CONFUSÃO TOTAL

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 10/01/2019 às 06:31:00

 

* Rômulo Rodrigues
O momento de profundo desequilíbrio dos que assumiram o comando do Brasil, sem saber para onde levar o País, mesmo refletido na total incapacidade política, não deixa de ser um reflexo do principal; a confusão na Economia e aí, vale a pena refletir; é a Economia, estúpidos.
Por todas essas confusões é que após uma semana de empossado já se sente um clima de fim de Governo.
Não tem Economia que resista tendo como única proposta real tirar 8 reais mensais de uma massa de 67 milhões da PEA. Isto representa R$ 536 milhões que deixam de circular no pequeno Comércio e Feiras Livres e que sustentam os negócios nas periferias e nas pequenas Cidades e Vilarejos; dinheiro com grande poder de multiplicação.
Acrescente-se aí, que do final de 2014 para cá, o golpe rebaixou o Salário mínimo em R$ 200 todo mês. Na progressão dos Governos Lula e Dilma o SM era para estar em R$ 1.198,00 e não os R$ 998,00 atuais. Multiplique o que vai deixar de circular com o rebaixamento em voga por 25 e veja o tamanho do rombo na Economia Real.
Para piorar, ainda mais, o caos instalado no alto comando do Governo, já assume o protagonismo de horror.
A toda hora alguém desmente outrem; Mourão mais outros Generais desautorizaram o Presidente nas questões da mudança da Embaixada de Israel e na instalação da Base Militar e a segunda semana começa com Guedes tentando enquadrar o chefe e recebendo de volta um: "quem manda sou eu".
Parece que a Lua de Mel com a mídia corporativa, que foi fundamental, no golpe e na eleição, está chegando ao fim, quando Faustão manda recado direto, sem nenhuma sutileza, da família Marinho: "O imbecil que está lá".
Um presente de grego dado à classe média que votou no coiso veio do Presidente da Caixa Econômica Federal em tom de aviso: "quem é classe média tem que pagar mais". Ou vai buscar no Santander, no Bradesco, no Itaú. Na CEF vai pagar juros maior que na Minha Casa Minha Vida, certamente, e vai ser juros de mercado".
A segunda semana começa com a primeira baixa, no segundo escalão, é verdade, com o pedido de demissão da presidente do IBAMA, após ofensas do Ministro Ricardo Salles, que é  alvo de ações judiciais, tendo sido condenado e teve seus direitos políticos suspensos por três anos, por improbidades administrativas e que deve cair em breve, quando o tiroteio aumentar.
Falando em tiroteio, no escalão maior, já começou. Na semana anterior ficou exposta a enorme fratura do Saco de Gato que é o primeiro escalão do Governo.
O Presidente falou e o vice desmentiu; o Presidente falou e o Guedes desmentiu; o Guedes falou e o Mourão desmentiu; o Presidente falou e garantiu e o Lorenzoni desmentiu. Para fechar; o Presidente falou e o Secretário da Receita, do segundo escalão, desmentiu.
O certo é que, a realidade de absoluta confusão é algo que ninguém consegue esconder por trás da cortina de tanta imbecilidade.
Para baldear mais a água, o tecido social do Governo já é o pior da História; o Léo Pinheiro, que absolveu Lula em três depoimentos está preso mas só teve sua pena reduzida após acusar Lula no processo do Triplex do Guarujá, ganhou como presente de Natal indicar o genro presidente da CEF.
Assim como deu um poderoso Ministério a quem o fez Presidente, o cara que Faustão homenageou, deu um prêmio a quem financiava as suas campanhas.
Para início da segunda semana de um Governo que parece já estar no fim, vem uma solução rápida para enfrentar a corrupção. O Presidente e o Ex-Juiz resolveram rapidamente o caso Queiroz; mandaram o COAF ficar calado sobre o caso e não se fala mais nisto.
O quadro fica perigoso porque, sem saída, o grupo que assumiu o poder tenderá radicalizar por não ter respostas para a crise, criada por eles mesmos.
De graça parte para o ataque contra Cuba e bate com a cara na realidade; em Los Angeles são 58 mil moradores de rua; em São Paulo tem 16 mil e em Havana não tem um sequer.
No discurso de posse, o cara que Faustão elogiou disse: "vamos libertar o povo do socialismo". Ele não sabe que Socialismo é uma doutrina política e econômica que surgiu em fins do século 18 e propõe, entre outras coisas, a luta pela transformação da sociedade através da distribuição equilibrada de propriedades e riquezas, diminuindo as distâncias entre ricos e pobres.
O centro da questão é que, antes do golpe, o Brasil já era a sexta economia mundial, a oitava no Ranking de poder de compra, alcançou U$ 200 bilhões em Comércio Exterior; estava no BRIC'S e no G-20.
O brasileiro tinha emprego, o gás custava R$30,00; a gasolina R$ 2,78; o salário mínimo alcançou U$ 335; o pobre fazia churrasco em final de semana; lotava aeroportos; o comércio bombava e o Nordeste vivia sua maior abundância. É isso que ele chama de Socialismo e dispara seus Canhões.
Para legitimar a confusão, preparam duas medidas contra a Democracia; 1) reforma partidária que proíba a palavra Partido e, 2) adiar as eleições de 2020, com a desculpa de as novas agremiações terem tempo para se organizarem.
Como tática correta e necessária é urgente que o PT e demais Partidos progressistas antecipem as discussões das eleições de Prefeitos e Vereadores em todos os Municípios.
* Rômulo Rodrigues é militante político

* Rômulo Rodrigues

O momento de profundo desequilíbrio dos que assumiram o comando do Brasil, sem saber para onde levar o País, mesmo refletido na total incapacidade política, não deixa de ser um reflexo do principal; a confusão na Economia e aí, vale a pena refletir; é a Economia, estúpidos.
Por todas essas confusões é que após uma semana de empossado já se sente um clima de fim de Governo.
Não tem Economia que resista tendo como única proposta real tirar 8 reais mensais de uma massa de 67 milhões da PEA. Isto representa R$ 536 milhões que deixam de circular no pequeno Comércio e Feiras Livres e que sustentam os negócios nas periferias e nas pequenas Cidades e Vilarejos; dinheiro com grande poder de multiplicação.
Acrescente-se aí, que do final de 2014 para cá, o golpe rebaixou o Salário mínimo em R$ 200 todo mês. Na progressão dos Governos Lula e Dilma o SM era para estar em R$ 1.198,00 e não os R$ 998,00 atuais. Multiplique o que vai deixar de circular com o rebaixamento em voga por 25 e veja o tamanho do rombo na Economia Real.
Para piorar, ainda mais, o caos instalado no alto comando do Governo, já assume o protagonismo de horror.
A toda hora alguém desmente outrem; Mourão mais outros Generais desautorizaram o Presidente nas questões da mudança da Embaixada de Israel e na instalação da Base Militar e a segunda semana começa com Guedes tentando enquadrar o chefe e recebendo de volta um: "quem manda sou eu".
Parece que a Lua de Mel com a mídia corporativa, que foi fundamental, no golpe e na eleição, está chegando ao fim, quando Faustão manda recado direto, sem nenhuma sutileza, da família Marinho: "O imbecil que está lá".
Um presente de grego dado à classe média que votou no coiso veio do Presidente da Caixa Econômica Federal em tom de aviso: "quem é classe média tem que pagar mais". Ou vai buscar no Santander, no Bradesco, no Itaú. Na CEF vai pagar juros maior que na Minha Casa Minha Vida, certamente, e vai ser juros de mercado".
A segunda semana começa com a primeira baixa, no segundo escalão, é verdade, com o pedido de demissão da presidente do IBAMA, após ofensas do Ministro Ricardo Salles, que é  alvo de ações judiciais, tendo sido condenado e teve seus direitos políticos suspensos por três anos, por improbidades administrativas e que deve cair em breve, quando o tiroteio aumentar.
Falando em tiroteio, no escalão maior, já começou. Na semana anterior ficou exposta a enorme fratura do Saco de Gato que é o primeiro escalão do Governo.
O Presidente falou e o vice desmentiu; o Presidente falou e o Guedes desmentiu; o Guedes falou e o Mourão desmentiu; o Presidente falou e garantiu e o Lorenzoni desmentiu. Para fechar; o Presidente falou e o Secretário da Receita, do segundo escalão, desmentiu.
O certo é que, a realidade de absoluta confusão é algo que ninguém consegue esconder por trás da cortina de tanta imbecilidade.
Para baldear mais a água, o tecido social do Governo já é o pior da História; o Léo Pinheiro, que absolveu Lula em três depoimentos está preso mas só teve sua pena reduzida após acusar Lula no processo do Triplex do Guarujá, ganhou como presente de Natal indicar o genro presidente da CEF.
Assim como deu um poderoso Ministério a quem o fez Presidente, o cara que Faustão homenageou, deu um prêmio a quem financiava as suas campanhas.
Para início da segunda semana de um Governo que parece já estar no fim, vem uma solução rápida para enfrentar a corrupção. O Presidente e o Ex-Juiz resolveram rapidamente o caso Queiroz; mandaram o COAF ficar calado sobre o caso e não se fala mais nisto.
O quadro fica perigoso porque, sem saída, o grupo que assumiu o poder tenderá radicalizar por não ter respostas para a crise, criada por eles mesmos.
De graça parte para o ataque contra Cuba e bate com a cara na realidade; em Los Angeles são 58 mil moradores de rua; em São Paulo tem 16 mil e em Havana não tem um sequer.
No discurso de posse, o cara que Faustão elogiou disse: "vamos libertar o povo do socialismo". Ele não sabe que Socialismo é uma doutrina política e econômica que surgiu em fins do século 18 e propõe, entre outras coisas, a luta pela transformação da sociedade através da distribuição equilibrada de propriedades e riquezas, diminuindo as distâncias entre ricos e pobres.
O centro da questão é que, antes do golpe, o Brasil já era a sexta economia mundial, a oitava no Ranking de poder de compra, alcançou U$ 200 bilhões em Comércio Exterior; estava no BRIC'S e no G-20.
O brasileiro tinha emprego, o gás custava R$30,00; a gasolina R$ 2,78; o salário mínimo alcançou U$ 335; o pobre fazia churrasco em final de semana; lotava aeroportos; o comércio bombava e o Nordeste vivia sua maior abundância. É isso que ele chama de Socialismo e dispara seus Canhões.
Para legitimar a confusão, preparam duas medidas contra a Democracia; 1) reforma partidária que proíba a palavra Partido e, 2) adiar as eleições de 2020, com a desculpa de as novas agremiações terem tempo para se organizarem.
Como tática correta e necessária é urgente que o PT e demais Partidos progressistas antecipem as discussões das eleições de Prefeitos e Vereadores em todos os Municípios.

* Rômulo Rodrigues é militante político