Donos de postos de combustíveis querem autorização para a venda de gás

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O prefeito Edvaldo Nogueira com representantes do Sindpese
O prefeito Edvaldo Nogueira com representantes do Sindpese

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 18/01/2019 às 07:43:00

 

O prefeito Edvaldo Nogueira recebeu em seu gabinete dirigentes do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado Sergipe (Sindpese). No encontro, os empresários apresentaram o pedido de autorização para venda do gás GLP nos postos de combustíveis e alertaram para a venda clandestina de combustível na cidade. O prefeito se comprometeu em dar encaminhamento às duas demandas. 
"Foi uma conversa extremamente amistosa, pois o prefeito se mostrou receptivo e nos atendeu com muita atenção. Apresentamos o nosso pleito da venda do gás GLP nos postos de combustíveis e tratamos da necessidade de acompanhamento das cooperativas que estão invadindo o mercado, trazendo sérios prejuízos para a nossa categoria, uma vez que eles não estão atendendo a nenhuma exigência da legislação", explicou o presidente do sindicato, Murilo Melquíades. 
Para o prefeito, as duas demandas apresentadas pelos empresários são justas, sobretudo a que diz respeito à venda de combustível em locais que não atendem às exigências de segurança e fiscalização. "Enviaremos para a Câmara uma lei que normatize esta questão, pois é preciso garantir a igualdade competitiva no mercado e evitar riscos de acidentes nas situações relacionadas à venda clandestina", afirmou Edvaldo.

O prefeito Edvaldo Nogueira recebeu em seu gabinete dirigentes do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado Sergipe (Sindpese). No encontro, os empresários apresentaram o pedido de autorização para venda do gás GLP nos postos de combustíveis e alertaram para a venda clandestina de combustível na cidade. O prefeito se comprometeu em dar encaminhamento às duas demandas. 
"Foi uma conversa extremamente amistosa, pois o prefeito se mostrou receptivo e nos atendeu com muita atenção. Apresentamos o nosso pleito da venda do gás GLP nos postos de combustíveis e tratamos da necessidade de acompanhamento das cooperativas que estão invadindo o mercado, trazendo sérios prejuízos para a nossa categoria, uma vez que eles não estão atendendo a nenhuma exigência da legislação", explicou o presidente do sindicato, Murilo Melquíades. 
Para o prefeito, as duas demandas apresentadas pelos empresários são justas, sobretudo a que diz respeito à venda de combustível em locais que não atendem às exigências de segurança e fiscalização. "Enviaremos para a Câmara uma lei que normatize esta questão, pois é preciso garantir a igualdade competitiva no mercado e evitar riscos de acidentes nas situações relacionadas à venda clandestina", afirmou Edvaldo.