Nova diretoria do Sebrae promete ampliar apoio aos pequenos negócios

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 10/01/2019 às 07:08:00

 

A Diretoria Executiva do Sebrae em Sergipe eleita para o quadriênio 2019-2022 já deu início às suas atividades prometendo ampliar ainda mais o apoio aos pequenos negócios no estado e firmar parcerias com o poder público e entidades empresariais buscando criar um ambiente favorável para a atuação dos empreendedores.
Escolhidos por unanimidade em dezembro do ano passado pelas quinze entidades que compõem o Conselho Deliberativo do órgão, Paulo do Eirado (superintendente), Emanoel Sobral (diretor Técnico) e Eduardo Prado Filho (diretor Administrativo Financeiro), acompanhados pelo presidente do Conselho, Marco Pinheiro, fizeram uma visita às instalações do Sebrae e apresentaram aos colaboradores algumas das novas diretrizes que deverão ser implementadas nos próximos quatro anos.
Segundo Paulo do Eirado, a instituição atuará fortemente na defesa da pequena empresa, não apenas na busca de novas oportunidades de negócios, mas sobretudo no estímulo ao empreendedorismo e na elaboração de políticas que facilitem a atuação dos empresários no mercado.
 "Conhecemos bem as dificuldades que essas pessoas enfrentam, seja pela burocracia, elevada carga tributária ou falta de programas que as estimulem a realizar investimentos e criar empregos. Queremos ajudá-las a superar essas barreiras e dessa forma contribuir para o crescimento da nossa economia. Os pequenos negócios representam hoje mais de 98% do total de empresas do país e geram mais de 54% dos postos de trabalho, merecendo assim o apoio para continuar ocupando esse papel tão importante".
Para alcançar esses objetivos, o novo superintendente promete estreitar ainda mais o relacionamento com instituições governamentais e entidades de classe, além de buscar uma aproximação ainda maior com os outros órgãos que compõem o Sistema S.
 "É claro que não conseguiremos fazer esse trabalho sozinhos. Pretendemos contar com apoio das prefeituras, do Governo do Estado, das entidades que representam a indústria, o comércio, o setor de serviços e a agricultura para viabilizarmos esse auxílio.  Hoje já temos bons exemplos de ações que estão sendo desenvolvidas por esses órgãos. O que estamos precisando é articular essas iniciativas para fomentar ainda mais o empreendedorismo em Sergipe", ressalta Paulo do Eirado.

A Diretoria Executiva do Sebrae em Sergipe eleita para o quadriênio 2019-2022 já deu início às suas atividades prometendo ampliar ainda mais o apoio aos pequenos negócios no estado e firmar parcerias com o poder público e entidades empresariais buscando criar um ambiente favorável para a atuação dos empreendedores.
Escolhidos por unanimidade em dezembro do ano passado pelas quinze entidades que compõem o Conselho Deliberativo do órgão, Paulo do Eirado (superintendente), Emanoel Sobral (diretor Técnico) e Eduardo Prado Filho (diretor Administrativo Financeiro), acompanhados pelo presidente do Conselho, Marco Pinheiro, fizeram uma visita às instalações do Sebrae e apresentaram aos colaboradores algumas das novas diretrizes que deverão ser implementadas nos próximos quatro anos.
Segundo Paulo do Eirado, a instituição atuará fortemente na defesa da pequena empresa, não apenas na busca de novas oportunidades de negócios, mas sobretudo no estímulo ao empreendedorismo e na elaboração de políticas que facilitem a atuação dos empresários no mercado.
 "Conhecemos bem as dificuldades que essas pessoas enfrentam, seja pela burocracia, elevada carga tributária ou falta de programas que as estimulem a realizar investimentos e criar empregos. Queremos ajudá-las a superar essas barreiras e dessa forma contribuir para o crescimento da nossa economia. Os pequenos negócios representam hoje mais de 98% do total de empresas do país e geram mais de 54% dos postos de trabalho, merecendo assim o apoio para continuar ocupando esse papel tão importante".
Para alcançar esses objetivos, o novo superintendente promete estreitar ainda mais o relacionamento com instituições governamentais e entidades de classe, além de buscar uma aproximação ainda maior com os outros órgãos que compõem o Sistema S.
 "É claro que não conseguiremos fazer esse trabalho sozinhos. Pretendemos contar com apoio das prefeituras, do Governo do Estado, das entidades que representam a indústria, o comércio, o setor de serviços e a agricultura para viabilizarmos esse auxílio.  Hoje já temos bons exemplos de ações que estão sendo desenvolvidas por esses órgãos. O que estamos precisando é articular essas iniciativas para fomentar ainda mais o empreendedorismo em Sergipe", ressalta Paulo do Eirado.