Saúde alerta para o cuidado com a proliferação do Aedes durante o verão

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 29/12/2018 às 14:44:00

 

Mesmo com o município de Aracaju encerrando o ano de 2018 com baixo risco no último Levantamento de Índice Rápido do Aedes Aegypti (LIRAa), a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) alerta que ainda é preciso que a população mantenha os cuidados para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya, sobretudo neste período de verão.
"Apesar de Aracaju ter fechado o ano com o índice 0,9 (que foi o melhor desde que começamos a usar LIRAa como norteador de ações de intensificação de combate ao mosquito), estamos no período que favorece o desenvolvimento mais rápido desse vetor, que é o verão. Aliado a isso, temos o período de férias, o feriado prolongado do Ano Novo e as chuvas esparsas como variantes que podem aumentar a proliferação. Então, para evitarmos esse aumento, precisamos cuidar das nossas casas, principalmente dos quintais, que são onde costumam haver maior proliferação do Aedes", observou a diretora de Vigilância e Atenção à Saúde (DVAS), Taise Cavalcante.
A diretora faz também um alerta sobre os cuidados que devem ser tomados para a prevenção das doenças transmitidas pelo mosquito, já que nesta época do ano, as chuvas inesperadas e o calor contribuem para uma evolução mais rápida do Aedes.
"O cuidado precisa ser redobrado para eliminar todo e qualquer local que possa acumular água limpa e parada que vai favorecer o desenvolvimento do Aedes. Também este é o período em que recebemos muitos turistas e a cidade fica cheia. Nós fazemos todo um trabalho de intensificação para preparar o ambiente para esta época, que é a aplicação do fumacê costal em locais específicos e a orientação da comunidade", explicou.
Cuidado permanente - Durante o ano, a SMS realizou várias ações como o recolhimento de mais de 50 mil pneus, além de várias visitas dos agentes de endemias de casa em casa. As atividades irão continuar a partir do 02 de janeiro, com os mutirões aos sábados do dia 12, no bairro Getúlio Vargas, e do dia 26, na Farolândia.
Mas, além das ações, o coordenador do Programa Municipal de Controle do Aedes, Jeferson Santana, reforça que o cuidado no combate a proliferação do mosquito deve ser permanente também pela própria população, principalmente nesta época. "Sabemos que neste período de férias as pessoas viajam, saem daqui de Aracaju, vão para outros estados e municípios e deixam os depósitos em casa, às vezes até com água, quando retornam, o foco do Aedes aegypti já está instalado e da mesma forma as pessoas que vem de lá para cá, às vezes vem doente, trazendo o vírus para cá. Então temos que estar atentos", frisou.
Em caso de dúvida, o cidadão pode entrar em contato com a SMS, através dos canais de Ouvidoria pelo número 156 e para o da Vigilância em Saúde (3711-5042). "Precisamos muito da ajuda da população. Não deve deixar depósitos com água como garrafas, pneus, vasos de plantas, porque devem estar em local coberto protegidos das chuvas. Se a pessoa vai viajar e passar muitos dias fora de casa não tem motivo para deixar recipientes com água acumulada. Deixa tudo sequinho e quando retornar faz a limpeza do depósito e coloca água limpa", orientou Jeferson.
Dados - Neste ano, foram notificados 233 casos de dengue, 159 de chikungunya e 29 de zika, sendo confirmados 57 de dengue, 12 de chikungunya e somente um de zika.

Mesmo com o município de Aracaju encerrando o ano de 2018 com baixo risco no último Levantamento de Índice Rápido do Aedes Aegypti (LIRAa), a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) alerta que ainda é preciso que a população mantenha os cuidados para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya, sobretudo neste período de verão.
"Apesar de Aracaju ter fechado o ano com o índice 0,9 (que foi o melhor desde que começamos a usar LIRAa como norteador de ações de intensificação de combate ao mosquito), estamos no período que favorece o desenvolvimento mais rápido desse vetor, que é o verão. Aliado a isso, temos o período de férias, o feriado prolongado do Ano Novo e as chuvas esparsas como variantes que podem aumentar a proliferação. Então, para evitarmos esse aumento, precisamos cuidar das nossas casas, principalmente dos quintais, que são onde costumam haver maior proliferação do Aedes", observou a diretora de Vigilância e Atenção à Saúde (DVAS), Taise Cavalcante.
A diretora faz também um alerta sobre os cuidados que devem ser tomados para a prevenção das doenças transmitidas pelo mosquito, já que nesta época do ano, as chuvas inesperadas e o calor contribuem para uma evolução mais rápida do Aedes.
"O cuidado precisa ser redobrado para eliminar todo e qualquer local que possa acumular água limpa e parada que vai favorecer o desenvolvimento do Aedes. Também este é o período em que recebemos muitos turistas e a cidade fica cheia. Nós fazemos todo um trabalho de intensificação para preparar o ambiente para esta época, que é a aplicação do fumacê costal em locais específicos e a orientação da comunidade", explicou.

Cuidado permanente - Durante o ano, a SMS realizou várias ações como o recolhimento de mais de 50 mil pneus, além de várias visitas dos agentes de endemias de casa em casa. As atividades irão continuar a partir do 02 de janeiro, com os mutirões aos sábados do dia 12, no bairro Getúlio Vargas, e do dia 26, na Farolândia.
Mas, além das ações, o coordenador do Programa Municipal de Controle do Aedes, Jeferson Santana, reforça que o cuidado no combate a proliferação do mosquito deve ser permanente também pela própria população, principalmente nesta época. "Sabemos que neste período de férias as pessoas viajam, saem daqui de Aracaju, vão para outros estados e municípios e deixam os depósitos em casa, às vezes até com água, quando retornam, o foco do Aedes aegypti já está instalado e da mesma forma as pessoas que vem de lá para cá, às vezes vem doente, trazendo o vírus para cá. Então temos que estar atentos", frisou.
Em caso de dúvida, o cidadão pode entrar em contato com a SMS, através dos canais de Ouvidoria pelo número 156 e para o da Vigilância em Saúde (3711-5042). "Precisamos muito da ajuda da população. Não deve deixar depósitos com água como garrafas, pneus, vasos de plantas, porque devem estar em local coberto protegidos das chuvas. Se a pessoa vai viajar e passar muitos dias fora de casa não tem motivo para deixar recipientes com água acumulada. Deixa tudo sequinho e quando retornar faz a limpeza do depósito e coloca água limpa", orientou Jeferson.

Dados - Neste ano, foram notificados 233 casos de dengue, 159 de chikungunya e 29 de zika, sendo confirmados 57 de dengue, 12 de chikungunya e somente um de zika.