Lêda Couto toma posse na Secretaria de Inclusão e Assistência

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Lêda Couto com Eliane Aquino e representantes dos movimentos sociais
Lêda Couto com Eliane Aquino e representantes dos movimentos sociais

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 17/01/2019 às 08:08:00

 

A nova secretária de Estado da Inclusão, da Assistência Social e do Trabalho (Seit), Lêda Lúcia Couto de Vasconcelos, tomou posse, oficialmente, nesta quarta-feira feira (16). A solenidade contou com a presença da vice-governadora Eliane Aquino e dos secretários de Estado Geral de Governo, José Carlos Felizola; e da Educação, Josué Modesto. 
"Nas conversas que tivemos com o governador, percebi e fiquei impressionada tanto com sua preocupação com a situação financeira limitadora na qual o Estado se encontra quanto com a vontade que ele tem de fazer o bem para o povo sergipano. Como ele acolhe e defende essas propostas de políticas sociais inclusivas. Belivaldo e Eliane são as duas faces do mesmo projeto de um Sergipe que vai ser cada vez melhor. Acreditam, profundamente, que não sou apenas eu que está sendo empossada hoje, mas todas as populações que apresentam grupos vulneráveis e que precisam de uma atenção especial do governo", discursou Lêda Couto.
Ciente dos desafios enfrentados pelo governo para organizar as finanças do Estado, a secretária destacou que trabalhará com foco na esperança de um futuro melhor para Sergipe. "Nesses tempos de muitas dificuldades financeiras temos que construir caminhos que não são fáceis, mas são os corretos, da inclusão, do respeito às diversidades, da democracia, do controle social, da articulação, do cuidado, da integralidade. Mas essas não podem ser palavras soltas, sem consequências nas ações. Temos que construir políticas públicas e sociais que empoderem as mulheres, respeitem a população LGBT, coloquem a população negra como protagonista, que tragam mais vida para as crianças e esperança para o futuro dos jovens; que dêem alento à população idosa e incluam as pessoas com deficiência", frisou.
De acordo com Eliane Aquino, Lêda tem um perfil técnico e muito a contribuir com a Seit pelo seu histórico profissional e pela sua experiência em gestão pública. "Leda tem sido uma técnica extremamente diferenciada, com experiência, com militância. Foi escolhida porque é uma pessoa que pode agregar muito. Um dos critérios que sempre buscamos é saber trabalhar a intersetorialidade; é não olhar uma Secretaria da Assistência simplesmente com foco na assistência. Nós estamos com o objetivo muito grande, assim como foi na Prefeitura [de Aracaju], de trabalhar dialogando com outras áreas. Só assim a gente consegue fazer inclusão", pontuou a vice-governadora. 
Eliane relembrou sua época à frente da pasta da Inclusão no Estado e reforçou que é preciso fazer um planejamento macro da área social, para que se tenha um plano único, que funcione com eficiência. "Desde que passei pela área, na época em que Marcelo Déda era governador, nunca acreditei no assistencialismo, mas sim na inclusão. E Lêda comunga muito desse pensamento. Não tenho dúvida de que Sergipe tem muito a ganhar com a experiência dela, com o trabalho, seriedade e competência. Que venham os novos tempos. Precisamos ter esperança. Leda me traz essa sensação, de que nós conseguiremos desenvolver um bom trabalho para Sergipe, com foco inicial na arrumação da casa e no equilíbrio das finanças, para que o nosso estado possa se desenvolver a partir de um planejamento que nos possibilite atuar juntos na assistência, educação, saúde e trabalho", completou. 
Um dos momentos mais marcantes da Posse foi aquele em que a nova gestora da Inclusão Social recebeu, de representantes de movimentos sociais e minorias, alguns símbolos de luta. Dessa forma, mulheres, pessoas com deficiência, religiões de matriz africana, movimento negro, idosos, comunidade LGBT deram as boas-vindas a Lêda Couto, vislumbrando uma gestão participativa e inclusiva.
Com formação em Medicina e doutorado em Saúde Coletiva pela Unicamp, Lêda Couto foi secretária municipal de Saúde de Aracaju entre 2006 e 2007; diretora do Departamento de Redes de Atenção à Saúde, e do Departamento de Atenção Especializada e Temática do Ministério da Saúde - além de ser professora de medicina da Universidade Federal de Sergipe. Seu nome foi escolhido por Eliane para conduzir a pasta, que será parte fundamental nos novos direcionamentos planejados pela vice-governadora para a política socioassistencial do Estado.

A nova secretária de Estado da Inclusão, da Assistência Social e do Trabalho (Seit), Lêda Lúcia Couto de Vasconcelos, tomou posse, oficialmente, nesta quarta-feira feira (16). A solenidade contou com a presença da vice-governadora Eliane Aquino e dos secretários de Estado Geral de Governo, José Carlos Felizola; e da Educação, Josué Modesto. 
"Nas conversas que tivemos com o governador, percebi e fiquei impressionada tanto com sua preocupação com a situação financeira limitadora na qual o Estado se encontra quanto com a vontade que ele tem de fazer o bem para o povo sergipano. Como ele acolhe e defende essas propostas de políticas sociais inclusivas. Belivaldo e Eliane são as duas faces do mesmo projeto de um Sergipe que vai ser cada vez melhor. Acreditam, profundamente, que não sou apenas eu que está sendo empossada hoje, mas todas as populações que apresentam grupos vulneráveis e que precisam de uma atenção especial do governo", discursou Lêda Couto.
Ciente dos desafios enfrentados pelo governo para organizar as finanças do Estado, a secretária destacou que trabalhará com foco na esperança de um futuro melhor para Sergipe. "Nesses tempos de muitas dificuldades financeiras temos que construir caminhos que não são fáceis, mas são os corretos, da inclusão, do respeito às diversidades, da democracia, do controle social, da articulação, do cuidado, da integralidade. Mas essas não podem ser palavras soltas, sem consequências nas ações. Temos que construir políticas públicas e sociais que empoderem as mulheres, respeitem a população LGBT, coloquem a população negra como protagonista, que tragam mais vida para as crianças e esperança para o futuro dos jovens; que dêem alento à população idosa e incluam as pessoas com deficiência", frisou.
De acordo com Eliane Aquino, Lêda tem um perfil técnico e muito a contribuir com a Seit pelo seu histórico profissional e pela sua experiência em gestão pública. "Leda tem sido uma técnica extremamente diferenciada, com experiência, com militância. Foi escolhida porque é uma pessoa que pode agregar muito. Um dos critérios que sempre buscamos é saber trabalhar a intersetorialidade; é não olhar uma Secretaria da Assistência simplesmente com foco na assistência. Nós estamos com o objetivo muito grande, assim como foi na Prefeitura [de Aracaju], de trabalhar dialogando com outras áreas. Só assim a gente consegue fazer inclusão", pontuou a vice-governadora. 
Eliane relembrou sua época à frente da pasta da Inclusão no Estado e reforçou que é preciso fazer um planejamento macro da área social, para que se tenha um plano único, que funcione com eficiência. "Desde que passei pela área, na época em que Marcelo Déda era governador, nunca acreditei no assistencialismo, mas sim na inclusão. E Lêda comunga muito desse pensamento. Não tenho dúvida de que Sergipe tem muito a ganhar com a experiência dela, com o trabalho, seriedade e competência. Que venham os novos tempos. Precisamos ter esperança. Leda me traz essa sensação, de que nós conseguiremos desenvolver um bom trabalho para Sergipe, com foco inicial na arrumação da casa e no equilíbrio das finanças, para que o nosso estado possa se desenvolver a partir de um planejamento que nos possibilite atuar juntos na assistência, educação, saúde e trabalho", completou. 
Um dos momentos mais marcantes da Posse foi aquele em que a nova gestora da Inclusão Social recebeu, de representantes de movimentos sociais e minorias, alguns símbolos de luta. Dessa forma, mulheres, pessoas com deficiência, religiões de matriz africana, movimento negro, idosos, comunidade LGBT deram as boas-vindas a Lêda Couto, vislumbrando uma gestão participativa e inclusiva.
Com formação em Medicina e doutorado em Saúde Coletiva pela Unicamp, Lêda Couto foi secretária municipal de Saúde de Aracaju entre 2006 e 2007; diretora do Departamento de Redes de Atenção à Saúde, e do Departamento de Atenção Especializada e Temática do Ministério da Saúde - além de ser professora de medicina da Universidade Federal de Sergipe. Seu nome foi escolhido por Eliane para conduzir a pasta, que será parte fundamental nos novos direcionamentos planejados pela vice-governadora para a política socioassistencial do Estado.