Luizinho teve vida curta no Sergipe

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O treinador Luizinho Vieira foi o terceiro técnico a perder o cargo no Campeonato Sergipano que está apenas na segunda rodada
O treinador Luizinho Vieira foi o terceiro técnico a perder o cargo no Campeonato Sergipano que está apenas na segunda rodada

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 24/01/2019 às 06:23:00

 

Givaldo Batista
givaldobs@yahoo.com.br
O treinador Luizinho 
Vieira teve vida 
curta à frente do Sergipe. O próprio retrospecto levou a diretoria rubra a cortar o mal pela raiz. Demitiu o treinador enquanto há tempo suficiente para se reabilitar, principalmente no certame estadual. Junto com o treinador foi também o assistente Sérgio Tanaka. Luizinho deixou o campo na terça-feira sob vaia da torcida. 
Em quatro jogos, o treinador conquistou apenas uma vitória. Foram três derrotas. E olhe que essa vitória única foi contra o fraco Frei Paulistano, deixando a falsa impressão de que o time estava bem. Assim, Luizinho passa a ser o terceiro treinador a perder o cargo e o Campeonato Sergipano está apenas na segunda rodada. Antes Mastrillo do Olímpico e Luís Carlos Mendes, do Dorense tiveram o mesmo destino.
A situação do treinador rubro se agravou mais ainda com a inexplicável derrota para o Náutico pela Copa do Nordeste, na noite da terça-feira, quando a equipe esteve irreconhecível. A partir de agora, as atenções estão concentradas no jogo do próximo sábado na cidade de Canindé, contra o Guarany, quando o time rubro tentará a reabilitação.
Segundo o diretor Lailson Melo, não existe uma preocupação demasiada, para escolha imediata do substituto de Luizinho. A diretoria vai escolher um bom nome, mas para isso terá muita calma. Enquanto não chega o treinador definitivo, assume o comando interinamente o auxiliara técnico George Letiere, que já dirigiu os trabalhos desta quarta-feira quando da reapresentação do elenco e será o treinador d a equipe na partida de sábado contra o Guarany.
A verdade é que não houve muita empatia entre o treinador, a torcida rubra e principalmente e imprensa sergipana. Na fase da pré-temporada, o fato de realizar treinos fechados deixou a torcida chateada e criou um relacionamento complicado com a imprensa. Como dentro das quatro linhas, os resultados não justificaram tanto mistérios, a diretoria resolveu tomara uma posição sobre o assunto.
Luizinho Vieira chegou ao Sergipe em outubro do ano passado. Ele tem 46 anos, é catarinense e iniciou a carreira como treinador no Criciúma, onde comandou a base, o profissional e desempenhou a função também de assistente. Trabalhou ainda no Itumbiara de Goiás e, no ano passado, foi treinador do Luverdense na Série C do Campeonato Brasileiro. Com esse currículo, os dirigentes rubros esperavam que o técnico fizesse um bom trabalho no Sergipe, o que na realidade não aconteceu. 

O treinador Luizinho  Vieira teve vida  curta à frente do Sergipe. O próprio retrospecto levou a diretoria rubra a cortar o mal pela raiz. Demitiu o treinador enquanto há tempo suficiente para se reabilitar, principalmente no certame estadual. Junto com o treinador foi também o assistente Sérgio Tanaka. Luizinho deixou o campo na terça-feira sob vaia da torcida. 
Em quatro jogos, o treinador conquistou apenas uma vitória. Foram três derrotas. E olhe que essa vitória única foi contra o fraco Frei Paulistano, deixando a falsa impressão de que o time estava bem. Assim, Luizinho passa a ser o terceiro treinador a perder o cargo e o Campeonato Sergipano está apenas na segunda rodada. Antes Mastrillo do Olímpico e Luís Carlos Mendes, do Dorense tiveram o mesmo destino.
A situação do treinador rubro se agravou mais ainda com a inexplicável derrota para o Náutico pela Copa do Nordeste, na noite da terça-feira, quando a equipe esteve irreconhecível. A partir de agora, as atenções estão concentradas no jogo do próximo sábado na cidade de Canindé, contra o Guarany, quando o time rubro tentará a reabilitação.
Segundo o diretor Lailson Melo, não existe uma preocupação demasiada, para escolha imediata do substituto de Luizinho. A diretoria vai escolher um bom nome, mas para isso terá muita calma. Enquanto não chega o treinador definitivo, assume o comando interinamente o auxiliara técnico George Letiere, que já dirigiu os trabalhos desta quarta-feira quando da reapresentação do elenco e será o treinador d a equipe na partida de sábado contra o Guarany.
A verdade é que não houve muita empatia entre o treinador, a torcida rubra e principalmente e imprensa sergipana. Na fase da pré-temporada, o fato de realizar treinos fechados deixou a torcida chateada e criou um relacionamento complicado com a imprensa. Como dentro das quatro linhas, os resultados não justificaram tanto mistérios, a diretoria resolveu tomara uma posição sobre o assunto.
Luizinho Vieira chegou ao Sergipe em outubro do ano passado. Ele tem 46 anos, é catarinense e iniciou a carreira como treinador no Criciúma, onde comandou a base, o profissional e desempenhou a função também de assistente. Trabalhou ainda no Itumbiara de Goiás e, no ano passado, foi treinador do Luverdense na Série C do Campeonato Brasileiro. Com esse currículo, os dirigentes rubros esperavam que o técnico fizesse um bom trabalho no Sergipe, o que na realidade não aconteceu.