Educação vai fechar escolas que estão ociosas

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A SEED pretende fechar vagas em escolas ociosas
A SEED pretende fechar vagas em escolas ociosas

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 23/01/2019 às 07:12:00

 

O Governo de Sergipe elabora estudo da demanda real por vagas escolares em cada bairro, município e território sergipano para redefinir o quantitativo da oferta de vagas nas escolas da Rede Estadual
Em audiência realizada nesta segunda-feira (21), com alunos e professores de escolas da rede estadual instaladas em Aracaju e membros da diretoria executiva do Sintese (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica da Rede Oficial do Estado de Sergipe), o secretário de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura, Josué Modesto dos Passos Subrinho assegurou que nenhuma unidade escolar encerrará suas atividades sem que haja, antes, discussão prévia com a comunidade escolar.
"No bairro Getúlio Vargas, em Aracaju, temos a Escola Estadual 15 de Outubro funcionando somente um turno com uma matrícula de apenas 110 alunos. Na mesma rua onde está instala essa escola, temos o Colégio Estadual John Kennedy com salas ociosas e capacidade de acomodar todos os alunos do "15 de Outubro". Com essa reestruturação, faremos a transferência das matrículas de uma escola à outra, sem prejuízo a nenhum aluno, professor e servidor", afirmou Eliane Passos.
Josué Modesto afirmou ainda que, apesar de o gerenciamento da Rede Estadual considerar o todo de forma macro, as decisões adotadas pela pasta não desconsideram as especificidades que cada escola possui. "Por este motivo, apesar de os estudos técnicos que orientam a reestruturação da oferta de vagas ter recomendado o fechamento do turno escolar noturno da Escola Estadual Francisco Portugal, tal medida só será efetivada a partir do diálogo que manteremos junto à comunidade escolar local, em reunião a ser realizada na próxima quinta-feira, dia 24", garantiu o secretário, ao discutir a eficácia do serviço ofertado pelas escolas estaduais.

O Governo de Sergipe elabora estudo da demanda real por vagas escolares em cada bairro, município e território sergipano para redefinir o quantitativo da oferta de vagas nas escolas da Rede Estadual
Em audiência realizada nesta segunda-feira (21), com alunos e professores de escolas da rede estadual instaladas em Aracaju e membros da diretoria executiva do Sintese (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica da Rede Oficial do Estado de Sergipe), o secretário de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura, Josué Modesto dos Passos Subrinho assegurou que nenhuma unidade escolar encerrará suas atividades sem que haja, antes, discussão prévia com a comunidade escolar.
"No bairro Getúlio Vargas, em Aracaju, temos a Escola Estadual 15 de Outubro funcionando somente um turno com uma matrícula de apenas 110 alunos. Na mesma rua onde está instala essa escola, temos o Colégio Estadual John Kennedy com salas ociosas e capacidade de acomodar todos os alunos do "15 de Outubro". Com essa reestruturação, faremos a transferência das matrículas de uma escola à outra, sem prejuízo a nenhum aluno, professor e servidor", afirmou Eliane Passos.
Josué Modesto afirmou ainda que, apesar de o gerenciamento da Rede Estadual considerar o todo de forma macro, as decisões adotadas pela pasta não desconsideram as especificidades que cada escola possui. "Por este motivo, apesar de os estudos técnicos que orientam a reestruturação da oferta de vagas ter recomendado o fechamento do turno escolar noturno da Escola Estadual Francisco Portugal, tal medida só será efetivada a partir do diálogo que manteremos junto à comunidade escolar local, em reunião a ser realizada na próxima quinta-feira, dia 24", garantiu o secretário, ao discutir a eficácia do serviço ofertado pelas escolas estaduais.