Acusado por latrocínio de sargento é morto em tiroteio

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 22/01/2019 às 07:33:00

 

Uma operação deflagrada neste domingo pelo Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope), com apoio da Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (Dipol) e do Serviço Reservado da Polícia Militar (PM-2), terminou com a morte de um dos acusados pelo latrocínio contra o policial militar Ronaldo Bispo Santos, assassinado em 9 de janeiro deste ano no povoado Nova Descoberta, em Itaporanga D'Ajuda (Sul). O suspeito, Walisson Teixeira Rodrigues, 24 anos, foi encontrado na BR-235, em Laranjeiras (Vale do Cotinguiba) e, segundo a polícia, reagiu à abordagem e provocou um tiroteio. 
De acordo com o delegado André David, do Cope, Walisson foi identificado, a partir de imagens de câmeras de segurança, como um dos dois homens que assaltaram uma mercearia no povoado de Itaporanga e, na saída, atiraram contra o sargento e roubaram seus pertences. David informou que, na tarde de domingo, equipes de inteligência apuraram e confirmaram a informação de que o suspeito estava em um taxi fretado na saída de Laranjeiras, preparando-se para fugir do Estado. 
"Na abordagem, o infrator desceu do veículo, atirando contra as equipes policiais, que, de pronto e legitimamente, revidaram e acabaram alvejando-o. Walisson foi encaminhado ao Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), mas não resistiu aos ferimentos e evoluiu ao óbito. (...) A prisão em flagrante não foi possível naquele primeiro momento, mas conseguimos identificar os elementos e as prisões foram solicitadas ao Judiciário. No caso de Walisson, ele estava em fuga pela BR-235, em um táxi, cortando a cidade de Laranjeiras", completou o delegado. Um revólver com munições deflagradas foi apreendido com o suspeito. 
As investigações continuam para localizar e prender o segundo envolvido no crime. André David disse que os trabalhos ainda estão em sigilo, mas confirmou que este suspeito foi identificado pela polícia e já teve sua prisão decretada, podendo ser capturado a qualquer momento. "O mais importante agora é que a resposta foi dada, não apenas para a sociedade, mas para a família da vítima. Não traremos nosso companheiro de batalha de volta, mas estamos fazendo o nosso papel de elucidar o caso. Quanto ao segundo envolvido, onde ele estiver, o nosso objetivo é efetuar a prisão dele. Se ele estiver aqui na Terra, pode ter certeza que vamos pegá-lo", finalizou o delegado.

Uma operação deflagrada neste domingo pelo Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope), com apoio da Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (Dipol) e do Serviço Reservado da Polícia Militar (PM-2), terminou com a morte de um dos acusados pelo latrocínio contra o policial militar Ronaldo Bispo Santos, assassinado em 9 de janeiro deste ano no povoado Nova Descoberta, em Itaporanga D'Ajuda (Sul). O suspeito, Walisson Teixeira Rodrigues, 24 anos, foi encontrado na BR-235, em Laranjeiras (Vale do Cotinguiba) e, segundo a polícia, reagiu à abordagem e provocou um tiroteio. 
De acordo com o delegado André David, do Cope, Walisson foi identificado, a partir de imagens de câmeras de segurança, como um dos dois homens que assaltaram uma mercearia no povoado de Itaporanga e, na saída, atiraram contra o sargento e roubaram seus pertences. David informou que, na tarde de domingo, equipes de inteligência apuraram e confirmaram a informação de que o suspeito estava em um taxi fretado na saída de Laranjeiras, preparando-se para fugir do Estado. 
"Na abordagem, o infrator desceu do veículo, atirando contra as equipes policiais, que, de pronto e legitimamente, revidaram e acabaram alvejando-o. Walisson foi encaminhado ao Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), mas não resistiu aos ferimentos e evoluiu ao óbito. (...) A prisão em flagrante não foi possível naquele primeiro momento, mas conseguimos identificar os elementos e as prisões foram solicitadas ao Judiciário. No caso de Walisson, ele estava em fuga pela BR-235, em um táxi, cortando a cidade de Laranjeiras", completou o delegado. Um revólver com munições deflagradas foi apreendido com o suspeito. 
As investigações continuam para localizar e prender o segundo envolvido no crime. André David disse que os trabalhos ainda estão em sigilo, mas confirmou que este suspeito foi identificado pela polícia e já teve sua prisão decretada, podendo ser capturado a qualquer momento. "O mais importante agora é que a resposta foi dada, não apenas para a sociedade, mas para a família da vítima. Não traremos nosso companheiro de batalha de volta, mas estamos fazendo o nosso papel de elucidar o caso. Quanto ao segundo envolvido, onde ele estiver, o nosso objetivo é efetuar a prisão dele. Se ele estiver aqui na Terra, pode ter certeza que vamos pegá-lo", finalizou o delegado.