Huse volta a normalidade no pronto socorro e registra 634 atendimentos durante final de semana

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 15/01/2019 às 06:38:00

 

Durante o final de semana, período de 11 a 13 de janeiro, o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) voltou a sua normalidade e registrou 634 atendimentos. Desse total, 98 pacientes ficaram internados e em observação médica. Por se tratar do maior hospital público do estado, tem seu perfil voltado para a alta complexidade, além de um grande parque tecnológico. O seu atendimento é porta aberta e conta com o sistema de classificação de risco, seguindo o padrão do Ministério da Saúde.
Foram totalizados 34 vítimas de acidente motociclístico, vítimas de arma de fogo e arma branca somaram 4 atendimentos, além dos casos de baixa complexidade como 15 usuários com dores de cabeça e 26 com dores abdominal e que acabam sendo atendidos na Área Azul do hospital.
A resolutividade dos casos é o maior aliado que a maioria dos pacientes encontram no Huse. A cabeleireira Anízia Gomes, 38, estava com dores de cabeça insuportáveis e foi atendida no Pronto Socorro do Huse. Ela explica que o atendimento foi dentro do tempo esperado e que as dores melhoraram. "Pensei que fosse morrer com tanta dor. O médico diagnosticou como quadro de enxaqueca. Fui medicada e vou seguir as orientações passadas pelo especialista", declarou.
A pediatria realizou durante o final de semana, 61 atendimentos, com 28 internações a maioria são casos de baixa complexidade como viroses, tosses e febre. Os ambulatórios da Oncologia e fisioterapia somaram 14 atendimentos. Número que demonstra a resolutividade dos casos que procuram atendimento no hospital.
Na Área Azul Adulto, local que continua recebendo pacientes de baixa complexidade e que deveriam ser atendidos pelas Unidades de Pronto Atendimento (UPA's) recebeu 241 pacientes. A sua maioria com os diagnósticos de dores abdominal, dor de cabeça, sintomas de febre, entre outros casos. Destes, 25 ficaram internados em observação.
Já as salas de sutura e ortopedia registraram 268 vítimas com algum tipo de trauma. Os consultórios do oftalmo e do otorrino foram visitados por 38 pacientes que procuraram atendimentos durante o final de semana.

Durante o final de semana, período de 11 a 13 de janeiro, o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) voltou a sua normalidade e registrou 634 atendimentos. Desse total, 98 pacientes ficaram internados e em observação médica. Por se tratar do maior hospital público do estado, tem seu perfil voltado para a alta complexidade, além de um grande parque tecnológico. O seu atendimento é porta aberta e conta com o sistema de classificação de risco, seguindo o padrão do Ministério da Saúde.
Foram totalizados 34 vítimas de acidente motociclístico, vítimas de arma de fogo e arma branca somaram 4 atendimentos, além dos casos de baixa complexidade como 15 usuários com dores de cabeça e 26 com dores abdominal e que acabam sendo atendidos na Área Azul do hospital.
A resolutividade dos casos é o maior aliado que a maioria dos pacientes encontram no Huse. A cabeleireira Anízia Gomes, 38, estava com dores de cabeça insuportáveis e foi atendida no Pronto Socorro do Huse. Ela explica que o atendimento foi dentro do tempo esperado e que as dores melhoraram. "Pensei que fosse morrer com tanta dor. O médico diagnosticou como quadro de enxaqueca. Fui medicada e vou seguir as orientações passadas pelo especialista", declarou.
A pediatria realizou durante o final de semana, 61 atendimentos, com 28 internações a maioria são casos de baixa complexidade como viroses, tosses e febre. Os ambulatórios da Oncologia e fisioterapia somaram 14 atendimentos. Número que demonstra a resolutividade dos casos que procuram atendimento no hospital.Na Área Azul Adulto, local que continua recebendo pacientes de baixa complexidade e que deveriam ser atendidos pelas Unidades de Pronto Atendimento (UPA's) recebeu 241 pacientes. A sua maioria com os diagnósticos de dores abdominal, dor de cabeça, sintomas de febre, entre outros casos. Destes, 25 ficaram internados em observação.
Já as salas de sutura e ortopedia registraram 268 vítimas com algum tipo de trauma. Os consultórios do oftalmo e do otorrino foram visitados por 38 pacientes que procuraram atendimentos durante o final de semana.