Governo promove reunião para discutir solução à escassez hídrica de Malhador

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 28/12/2018 às 07:20:00

 

Na manhã da última quinta-feira, o secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Olivier Chagas, participou de uma reunião para discutir a problemática da escassez hídrica em Malhador. O Governo do Estado está empenhado em dar uma resolução à questão. A atividade aconteceu no auditório da Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso), em Aracaju, onde todos foram recebidos pelo diretor-presidente interino, Carlos Anderson Pedreira.
"O problema de Malhador nos preocupa, afinal já tivemos uma crise forte recentemente. Agora, por causa da falta de chuva, está aceso o sinal de alerta. Por isso, estamos nos reunindo para buscar discutir o assunto e encontrar soluções que deem a garantia hídrica à cidade", comentou Olivier.
A reunião foi provocada pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), para que os técnicos da Superintendência de Recursos Hídricos (SRH) apresentassem a real situação hídrica do município malhadorense. Uma das problemáticas levantadas foi a de como conciliar o consumo humano e a continuidade da prática agrícola em uma situação de escassez.
"Em Malhador, são dois mananciais que se juntam em um só e a Deso utiliza na captação para abastecimento da cidade, mas, ao longo desses mananciais, existem umas extrações indevidas, através de irrigantes, alguns outorgados, outros não. Na reunião, foram decididas ações de todas as partes envolvidas, cada um absorvendo a parte que lhe convém com o intuito de dirimir a crise. Na eventualidade de escassez total, a prioridade é para o abastecimento humano. Mas a intenção é conseguir resolver de maneira equânime para que não haja problemas nem no abastecimento humano e na irrigação", explicou o diretor-presidente interino da Deso.
Joseane Andrade, diretora de Meio Ambiente de Malhador, acredita que as ideias foram colocadas de maneira pertinente e que, agora, basta partir para a efetividade. "A reunião foi proveitosa. Precisamos partir para a prática, afinal, estamos há quase quatro anos com falta de água em um município onde não faltava água. O sistema está entrando em colapso, é o aumento da população combinado com o desmatamento que nos deixa nessa situação. Precisamos nos unir para resolver a situação, sobretudo investido na preservação", acredita.
No final da reunião, metas foram estabelecidas para cada um dos entes envolvidos: Semarh, Deso, Prefeitura de Malhador e usuários. Uma nova reunião deverá acontecer no dia 4 de janeiro com o objetivo de apresentar o que já está sendo feito para resolver o problema. O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Sergipe também esteve representado.

Na manhã da última quinta-feira, o secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Olivier Chagas, participou de uma reunião para discutir a problemática da escassez hídrica em Malhador. O Governo do Estado está empenhado em dar uma resolução à questão. A atividade aconteceu no auditório da Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso), em Aracaju, onde todos foram recebidos pelo diretor-presidente interino, Carlos Anderson Pedreira.
"O problema de Malhador nos preocupa, afinal já tivemos uma crise forte recentemente. Agora, por causa da falta de chuva, está aceso o sinal de alerta. Por isso, estamos nos reunindo para buscar discutir o assunto e encontrar soluções que deem a garantia hídrica à cidade", comentou Olivier.
A reunião foi provocada pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), para que os técnicos da Superintendência de Recursos Hídricos (SRH) apresentassem a real situação hídrica do município malhadorense. Uma das problemáticas levantadas foi a de como conciliar o consumo humano e a continuidade da prática agrícola em uma situação de escassez.
"Em Malhador, são dois mananciais que se juntam em um só e a Deso utiliza na captação para abastecimento da cidade, mas, ao longo desses mananciais, existem umas extrações indevidas, através de irrigantes, alguns outorgados, outros não. Na reunião, foram decididas ações de todas as partes envolvidas, cada um absorvendo a parte que lhe convém com o intuito de dirimir a crise. Na eventualidade de escassez total, a prioridade é para o abastecimento humano. Mas a intenção é conseguir resolver de maneira equânime para que não haja problemas nem no abastecimento humano e na irrigação", explicou o diretor-presidente interino da Deso.
Joseane Andrade, diretora de Meio Ambiente de Malhador, acredita que as ideias foram colocadas de maneira pertinente e que, agora, basta partir para a efetividade. "A reunião foi proveitosa. Precisamos partir para a prática, afinal, estamos há quase quatro anos com falta de água em um município onde não faltava água. O sistema está entrando em colapso, é o aumento da população combinado com o desmatamento que nos deixa nessa situação. Precisamos nos unir para resolver a situação, sobretudo investido na preservação", acredita.
No final da reunião, metas foram estabelecidas para cada um dos entes envolvidos: Semarh, Deso, Prefeitura de Malhador e usuários. Uma nova reunião deverá acontecer no dia 4 de janeiro com o objetivo de apresentar o que já está sendo feito para resolver o problema. O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Sergipe também esteve representado.