Orquestra Jovem do Sesc participará de festival internacional

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 11/01/2019 às 06:29:00

 

Na última quarta-feira, no auditório da Unidade Centro, a diretora de Programas Sociais do Sesc, Carla Patrícia Xavier, reuniu-se com pais e alunos da Orquestra Jovem do Sesc para passar as instruções finais quanto à participação do grupo no 9º Festival Internacional Sesc de Música, que será realizado de 14 a 25 de janeiro, na cidade de Pelotas (RS).
O evento reunirá músicos, estudantes e professores do Brasil e diversos países. O objetivo é incentivar o desenvolvimento da produção musical, formação e intercâmbio, a partir dos eixos pedagógico e sócio cultural.
A Orquestra Jovem do Sesc abre o festival com um concerto na Biblioteca Pública de Pelotas. O Sesc Sergipe participa com 16 alunos e seis professores dos polos Aracaju, Nossa Senhora do Socorro e Indiaroba, incluindo, o maestro Gledson Souza. "Além do repertório tradicional vamos apresentar dez músicas inéditas", adiantou o maestro.
Segundo a diretora de Programa Sociais, todas as despesas são custeadas pelo Sesc e para viajar os alunos tiveram que enfrentar um processo interno, que englobou avaliação da frequência escolar, apresentação de peça comum e de livre escolha. "O incentivo perpassa também pelo desempenho escolar. Um bom músico deve ser completo em sua formação", acrescentou Carla Patrícia, explicando os critérios para a seleção dos alunos.
Durante a reunião foi apresentada a programação do festival, o cronograma da viagem e repassadas as instruções quanto ao transporte, documentação, hospedagem, alimentação, acomodação, capacitações, comportamento e conduta durante a permanência do grupo em Pelotas.
Essa é a segunda vez que a Orquestra Jovem do Sesc/Se é convidada para participar do festival, considerado um dos melhores eventos de música de concerto da América Latina. 
"É uma honra podermos proporcioná-los esse momento singular em suas vidas. Eles terão contato com um universo valioso de aprendizado, troca e oportunidade de conhecer novos cenários musicais e novos talentos", ressaltou a diretora regional do Sesc, Aparecida Farias.
Durante duas semanas, serão oferecidos na cidade de Pelotas, zona sul do Estado, 60 espetáculos gratuitos, entre concertos, recitais e apresentações na comunidade, além dos 24 cursos disponíveis que vão reunir cerca de 380 alunos de Estados e países diferentes. O corpo docente conta com 49 professores, oriundos de 14 nacionalidades, o que qualifica ainda mais o ensino pela diversidade e proporcionará um ímpar intercâmbio de culturas e idiomas. 
"A expectativa é reunir cerca de 500 profissionais da música, entre professores, alunos, músicos e técnicos. A música estará presente nos mais variados espaços de Pelotas e tanto visitantes quanto a comunidade local vão vivenciar 12 dias especiais de cultura", destacou Aparecida Farias.

Na última quarta-feira, no auditório da Unidade Centro, a diretora de Programas Sociais do Sesc, Carla Patrícia Xavier, reuniu-se com pais e alunos da Orquestra Jovem do Sesc para passar as instruções finais quanto à participação do grupo no 9º Festival Internacional Sesc de Música, que será realizado de 14 a 25 de janeiro, na cidade de Pelotas (RS).
O evento reunirá músicos, estudantes e professores do Brasil e diversos países. O objetivo é incentivar o desenvolvimento da produção musical, formação e intercâmbio, a partir dos eixos pedagógico e sócio cultural.
A Orquestra Jovem do Sesc abre o festival com um concerto na Biblioteca Pública de Pelotas. O Sesc Sergipe participa com 16 alunos e seis professores dos polos Aracaju, Nossa Senhora do Socorro e Indiaroba, incluindo, o maestro Gledson Souza. "Além do repertório tradicional vamos apresentar dez músicas inéditas", adiantou o maestro.
Segundo a diretora de Programa Sociais, todas as despesas são custeadas pelo Sesc e para viajar os alunos tiveram que enfrentar um processo interno, que englobou avaliação da frequência escolar, apresentação de peça comum e de livre escolha. "O incentivo perpassa também pelo desempenho escolar. Um bom músico deve ser completo em sua formação", acrescentou Carla Patrícia, explicando os critérios para a seleção dos alunos.
Durante a reunião foi apresentada a programação do festival, o cronograma da viagem e repassadas as instruções quanto ao transporte, documentação, hospedagem, alimentação, acomodação, capacitações, comportamento e conduta durante a permanência do grupo em Pelotas.
Essa é a segunda vez que a Orquestra Jovem do Sesc/Se é convidada para participar do festival, considerado um dos melhores eventos de música de concerto da América Latina. 
"É uma honra podermos proporcioná-los esse momento singular em suas vidas. Eles terão contato com um universo valioso de aprendizado, troca e oportunidade de conhecer novos cenários musicais e novos talentos", ressaltou a diretora regional do Sesc, Aparecida Farias.
Durante duas semanas, serão oferecidos na cidade de Pelotas, zona sul do Estado, 60 espetáculos gratuitos, entre concertos, recitais e apresentações na comunidade, além dos 24 cursos disponíveis que vão reunir cerca de 380 alunos de Estados e países diferentes. O corpo docente conta com 49 professores, oriundos de 14 nacionalidades, o que qualifica ainda mais o ensino pela diversidade e proporcionará um ímpar intercâmbio de culturas e idiomas. 
"A expectativa é reunir cerca de 500 profissionais da música, entre professores, alunos, músicos e técnicos. A música estará presente nos mais variados espaços de Pelotas e tanto visitantes quanto a comunidade local vão vivenciar 12 dias especiais de cultura", destacou Aparecida Farias.