SSP entrega à Justiça o laudo criminal do Caso Antony

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 16/01/2019 às 06:34:00

 

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) confirmou ontem que o Instituto de Criminalística já concluiu e vai entregar nos próximos dias ao Poder Judiciário um laudo pericial relacionado ao inquérito que investiga o assassinato do dançarino Anthony Marques Santos Rocha, morto em março de 2018 no povoado Lavandeira, em Nossa Senhora do Socorro (Grande Aracaju). O crime chamou atenção porque, segundo a polícia, teria sido motivado por que a vítima não tinha dinheiro para pagar uma dívida de recargas de celular. 
O laudo se refere à perícia realizada no local onde Alisson foi encontrado morto. Ele foi cobrado na semana passada em um despacho do juízo da 2ª Vara Criminal de Socorro, que alegou "excessiva demora" na elaboração do laudo e deu um prazo de 10 dias para que o documento fosse concluído e entregue em juízo, para agilizar a conclusão do processo. Não foram informados os detalhes sobre qual foi o resultado do laudo. 
O caso foi investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a partir do desaparecimento de Anthony. A apuração resultou na prisão de dois acusados: o comerciante Alisson Pereira Santos, que permanece detido e é apontado como mentor do crime, e José Carlos dos Santos Júnior, suspeito de colaboração com Alisson e que responde ao processo em liberdade. 

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) confirmou ontem que o Instituto de Criminalística já concluiu e vai entregar nos próximos dias ao Poder Judiciário um laudo pericial relacionado ao inquérito que investiga o assassinato do dançarino Anthony Marques Santos Rocha, morto em março de 2018 no povoado Lavandeira, em Nossa Senhora do Socorro (Grande Aracaju). O crime chamou atenção porque, segundo a polícia, teria sido motivado por que a vítima não tinha dinheiro para pagar uma dívida de recargas de celular. 
O laudo se refere à perícia realizada no local onde Alisson foi encontrado morto. Ele foi cobrado na semana passada em um despacho do juízo da 2ª Vara Criminal de Socorro, que alegou "excessiva demora" na elaboração do laudo e deu um prazo de 10 dias para que o documento fosse concluído e entregue em juízo, para agilizar a conclusão do processo. Não foram informados os detalhes sobre qual foi o resultado do laudo. 
O caso foi investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a partir do desaparecimento de Anthony. A apuração resultou na prisão de dois acusados: o comerciante Alisson Pereira Santos, que permanece detido e é apontado como mentor do crime, e José Carlos dos Santos Júnior, suspeito de colaboração com Alisson e que responde ao processo em liberdade.