Bombeiros tentam reduzir casos de afogamentos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
APESAR DAS CAMPANHAS EDUCATIVAS DO CORPO DE BOMBEIROS, OS CASOS DE AFOGAMENTOS NAS PRAIAS E RIOS DO ESTADO CONTINUAM AUMENTANDO
APESAR DAS CAMPANHAS EDUCATIVAS DO CORPO DE BOMBEIROS, OS CASOS DE AFOGAMENTOS NAS PRAIAS E RIOS DO ESTADO CONTINUAM AUMENTANDO

Bombeiros recolhem corpo de vítima de afogamento
Bombeiros recolhem corpo de vítima de afogamento

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 05/01/2019 às 15:10:00

 

Milton Alves Júnior
Profissionais do Corpo 
de Bombeiros Militar 
seguem intensificando as ações educativas com a proposta de conscientizar banhistas sergipanos e turistas quanto aos riscos de afogamento. As orientações ocorrem diariamente neste verão nos principais pontos da região litorânea, com foco especial, aos pais que acompanham os filhos. A medida preventiva se estende ainda aos pescadores. Conforme dados apresentados pela Secretaria de Estado da Segurança Pública, no ano passado foram registrados 3.918 ocorrências protocoladas pelo Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), indicando afogamento. O Instituto Médico Legal registrou mais de 80 óbitos por afogamento no mesmo período.
Na manhã da última sexta-feira, quatro pessoas foram resgatadas no litoral sergipano após a embarcação em que estavam ter naufragado. Os tripulantes eram pescadores e foram retirados do água com o apoio do empresário Bruno Graça Guedes. Minutos após o acidente o empresário passeava com a respectiva lancha pela região quando foi comunicado do sinistro e decidiu seguir para o local indicado. Com a utilização de coletes salva-vidas os pescadores foram resgatados e encaminhado para o litoral. A informação apresentada é que um problema técnico acabou fazendo com que a água invadisse o barco e ele afundasse.
"A sorte é que estava em momento de lazer perto do local do acidente quando fomos informados do acidente. Fizemos de tudo para seguir até o local exato com segurança para evitar um novo acidente. Encontramos a tripulação, conseguimos acomoda-los na lancha e conduzir até a pista. Fico feliz não apenas por poder ter ajudado no resgate, mas principalmente por todos terem sobrevivido", declarou Bruno Graça que concluiu dizendo: "nossa ação foi importante, mas não posso deixar de destacar o ato principal que foi a utilização de coletes. Sem isso, por mais que eu tentasse ajudar, o fim poderia ser trágico". Sobre o acidente a Marinha do Brasil emitiu uma nota oficial confirmando a versão apresentada pelo empresário.
"Recebemos a informação de que uma embarcação de esporte e recreio havia naufragado nas proximidades de uma das plataformas de petróleo situadas na Costa de Sergipe. Ao averiguar as informações, foi constatado que todos os quatro tripulantes utilizavam coletes salva-vidas e foram resgatados sem nenhum tipo de ferimento por outra embarcação que estava nas proximidades. As causas, circunstâncias e responsabilidades pelo ocorrido serão determinadas em inquérito instaurado pela Marinha do Brasil". Sem a mesma sorte, na manhã do dia 14 de dezembro equipes do Grupamento Marítimo Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (GMar), resgataram ainda com vida o alagoano, José Fábio Pereira, de 39 anos.
Vítima de afogamento enquanto se banhava na Praia de Atalaia, nas mediações dos arcos da Orla, populares flagraram o acidente, e conseguiram remover da água o banhista ainda com vida. Ainda respirando ele chegou a ser encaminhado para a Unidade de Pronto Atendimento Fernando Franco, no bairro Augusto Franco. Apesar dos esforços coletivos José Fábio Pereira acabou falecendo. O Corpo de Bombeiros aponta todas as praias, desde Mosqueiro até Coroa do Meio, como as zonas de maior perigo na faixa litorânea. Essa região é a mais utilizada pelos sergipanos em dia de sol.
"Todas as praias, desde Mosqueiro até Coroa do Meio, estão perigosas. Existem aquelas piscinas naturais, mas o banhistas costumam passar delas para o encontro das ondas e corre o risco da correnteza o levar para a parte mais profunda. E é aí que costuma acontecer o afogamento. Para evitar esse tipo de fatalidade o CBM tem intensificado o diálogo com os banhistas e acompanhantes. Em tempo integral possuímos bases de apoio operacional para minimizar os riscos de afogamentos. Pedimos apenas atenção redobrada por parte de todos", declarou o comandante do GMar, coronel Hector Monteiro.
Novo caso - Na manhã de ontem uma equipe do Grupamento Marítimo do Corpo de Bombeiros localizou o corpo do sargento da Polícia Militar, identificado como Aldo Bispo da Conceição, de 49 anos, que morreu vítima de afogado. As buscas para localizar o corpo da vítima iniciaram ainda na tarde da última sexta-feira, 4, mas foi localizado na manhã deste sábado, em uma barragem do povoado Cajaíba, no município de Itabaiana.

Profissionais do Corpo  de Bombeiros Militar  seguem intensificando as ações educativas com a proposta de conscientizar banhistas sergipanos e turistas quanto aos riscos de afogamento. As orientações ocorrem diariamente neste verão nos principais pontos da região litorânea, com foco especial, aos pais que acompanham os filhos. A medida preventiva se estende ainda aos pescadores. Conforme dados apresentados pela Secretaria de Estado da Segurança Pública, no ano passado foram registrados 3.918 ocorrências protocoladas pelo Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), indicando afogamento. O Instituto Médico Legal registrou mais de 80 óbitos por afogamento no mesmo período.
Na manhã da última sexta-feira, quatro pessoas foram resgatadas no litoral sergipano após a embarcação em que estavam ter naufragado. Os tripulantes eram pescadores e foram retirados do água com o apoio do empresário Bruno Graça Guedes. Minutos após o acidente o empresário passeava com a respectiva lancha pela região quando foi comunicado do sinistro e decidiu seguir para o local indicado. Com a utilização de coletes salva-vidas os pescadores foram resgatados e encaminhado para o litoral. A informação apresentada é que um problema técnico acabou fazendo com que a água invadisse o barco e ele afundasse.
"A sorte é que estava em momento de lazer perto do local do acidente quando fomos informados do acidente. Fizemos de tudo para seguir até o local exato com segurança para evitar um novo acidente. Encontramos a tripulação, conseguimos acomoda-los na lancha e conduzir até a pista. Fico feliz não apenas por poder ter ajudado no resgate, mas principalmente por todos terem sobrevivido", declarou Bruno Graça que concluiu dizendo: "nossa ação foi importante, mas não posso deixar de destacar o ato principal que foi a utilização de coletes. Sem isso, por mais que eu tentasse ajudar, o fim poderia ser trágico". Sobre o acidente a Marinha do Brasil emitiu uma nota oficial confirmando a versão apresentada pelo empresário.
"Recebemos a informação de que uma embarcação de esporte e recreio havia naufragado nas proximidades de uma das plataformas de petróleo situadas na Costa de Sergipe. Ao averiguar as informações, foi constatado que todos os quatro tripulantes utilizavam coletes salva-vidas e foram resgatados sem nenhum tipo de ferimento por outra embarcação que estava nas proximidades. As causas, circunstâncias e responsabilidades pelo ocorrido serão determinadas em inquérito instaurado pela Marinha do Brasil". Sem a mesma sorte, na manhã do dia 14 de dezembro equipes do Grupamento Marítimo Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (GMar), resgataram ainda com vida o alagoano, José Fábio Pereira, de 39 anos.
Vítima de afogamento enquanto se banhava na Praia de Atalaia, nas mediações dos arcos da Orla, populares flagraram o acidente, e conseguiram remover da água o banhista ainda com vida. Ainda respirando ele chegou a ser encaminhado para a Unidade de Pronto Atendimento Fernando Franco, no bairro Augusto Franco. Apesar dos esforços coletivos José Fábio Pereira acabou falecendo. O Corpo de Bombeiros aponta todas as praias, desde Mosqueiro até Coroa do Meio, como as zonas de maior perigo na faixa litorânea. Essa região é a mais utilizada pelos sergipanos em dia de sol.
"Todas as praias, desde Mosqueiro até Coroa do Meio, estão perigosas. Existem aquelas piscinas naturais, mas o banhistas costumam passar delas para o encontro das ondas e corre o risco da correnteza o levar para a parte mais profunda. E é aí que costuma acontecer o afogamento. Para evitar esse tipo de fatalidade o CBM tem intensificado o diálogo com os banhistas e acompanhantes. Em tempo integral possuímos bases de apoio operacional para minimizar os riscos de afogamentos. Pedimos apenas atenção redobrada por parte de todos", declarou o comandante do GMar, coronel Hector Monteiro.

Novo caso - Na manhã de ontem uma equipe do Grupamento Marítimo do Corpo de Bombeiros localizou o corpo do sargento da Polícia Militar, identificado como Aldo Bispo da Conceição, de 49 anos, que morreu vítima de afogado. As buscas para localizar o corpo da vítima iniciaram ainda na tarde da última sexta-feira, 4, mas foi localizado na manhã deste sábado, em uma barragem do povoado Cajaíba, no município de Itabaiana.