Gilmar: "não dependo de acordos políticos para disputar a Prefeitura de Aracaju"

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O deputado estadual Gilmar Carvalho
O deputado estadual Gilmar Carvalho

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 14/01/2019 às 13:37:00

 

"Não estou preocupado se terei apoio desse ou daquele setor da classe política. Não quero compromisso político, para chegar lá com toda a condição de fazer todas as mudanças que entendo que precisam ser feitas", disse o deputado estadual Gilmar Carvalho (PSC) durante entrevista na rádio CBN, nesta sexta-feira, 11/1, sobre a decisão de ser candidato a prefeito nas próximas eleições, "com uma possibilidade maior em Aracaju". 
O parlamentar, que já tem em vista a pessoa que irá coordenar o processo de articulação de uma pré-campanha eleitoral para agora, frisou que tem a obrigação de responder aos eleitores da Grande Aracaju que lhe confiaram mais de 21 mil votos, dos 34.160 mil votos obtidos no último pleito. "Ninguém tem voto, só o eleitor. E foi ele que decidiu que devemos dar mais um passo. Só Deus me afasta do projeto 2020", afirmou Gilmar.
Gilmar entende que é preciso ler bem o resultado da eleição de 2018. "O eleitorado mudou muito e para melhor. Mostrou que não precisamos de muito dinheiro em campanha eleitoral. Tem que conversar com o povo e estar no meio dele. Muita gente aí é gestor de gabinete. O recado do eleitor foi dado", avalia o deputado.
Questionado, o deputado analisa que o Governo Federal está batendo cabeça, mas que "devemos torcer para que dê certo, senão será pior para todos nós". Já em Sergipe, Gilmar pondera que o Estado enfrenta uma crise financeira que se agravará nos próximos meses. "Na minha avaliação o governador deveria acabar com a metade dos órgãos. São medidas necessárias mas que aliados políticos não aceitam. É preciso coragem para desagradar aliados", disse Gilmar.

"Não estou preocupado se terei apoio desse ou daquele setor da classe política. Não quero compromisso político, para chegar lá com toda a condição de fazer todas as mudanças que entendo que precisam ser feitas", disse o deputado estadual Gilmar Carvalho (PSC) durante entrevista na rádio CBN, nesta sexta-feira, 11/1, sobre a decisão de ser candidato a prefeito nas próximas eleições, "com uma possibilidade maior em Aracaju". 
O parlamentar, que já tem em vista a pessoa que irá coordenar o processo de articulação de uma pré-campanha eleitoral para agora, frisou que tem a obrigação de responder aos eleitores da Grande Aracaju que lhe confiaram mais de 21 mil votos, dos 34.160 mil votos obtidos no último pleito. "Ninguém tem voto, só o eleitor. E foi ele que decidiu que devemos dar mais um passo. Só Deus me afasta do projeto 2020", afirmou Gilmar.
Gilmar entende que é preciso ler bem o resultado da eleição de 2018. "O eleitorado mudou muito e para melhor. Mostrou que não precisamos de muito dinheiro em campanha eleitoral. Tem que conversar com o povo e estar no meio dele. Muita gente aí é gestor de gabinete. O recado do eleitor foi dado", avalia o deputado.
Questionado, o deputado analisa que o Governo Federal está batendo cabeça, mas que "devemos torcer para que dê certo, senão será pior para todos nós". Já em Sergipe, Gilmar pondera que o Estado enfrenta uma crise financeira que se agravará nos próximos meses. "Na minha avaliação o governador deveria acabar com a metade dos órgãos. São medidas necessárias mas que aliados políticos não aceitam. É preciso coragem para desagradar aliados", disse Gilmar.