Duas celebrações especiais

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 24/01/2019 às 06:08:00

 

* Raymundinho Mello
"Segui-me!": eis o chamado de Cristo para anunciar sua Palavra de salvação. Acolher o convite de Cristo é vincular-se à Sua pessoa e segui-Lo. Foi justamente por responder com disponibilidade e entrega total ao chamado do Mestre, assumindo com coragem sua vocação, não obstante todas as dificuldades que encontrou ao longo da vida, que Dom Bosco - o Santo fundador dos Salesianos - "se tornou luz" para os meninos de seu país (a Itália) que "andavam na escuridão" e, através do seu pensamento e da sua obra, continua tão presente em nossos dias, iluminando não somente os jovens, mas todos os que desejam seguir o Cristo através do seu exemplo e das suas práticas espirituais.
Dom Bosco, um padre inteligente, estudioso, um homem com vigor físico e ótima comunicação, muito bem poderia ter-se acomodado exercendo funções eclesiásticas importantes, cargos de prestígio. Mas, não! Ele fez sua opção pelos que não tinham voz, pelos "de quem nada se esperava". Dom Bosco realmente compreendeu a vocação para a qual fora chamado, e, superando todos os preconceitos, inclusive as críticas que recebia de alguns colegas padres, pôs-se a levar aos meninos um novo horizonte de vida, fundamentado na fé em Jesus, na busca de uma vida pura e santa mediada pela frequência aos Sacramentos da Confissão e da Comunhão, na infinita confiança na Mãe de Jesus, a quem lhes ensinava chamar "Auxiliadora", no trabalho e na formação como honestos cidadãos, úteis à sociedade.
E seu exemplo seguiu pelo tempo, levado aos quatro cantos do mundo pelos Salesianos e pelas Filhas de Maria Auxiliadora, as duas congregações religiosas que fundou. E, tendo seguido pelo mundo, sua palavra também chegou ao Chile. E lá, em Santiago, encontrou um coração puro, uma menina santa que rezava e se sacrificava muito pela conversão de sua mãe, que vivia no pecado: a jovenzinha Laura Vicuña, que, tendo sofrido maltratos de seu padrasto, morreu aos 12 anos. Sua memória é celebrada no dia 22 de janeiro. Laura conheceu e aprendeu a amar Dom Bosco quando estudou no colégio das Irmãs Salesianas. No dia em que recebeu sua primeira comunhão, aos 10 anos, escreveu num pequeno caderno o seu propósito de vida: "Oh, meu Jesus, eu quero te amar e te servir por toda a minha vida". Ela foi beatificada em 3 de setembro de 1988 por São João Paulo II e é invocada como padroeira das pessoas que são vítimas de maus tratos pelos parentes. Na Igreja dos Salesianos, aqui em Aracaju, na parede esquerda - para quem está voltado para o altar - há uma imagem da Bem-aventurada Laura Vicuña.
E hoje, dia 24/01, celebramos a festa litúrgica de São Francisco de Sales, em quem Dom Bosco inspirou-se espiritualmente, tendo, inclusive, dado - em sua homenagem - o nome de sua congregação: Sales-ianos. É ele o Patrono da Família Salesiana. Dom Bosco aprendeu a admirar e tornou-se devoto de São Francisco de Sales ainda quando seminarista. Leu "Introdução à vida devota - Filoteia", do próprio São Francisco de Sales, e "O espírito de São Francisco de Sales", do bispo João Pedro Camus. Na vigília de sua Ordenação Sacerdotal, em 5 de junho de 1841, toma como quarto propósito: "A caridade e a doçura de São Francisco de Sales guiar-me-ão em tudo". É ele o padroeiro dos jornalistas e dos escritores católicos. É, então, meu padroeiro.
É assim: nos confusos momentos da história da humanidade Deus suscita homens e mulheres capazes de "ser luz". Foi o que aconteceu "à beira do mar da Galileia", com Simão e André e com Tiago e João, mas também com São Francisco de Sales, com Dom Bosco, com Laura Vicuña e tantos outros. E, por que não conosco? Basta que nos coloquemos de coração sincero em Sua presença e escutemos aquilo que Ele quer de nós.
* Raymundinho Mello é Psicólogo, Sociólogo/Antropólogo, Teólogo em formação e Fiel Cristão Leigo Consagrado
raymundinhomello@gmail.com

* Raymundinho Mello

"Segui-me!": eis o chamado de Cristo para anunciar sua Palavra de salvação. Acolher o convite de Cristo é vincular-se à Sua pessoa e segui-Lo. Foi justamente por responder com disponibilidade e entrega total ao chamado do Mestre, assumindo com coragem sua vocação, não obstante todas as dificuldades que encontrou ao longo da vida, que Dom Bosco - o Santo fundador dos Salesianos - "se tornou luz" para os meninos de seu país (a Itália) que "andavam na escuridão" e, através do seu pensamento e da sua obra, continua tão presente em nossos dias, iluminando não somente os jovens, mas todos os que desejam seguir o Cristo através do seu exemplo e das suas práticas espirituais.
Dom Bosco, um padre inteligente, estudioso, um homem com vigor físico e ótima comunicação, muito bem poderia ter-se acomodado exercendo funções eclesiásticas importantes, cargos de prestígio. Mas, não! Ele fez sua opção pelos que não tinham voz, pelos "de quem nada se esperava". Dom Bosco realmente compreendeu a vocação para a qual fora chamado, e, superando todos os preconceitos, inclusive as críticas que recebia de alguns colegas padres, pôs-se a levar aos meninos um novo horizonte de vida, fundamentado na fé em Jesus, na busca de uma vida pura e santa mediada pela frequência aos Sacramentos da Confissão e da Comunhão, na infinita confiança na Mãe de Jesus, a quem lhes ensinava chamar "Auxiliadora", no trabalho e na formação como honestos cidadãos, úteis à sociedade.
E seu exemplo seguiu pelo tempo, levado aos quatro cantos do mundo pelos Salesianos e pelas Filhas de Maria Auxiliadora, as duas congregações religiosas que fundou. E, tendo seguido pelo mundo, sua palavra também chegou ao Chile. E lá, em Santiago, encontrou um coração puro, uma menina santa que rezava e se sacrificava muito pela conversão de sua mãe, que vivia no pecado: a jovenzinha Laura Vicuña, que, tendo sofrido maltratos de seu padrasto, morreu aos 12 anos. Sua memória é celebrada no dia 22 de janeiro. Laura conheceu e aprendeu a amar Dom Bosco quando estudou no colégio das Irmãs Salesianas. No dia em que recebeu sua primeira comunhão, aos 10 anos, escreveu num pequeno caderno o seu propósito de vida: "Oh, meu Jesus, eu quero te amar e te servir por toda a minha vida". Ela foi beatificada em 3 de setembro de 1988 por São João Paulo II e é invocada como padroeira das pessoas que são vítimas de maus tratos pelos parentes. Na Igreja dos Salesianos, aqui em Aracaju, na parede esquerda - para quem está voltado para o altar - há uma imagem da Bem-aventurada Laura Vicuña.
E hoje, dia 24/01, celebramos a festa litúrgica de São Francisco de Sales, em quem Dom Bosco inspirou-se espiritualmente, tendo, inclusive, dado - em sua homenagem - o nome de sua congregação: Sales-ianos. É ele o Patrono da Família Salesiana. Dom Bosco aprendeu a admirar e tornou-se devoto de São Francisco de Sales ainda quando seminarista. Leu "Introdução à vida devota - Filoteia", do próprio São Francisco de Sales, e "O espírito de São Francisco de Sales", do bispo João Pedro Camus. Na vigília de sua Ordenação Sacerdotal, em 5 de junho de 1841, toma como quarto propósito: "A caridade e a doçura de São Francisco de Sales guiar-me-ão em tudo". É ele o padroeiro dos jornalistas e dos escritores católicos. É, então, meu padroeiro.
É assim: nos confusos momentos da história da humanidade Deus suscita homens e mulheres capazes de "ser luz". Foi o que aconteceu "à beira do mar da Galileia", com Simão e André e com Tiago e João, mas também com São Francisco de Sales, com Dom Bosco, com Laura Vicuña e tantos outros. E, por que não conosco? Basta que nos coloquemos de coração sincero em Sua presença e escutemos aquilo que Ele quer de nós.

* Raymundinho Mello é Psicólogo, Sociólogo/Antropólogo, Teólogo em formação e Fiel Cristão Leigo Consagradoraymundinhomello@gmail.com