Matadouro de Canindé é desativado por ordem judicial

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O Matadouro de Canindé também foi desativado
O Matadouro de Canindé também foi desativado

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 03/01/2019 às 06:11:00

 

Por decisão judicial, todos os serviços antes realizados diariamente no Matadouro Municipal de Canindé do São Francisco estão suspensos por tempo indeterminado. A medida ocorre desde a manhã da última terça-feira, 01. A medida foi protocolada no ano passado através de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre o município e o Ministério Público do Estado de Sergipe. Na avaliação da Promotoria de Justiça da Comarca de Canindé de São Francisco, o parecer técnico da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), a qual indica falta de condições para o funcionamento do matadouro, deixou claro a necessidade de interdição.
Diante das irregularidades operacionais e administrativas do ambiente, a Prefeitura de Canindé se comprometeu em, no prazo máximo de 120 dias, implantar um sistema de refrigeração para a revenda de carnes para o consumo humano, especialmente em locais de feiras livres. Uma tentativa de reparar os problemas, mostrar e comprovar ao poder público fiscalizatório a mudança de cenário, e, em seguida após conquistar alvará de funcionamento, voltar a operar. Compreendendo a grandiosidade da obra de reforma e as dificuldades financeiras que a maioria dos municípios brasileiros enfrentam, a própria prefeitura informou que esse prazo de quatro meses pode variar para mais.
Na perspectiva de respeitar as determinações judiciais, prefeitura garante ter suspendido de forma integral todos os serviços. Caso a decisão seja desrespeitada, a pena imposta pelo Ministério Público é de R$ 300 mil e multas diárias no valor de R$ 100. O Termo de Ajuste de Conduta foi assinado no dia 5 de dezembro. A falta de manutenção continua do ambiente contribui para que cerca de 70 marchantes sejam obrigados a procurar outros locais para fazer. Outros 40 fateiros entram no mesmo agrupamento de desempregados. Por ser apontado com o de melhor qualidade é mais próximo, o abatedouro em Paulo Afonso (BA), foi apontado pelo próprio município sergipano como o mais apto para receber a demanda antes de Canindé.
De acordo com o secretário da Agricultura, Rildo Joaquim Carvalho da Silva, a situação do matadouro já vem sendo discutida desde a gestão passada e por isso a prefeitura anunciou que vai fechar de uma vez por todas o matadouro. "Realmente não se trata de um assunto novo que nos causou surpresa. Os problemas envolvendo o matadouro de Canindé do São Francisco tem sido discutido com frequência, mas infelizmente os problemas realmente são muitos e por esse motivo a alternativa mais sensata para o momento foi atender e respeitar a ordem judicial e trabalhar para que nesses 120 dias possamos conseguir reparar cada irregularidade incluída no relatório da Emdagro", disse.
Questionado quanto a situação enfrentada por mais de 100 trabalhadores, o secretário garantiu que o município está atento à situação e buscando minimizar os efeitos negativos inevitavelmente gerados pelo contratempo. "Realizamos reuniões periódicas para tentar buscar soluções também para essa situação. Infelizmente o fechamento do matadouro se fez necessário e consequentemente a medida resultou em bloqueio dos trabalho para esses profissionais. Volto a enaltecer que a Prefeitura de Canindé do São Francisco está atenta a esta situação e buscando solucionar o problema em definitivo", concluiu. (Milton Alves Júnior)

Por decisão judicial, todos os serviços antes realizados diariamente no Matadouro Municipal de Canindé do São Francisco estão suspensos por tempo indeterminado. A medida ocorre desde a manhã da última terça-feira, 01. A medida foi protocolada no ano passado através de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre o município e o Ministério Público do Estado de Sergipe. Na avaliação da Promotoria de Justiça da Comarca de Canindé de São Francisco, o parecer técnico da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), a qual indica falta de condições para o funcionamento do matadouro, deixou claro a necessidade de interdição.
Diante das irregularidades operacionais e administrativas do ambiente, a Prefeitura de Canindé se comprometeu em, no prazo máximo de 120 dias, implantar um sistema de refrigeração para a revenda de carnes para o consumo humano, especialmente em locais de feiras livres. Uma tentativa de reparar os problemas, mostrar e comprovar ao poder público fiscalizatório a mudança de cenário, e, em seguida após conquistar alvará de funcionamento, voltar a operar. Compreendendo a grandiosidade da obra de reforma e as dificuldades financeiras que a maioria dos municípios brasileiros enfrentam, a própria prefeitura informou que esse prazo de quatro meses pode variar para mais.
Na perspectiva de respeitar as determinações judiciais, prefeitura garante ter suspendido de forma integral todos os serviços. Caso a decisão seja desrespeitada, a pena imposta pelo Ministério Público é de R$ 300 mil e multas diárias no valor de R$ 100. O Termo de Ajuste de Conduta foi assinado no dia 5 de dezembro. A falta de manutenção continua do ambiente contribui para que cerca de 70 marchantes sejam obrigados a procurar outros locais para fazer. Outros 40 fateiros entram no mesmo agrupamento de desempregados. Por ser apontado com o de melhor qualidade é mais próximo, o abatedouro em Paulo Afonso (BA), foi apontado pelo próprio município sergipano como o mais apto para receber a demanda antes de Canindé.
De acordo com o secretário da Agricultura, Rildo Joaquim Carvalho da Silva, a situação do matadouro já vem sendo discutida desde a gestão passada e por isso a prefeitura anunciou que vai fechar de uma vez por todas o matadouro. "Realmente não se trata de um assunto novo que nos causou surpresa. Os problemas envolvendo o matadouro de Canindé do São Francisco tem sido discutido com frequência, mas infelizmente os problemas realmente são muitos e por esse motivo a alternativa mais sensata para o momento foi atender e respeitar a ordem judicial e trabalhar para que nesses 120 dias possamos conseguir reparar cada irregularidade incluída no relatório da Emdagro", disse.
Questionado quanto a situação enfrentada por mais de 100 trabalhadores, o secretário garantiu que o município está atento à situação e buscando minimizar os efeitos negativos inevitavelmente gerados pelo contratempo. "Realizamos reuniões periódicas para tentar buscar soluções também para essa situação. Infelizmente o fechamento do matadouro se fez necessário e consequentemente a medida resultou em bloqueio dos trabalho para esses profissionais. Volto a enaltecer que a Prefeitura de Canindé do São Francisco está atenta a esta situação e buscando solucionar o problema em definitivo", concluiu. (Milton Alves Júnior)