Detran denuncia sargento que ameaçou servidora com arma

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 24/01/2019 às 06:47:00

 

Gabriel Damásio
A 1ª Delegacia Metropolitana (1ª DM) vai investigar a denúncia de que uma servidora do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) foi ameaçada com uma arma dentro de um posto de atendimento do órgão no Shopping Jardins, bairro Jardins (zona sul de Aracaju). O incidente aconteceu na tarde desta segunda-feira e foi relatado em um boletim de ocorrência prestado pela Procuradoria Jurídica do órgão. A informação foi confirmada após a divulgação de uma nota do Sindicato dos Servidores do Detran (Sindetran), que revelou o episódio e repudiou a atitude do homem armado, que foi identificado como sargento do Corpo de Bombeiros. 
A ameaça foi registrada por uma câmera de segurança do posto. Ela mostra que o sargento chega a um guichê de atendimento, situado no canto esquerdo do vídeo, e, depois de um tempo, começa a se exaltar, saca o revólver da cintura e a coloca sob o guichê. Em seguida, ele passa cerca de um minuto apontando o dedo contra a servidora, como se estivesse discutindo com ela, e guarda a arma de volta, antes de dar as costas e ir embora. Um vigilante chega a intervir, tentando a acalmar a situação, mas não consegue deter o bombeiro. Segundo o Sindetran, isso aconteceu porque o bombeiro não gostou de ver seu nome abreviado em um documento emitido pelo órgão, cujo espaço destinado para o preenchimento era pequeno. 
O sindicato afirmou em seu comunicado que os casos de desacato e atritos entre usuários e servidores "não são raros" e que muitas pessoas começam a brigar com os funcionários "por desconhecerem os trâmites e burocracia dos procedimentos" realizados nos postos da autarquia. A categoria se diz preocupada com a integridade física dos servidores e disse temer que "episódios como esse se tornem cada vez mais comuns por conta da política armamentista do novo Governo", referindo-se à recente flexibilização das leis de desarmamento do país. 
"O Sindetran já deu inúmeras sugestões à Diretoria da autarquia no que tange à segurança dos atendentes e clientes, mas nenhuma medida fora tomada. Servidores e usuários são diariamente expostos a um risco iminente de violência em um ambiente instável e carregado de estresse. Em todo caso, quando o usuário chega ao ponto de sacar uma arma para ameaçar o servidor, entendemos que a situação chegou a novo patamar e que o órgão não pode continuar inerte no que diz respeito à segurança. (...) E o Detran/SE, quando tomará as medidas necessárias para garantir a integridade física e moral de seus servidores e usuários?", questiona o sindicato. 
Em nota, o Detran informou que mobilizou a Procuradoria e a Diretoria de Atendimento para apurar o fato e tomar as providências. "O caso já foi encaminhado à Polícia Civil e, assim que as investigações forem concluídas, serão tomadas as providências legais cabíveis. A direção da autarquia informa que todas as unidades de atendimento estão amparadas com equipes de segurança e que, no caso específico dos shoppings, há ainda o reforço de monitoramento de vídeo para salvaguardar clientes e servidores. Reforça também que tudo será realizado para garantir a integridade de todos que utilizam os serviços do Detran/SE", diz a diretoria do órgão. 
Já o Corpo de Bombeiros indicou que pode apurar o episódio através de sua Corregedoria. Também em nota oficial, ele disse que "o ato praticado pelo militar ocorreu durante sua folga e que não condiz com sua conduta profissional, que é elogiável". O comando da corporação deixou claro "que não compactua com tal atitude e tomará as providências cabíveis no sentido de apurar os fatos e responsabilizá-lo dentro do que a lei determina".

Gabriel Damásio

A 1ª Delegacia Metropolitana (1ª DM) vai investigar a denúncia de que uma servidora do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) foi ameaçada com uma arma dentro de um posto de atendimento do órgão no Shopping Jardins, bairro Jardins (zona sul de Aracaju). O incidente aconteceu na tarde desta segunda-feira e foi relatado em um boletim de ocorrência prestado pela Procuradoria Jurídica do órgão. A informação foi confirmada após a divulgação de uma nota do Sindicato dos Servidores do Detran (Sindetran), que revelou o episódio e repudiou a atitude do homem armado, que foi identificado como sargento do Corpo de Bombeiros. 
A ameaça foi registrada por uma câmera de segurança do posto. Ela mostra que o sargento chega a um guichê de atendimento, situado no canto esquerdo do vídeo, e, depois de um tempo, começa a se exaltar, saca o revólver da cintura e a coloca sob o guichê. Em seguida, ele passa cerca de um minuto apontando o dedo contra a servidora, como se estivesse discutindo com ela, e guarda a arma de volta, antes de dar as costas e ir embora. Um vigilante chega a intervir, tentando a acalmar a situação, mas não consegue deter o bombeiro. Segundo o Sindetran, isso aconteceu porque o bombeiro não gostou de ver seu nome abreviado em um documento emitido pelo órgão, cujo espaço destinado para o preenchimento era pequeno. 
O sindicato afirmou em seu comunicado que os casos de desacato e atritos entre usuários e servidores "não são raros" e que muitas pessoas começam a brigar com os funcionários "por desconhecerem os trâmites e burocracia dos procedimentos" realizados nos postos da autarquia. A categoria se diz preocupada com a integridade física dos servidores e disse temer que "episódios como esse se tornem cada vez mais comuns por conta da política armamentista do novo Governo", referindo-se à recente flexibilização das leis de desarmamento do país. 
"O Sindetran já deu inúmeras sugestões à Diretoria da autarquia no que tange à segurança dos atendentes e clientes, mas nenhuma medida fora tomada. Servidores e usuários são diariamente expostos a um risco iminente de violência em um ambiente instável e carregado de estresse. Em todo caso, quando o usuário chega ao ponto de sacar uma arma para ameaçar o servidor, entendemos que a situação chegou a novo patamar e que o órgão não pode continuar inerte no que diz respeito à segurança. (...) E o Detran/SE, quando tomará as medidas necessárias para garantir a integridade física e moral de seus servidores e usuários?", questiona o sindicato. 
Em nota, o Detran informou que mobilizou a Procuradoria e a Diretoria de Atendimento para apurar o fato e tomar as providências. "O caso já foi encaminhado à Polícia Civil e, assim que as investigações forem concluídas, serão tomadas as providências legais cabíveis. A direção da autarquia informa que todas as unidades de atendimento estão amparadas com equipes de segurança e que, no caso específico dos shoppings, há ainda o reforço de monitoramento de vídeo para salvaguardar clientes e servidores. Reforça também que tudo será realizado para garantir a integridade de todos que utilizam os serviços do Detran/SE", diz a diretoria do órgão. 
Já o Corpo de Bombeiros indicou que pode apurar o episódio através de sua Corregedoria. Também em nota oficial, ele disse que "o ato praticado pelo militar ocorreu durante sua folga e que não condiz com sua conduta profissional, que é elogiável". O comando da corporação deixou claro "que não compactua com tal atitude e tomará as providências cabíveis no sentido de apurar os fatos e responsabilizá-lo dentro do que a lei determina".