Homem é flagrado vendendo drogas sintéticas na Cinelândia

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
\"Bala\" foi preso com 126 comprimidos de ecstasy, conhecido como \'bala\'
\"Bala\" foi preso com 126 comprimidos de ecstasy, conhecido como \'bala\'

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 05/01/2019 às 06:32:00

 

Gabriel Damásio
Policiais civis do Depar-
tamento de Narcóti-
cos (Denarc) prenderam nesta quinta-feira um homem suspeito de traficar drogas sintéticas a frequentadores da Praia da Cinelândia, na Coroa do Meio (zona sul de Aracaju). Felipe Gabriel Santos de Aguiar, o 'Felipe Magro', 30 anos, foi flagrado pelos investigadores depois de uma campana e, ao ser detido, estava em um carro com 126 comprimidos de ecstasy, conhecido como 'bala'. Ontem, em audiência de custódia, Felipe teve a autuação em flagrante convertida em prisão preventiva pela juíza plantonista Gardênia Carmelo Prado, passando a responder a processo pelo crime de tráfico de drogas. 
Segundo o Denarc, os agentes do departamento trabalhavam no caso desde outubro do ano passado, quando haviam recebido denúncias anônimas sobre uma pessoa conhecida como "Felipe Magro", proprietário de uma loja de equipamentos veiculares localizada no conjunto Marcos Freire II, em Nossa Senhora do Socorro (Grande Aracaju). Segundo a denúncia, ele frequentava a praia da Cinelândia, fazendo uso de um veículo Corolla de cor preta, e vendia drogas sintéticas, como ecstasy e LSD, aos frequentadores da área.
Na tarde da quinta-feira, os policiais realizavam levantamentos na região e visualizaram o veículo suspeito estacionado na Cinelândia. Os agentes então realizaram uma campana e, pouco depois, um suspeito aproximou-se do veículo parado. Neste momento, o homem que estava dentro do carro, baixou o vidro e entregou uma embalagem plástica ao rapaz. Diante desta atitude, os policiais decidiram realizar a abordagem e flagraram o repasse de drogas sintéticas ao cidadão que havia chegado ao local. Os policiais constataram a presença dos comprimidos de ecstasy e gravaram o momento em que o suspeito retirava a droga de um compartimento de dentro do carro. Felipe recebeu voz de prisão, levado ao Denarc e autuado em flagrante. 
Na decisão que confirmou sua prisão, a juíza Gardênia Prado usou como justificativas a garantia da ordem pública e a gravidade do crime atribuído. "Há que se destacar, neste aspecto, a natureza do crime tido como praticado pelo flagranteado (tráfico de drogas), causa relevante estrago à sociedade local, comprometendo a saúde de diversas pessoas que, uma vez envolvidas, dificilmente conseguem se libertar deste flagelo, pelo que merece uma maior atuação do Judiciário em seu combate. Por estas razões, e para fim de garantir a ordem pública, fica demonstrado incabível na espécie a liberdade provisória, ainda que, com imposição de cautelares, (...) as quais se mostram desproporcionais e incompatíveis com a gravidade em concreto do delito em tela, que não seja a de prisão preventiva", escreveu a magistrada.

Policiais civis do Departamento de Narcóticos (Denarc) prenderam nesta quinta-feira um homem suspeito de traficar drogas sintéticas a frequentadores da Praia da Cinelândia, na Coroa do Meio (zona sul de Aracaju). Felipe Gabriel Santos de Aguiar, o 'Felipe Magro', 30 anos, foi flagrado pelos investigadores depois de uma campana e, ao ser detido, estava em um carro com 126 comprimidos de ecstasy, conhecido como 'bala'. Ontem, em audiência de custódia, Felipe teve a autuação em flagrante convertida em prisão preventiva pela juíza plantonista Gardênia Carmelo Prado, passando a responder a processo pelo crime de tráfico de drogas. 
Segundo o Denarc, os agentes do departamento trabalhavam no caso desde outubro do ano passado, quando haviam recebido denúncias anônimas sobre uma pessoa conhecida como "Felipe Magro", proprietário de uma loja de equipamentos veiculares localizada no conjunto Marcos Freire II, em Nossa Senhora do Socorro (Grande Aracaju). Segundo a denúncia, ele frequentava a praia da Cinelândia, fazendo uso de um veículo Corolla de cor preta, e vendia drogas sintéticas, como ecstasy e LSD, aos frequentadores da área.
Na tarde da quinta-feira, os policiais realizavam levantamentos na região e visualizaram o veículo suspeito estacionado na Cinelândia. Os agentes então realizaram uma campana e, pouco depois, um suspeito aproximou-se do veículo parado. Neste momento, o homem que estava dentro do carro, baixou o vidro e entregou uma embalagem plástica ao rapaz. Diante desta atitude, os policiais decidiram realizar a abordagem e flagraram o repasse de drogas sintéticas ao cidadão que havia chegado ao local. Os policiais constataram a presença dos comprimidos de ecstasy e gravaram o momento em que o suspeito retirava a droga de um compartimento de dentro do carro. Felipe recebeu voz de prisão, levado ao Denarc e autuado em flagrante. 
Na decisão que confirmou sua prisão, a juíza Gardênia Prado usou como justificativas a garantia da ordem pública e a gravidade do crime atribuído. "Há que se destacar, neste aspecto, a natureza do crime tido como praticado pelo flagranteado (tráfico de drogas), causa relevante estrago à sociedade local, comprometendo a saúde de diversas pessoas que, uma vez envolvidas, dificilmente conseguem se libertar deste flagelo, pelo que merece uma maior atuação do Judiciário em seu combate. Por estas razões, e para fim de garantir a ordem pública, fica demonstrado incabível na espécie a liberdade provisória, ainda que, com imposição de cautelares, (...) as quais se mostram desproporcionais e incompatíveis com a gravidade em concreto do delito em tela, que não seja a de prisão preventiva", escreveu a magistrada.