Federal de Curitiba, para ir a campo aberto se misturar com os Porcos e, como bem diz o ditado, "quem se mistura com eles, farelo come", está agora na enrascada de lidar com casos rumorosos como o sumiço de Fabrício Queiroz, os Caixas 2 de Lorenzony, as fraudes de Paulo Guedes, as denúncias contra Damares; a Maconha, a Cocaína e a corrupção do Advogado com trânsito livre na equipe de transição e a dura realidade que vem à tona; toda a panaceia montada para fazer o combate à corrupção, dominar as mentes dos descerebrados está minguando e, por trás do palco, começam a aparecer sinais de que a operação de Curitiba esconde uma azeitada máquina de extorsão para proteger corruptos e prender inocentes.
Os resultados estão aparecendo; quebraram o Brasil, fatiaram a Petrobras, destruíram as grandes empresas de Engenharia Pesada e, noticiam com ênfase que as grandes empresas americanas se preparam para dominar o Mercado do Brasil.
O conceito implantado já vem de longe; quando um Presidente americano usa de todos os meios para que as empresas de lá atropelem o Mercado, isto é chamado de arrojo. Quando um Presidente do Brasil abriu o Mercado Internacional para as brasileiras; foi crime de corrupção.

* Rômulo Rodrigues é militante político