Vereador sugere que PMA identifique adultos que expõem crianças pelas ruas de Aracaju

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 29/12/2018 às 07:04:00

 

O vereador Fábio Meireles (PPS) defendeu que a Prefeitura de Aracaju, através da Secretaria de Ação Social, faça uma busca ativa para identificar quem são os adultos que expõem crianças pelas ruas de Aracaju para pedir esmolas, especialmente, nesse período de final de ano.
"Há cerca de três semanas denunciei essa exploração imposta a essas crianças, em muitos casos diuturnamente, e entendi que precisávamos, também, identificar os responsáveis para saber se estão cadastrados no CadÚnico o que, naturalmente, os garante prioridade em políticas públicas de assistência", explicou Fábio.
Com a busca ativa, ressaltou Fábio Meireles, será possível conhecer a realidade desses pais ou responsáveis legais e verificar se estão inscritos no cadastro único para programas sociais. "Inclusive, estando no CadÚnico, as crianças terão prioridade de matrícula em escolas e creches, saindo das ruas, onde estão expostas a todo tipo de risco e abusos", observou o parlamentar.
Ele destacou que o cadastro é o instrumento de identificação e caracterização socioeconômica das famílias. "Ao se inscrever no CadÚnico, tem-se a análise das principais necessidades dos cidadãos, auxiliando o poder público na formulação e gestão de políticas voltadas à população de baixa ou zero renda", informou Fábio. 
O vereador fez questão de ressaltar que a sua intenção não é punir os pais, mas dá condição para que eles possam criar os seus filhos com dignidade tendo acesso às devidas políticas públicas. "Infelizmente, muitos deles não têm consciência de que estão gerando prejuízo à formação dos próprios filhos. Cabe-nos fazer esse alerta e sugerir que o poder público faça a parte que lhe cabe", disse.   

O vereador Fábio Meireles (PPS) defendeu que a Prefeitura de Aracaju, através da Secretaria de Ação Social, faça uma busca ativa para identificar quem são os adultos que expõem crianças pelas ruas de Aracaju para pedir esmolas, especialmente, nesse período de final de ano.
"Há cerca de três semanas denunciei essa exploração imposta a essas crianças, em muitos casos diuturnamente, e entendi que precisávamos, também, identificar os responsáveis para saber se estão cadastrados no CadÚnico o que, naturalmente, os garante prioridade em políticas públicas de assistência", explicou Fábio.
Com a busca ativa, ressaltou Fábio Meireles, será possível conhecer a realidade desses pais ou responsáveis legais e verificar se estão inscritos no cadastro único para programas sociais. "Inclusive, estando no CadÚnico, as crianças terão prioridade de matrícula em escolas e creches, saindo das ruas, onde estão expostas a todo tipo de risco e abusos", observou o parlamentar.
Ele destacou que o cadastro é o instrumento de identificação e caracterização socioeconômica das famílias. "Ao se inscrever no CadÚnico, tem-se a análise das principais necessidades dos cidadãos, auxiliando o poder público na formulação e gestão de políticas voltadas à população de baixa ou zero renda", informou Fábio. 
O vereador fez questão de ressaltar que a sua intenção não é punir os pais, mas dá condição para que eles possam criar os seus filhos com dignidade tendo acesso às devidas políticas públicas. "Infelizmente, muitos deles não têm consciência de que estão gerando prejuízo à formação dos próprios filhos. Cabe-nos fazer esse alerta e sugerir que o poder público faça a parte que lhe cabe", disse.