Petrobras inicia processo para arrendar a FAFEN

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 11/01/2019 às 07:01:00

 

Desde que as tratati-
vas para uma reso-
lução quanto ao funcionamento das unidades da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (FAFEN), situadas em Laranjeiras (Sergipe) e Camaçari (BA), a Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) empunhou a bandeira da manutenção das centenas de vagas de trabalho diretos existentes na indústria localizada em solo sergipano.  E nessa semana, mais um capítulo dessa novela foi divulgado com um comunicado da Petrobras em que diz que a estatal deu início a um processo de pré-qualificação, para que as empresas tenham condições de participarem dos das futuras licitações para arrendamento das fábricas, a serem realizadas em breve.
A unidade de Sergipe tem capacidade para produzir 1.800 ton/dia de ureia. Além dela, também são comercializados amônia, gás carbônico e sulfato de amônio. Esses insumos são utilizados largamente em indústrias de segmentos variados, como a petroquímica e até na agroindústria. Um déficit de milhares de empregos, entre os diretos e indiretos, aconteceria, caso a fábrica sergipana fechasse as portas.
Diversas reuniões foram realizadas aqui no Estado e em outras localidades, até com o então presidente do país Michel Temer, tudo em prol da manutenção das atividades da FAFEN em nosso estado. A FIES teve como seu interlocutor durante todos esses diálogos, o ex-presidente da CNI e FIES, e ex-governador local, Albano Franco que tem trânsito entre diversas frentes e lutou bravamente por mais essa conquista ao povo sergipano. O futuro arrendamento da fábrica é uma vitória importante frente ao panorama de hibernação que se desenhava há pouco tempo.
Interessados - Segundo a Petrobras, a transferência da operação depende da existência de interessados habilitados na etapa de pré-qualificação e da realização do processo de licitação, ainda sujeita à aprovação da Diretoria Executiva da Petrobras. O processo seguirá os ritos e atos da Lei Federal 13.303/2016 (Lei das Estatais).
Informações sobre a etapa de pré-qualificação para a licitação estão disponíveis no site da Petrobras (http://petrobr.as/fafen).
A Fafen-BA é uma unidade de fertilizantes nitrogenados com capacidade de produção total de ureia de 1.300 toneladas/dia. Também comercializa amônia, gás carbônico e agente redutor líquido automotivo (Arla 32).
A Fafen-SE, localizada em Laranjeiras, é uma unidade de fertilizantes nitrogenados com capacidade de produção total de ureia de 1.800 toneladas/dia. Também comercializa, amônia, gás carbônico e sulfato de amônio (também usado como fertilizante).
Os terminais marítimos de amônia e ureia no Porto de Aratu são unidades portuárias com capacidade de armazenagem e carregamento de 20.000 toneladas de amônia e 30.000 toneladas de ureia.

Desde que as tratati- vas para uma reso- lução quanto ao funcionamento das unidades da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (FAFEN), situadas em Laranjeiras (Sergipe) e Camaçari (BA), a Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) empunhou a bandeira da manutenção das centenas de vagas de trabalho diretos existentes na indústria localizada em solo sergipano.  E nessa semana, mais um capítulo dessa novela foi divulgado com um comunicado da Petrobras em que diz que a estatal deu início a um processo de pré-qualificação, para que as empresas tenham condições de participarem dos das futuras licitações para arrendamento das fábricas, a serem realizadas em breve.
A unidade de Sergipe tem capacidade para produzir 1.800 ton/dia de ureia. Além dela, também são comercializados amônia, gás carbônico e sulfato de amônio. Esses insumos são utilizados largamente em indústrias de segmentos variados, como a petroquímica e até na agroindústria. Um déficit de milhares de empregos, entre os diretos e indiretos, aconteceria, caso a fábrica sergipana fechasse as portas.
Diversas reuniões foram realizadas aqui no Estado e em outras localidades, até com o então presidente do país Michel Temer, tudo em prol da manutenção das atividades da FAFEN em nosso estado. A FIES teve como seu interlocutor durante todos esses diálogos, o ex-presidente da CNI e FIES, e ex-governador local, Albano Franco que tem trânsito entre diversas frentes e lutou bravamente por mais essa conquista ao povo sergipano. O futuro arrendamento da fábrica é uma vitória importante frente ao panorama de hibernação que se desenhava há pouco tempo.

Interessados - Segundo a Petrobras, a transferência da operação depende da existência de interessados habilitados na etapa de pré-qualificação e da realização do processo de licitação, ainda sujeita à aprovação da Diretoria Executiva da Petrobras. O processo seguirá os ritos e atos da Lei Federal 13.303/2016 (Lei das Estatais).
Informações sobre a etapa de pré-qualificação para a licitação estão disponíveis no site da Petrobras (http://petrobr.as/fafen).
A Fafen-BA é uma unidade de fertilizantes nitrogenados com capacidade de produção total de ureia de 1.300 toneladas/dia. Também comercializa amônia, gás carbônico e agente redutor líquido automotivo (Arla 32).
A Fafen-SE, localizada em Laranjeiras, é uma unidade de fertilizantes nitrogenados com capacidade de produção total de ureia de 1.800 toneladas/dia. Também comercializa, amônia, gás carbônico e sulfato de amônio (também usado como fertilizante).
Os terminais marítimos de amônia e ureia no Porto de Aratu são unidades portuárias com capacidade de armazenagem e carregamento de 20.000 toneladas de amônia e 30.000 toneladas de ureia.