Huse sem remédios nem máquina de radioterapia

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O equipamento de radioterapia do Huse está há oito dias quebrado
O equipamento de radioterapia do Huse está há oito dias quebrado

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 24/01/2019 às 07:06:00

 

Milton Alves Júnior
Usuários do Setor de 
Oncologia do Hospi-
tal de Urgência de Sergipe (Huse), voltam a denunciar a falta de fornecimento dos medicamentos: Aromasin e Carboplatina VP 16, essenciais para o tratamento contra o câncer. Conforme denúncias apresentadas por representantes do Grupo Mulheres de Peito, desde o final do ano passado a Secretaria de Estado da Saúde (SES) se depara com problemas administrativos ao ponto de não conseguir restabelecer o estoque dos medicamentos e, assim, repassar aos pacientes de acordo com as respectivas necessidades clínicas comprovadas pelos médicos do próprio Huse. O grupo diz que mais de 50 usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) se deparam diariamente com a situação.
Ao JORNAL DO DIA o grupo declarou ainda que uma das máquinas de radioterapia do Huse segue danificada desde a quarta-feira da semana passada (16), e essa pane operacional tem prejudicado o tratamento dos contribuintes acolhidos na maior unidade pública do Estado de Sergipe. O Huse possui hoje duas máquinas, sendo a danificada a mais antiga. Para Sheila Galba, representante do Grupo Mulheres de Peito, é de fundamental importância que os gestores públicos estaduais se reúnam a fim de solucionar o problema em caráter de urgência. Galba não descarta a possibilidade de realizar novos atos públicos com o objetivo de chamar a atenção dos órgãos de fiscalização.
 "É triste a gente continuar se deparando com esse descaso contínuo da Oncologia. No momento em que as pessoas mais precisam, dependem de assistência sem paralisações para que possam vencer a doença, acabam voltando para casa sem remédio e sem sessões de radioterapia. Essa questão da máquina é recorrente e mesmo assim parece não existir nenhuma solução definitiva", declarou. Sobre os danos à saúde dos pacientes sem assistência, Sheila Galba informou que para cada dia de assistência interrompida, cresce em 3% a possibilidade de o tumor retornar. Ainda de acordo com a denunciante, essas ações negativas se abrangem quando o tumor ainda não foi completamente combatido.
 "Essa porcentagem de três é muito alta para quem segue lutando contra uma doença como o câncer que no ano passado matou milhares de pessoas no Brasil. Isso se complica ainda mais quando alguns pacientes deixam de receber as sessões e ainda estão com o tumor no corpo. Temos casos de sergipanos dependentes do SUS enfrentando uma dessas duas situações e por isso estamos na luta para que o sistema seja restabelecido o mais rápido possível", concluiu. 
O Governo do Estado de Sergipe informou que 30 empresas responsáveis por fornecer medicamentos já foram notificadas em virtude do atraso no repasse dos produtos. Desse total, 22 são grupos empresariais responsáveis por comercializar medicamentos oncológicos.
Máquina - No que se refere à máquina de radioterapia danificada há uma semana, a Secretaria de Estado da Saúde garantiu que um técnico especializado na manutenção do aparelho está em Sergipe dedicado ao conserto. Enquanto o reparo não é concluído, a direção da SES informou que a máquina comprada no início do ano passado seguem atendendo a demanda. Além dessa máquina, a pasta da saúde estadual destacou ainda que o SUS / Sergipe possui um convênio com uma clínica particular a qual contribui para que nenhum paciente fique sem o devido atendimento. A perspectiva é que ainda essa semana o aparelho passe por avaliações técnicas e posteriormente seja disponibilizado ao púbico externo.

Milton Alves Júnior

Usuários do Setor de  Oncologia do Hospi- tal de Urgência de Sergipe (Huse), voltam a denunciar a falta de fornecimento dos medicamentos: Aromasin e Carboplatina VP 16, essenciais para o tratamento contra o câncer. Conforme denúncias apresentadas por representantes do Grupo Mulheres de Peito, desde o final do ano passado a Secretaria de Estado da Saúde (SES) se depara com problemas administrativos ao ponto de não conseguir restabelecer o estoque dos medicamentos e, assim, repassar aos pacientes de acordo com as respectivas necessidades clínicas comprovadas pelos médicos do próprio Huse. O grupo diz que mais de 50 usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) se deparam diariamente com a situação.
Ao JORNAL DO DIA o grupo declarou ainda que uma das máquinas de radioterapia do Huse segue danificada desde a quarta-feira da semana passada (16), e essa pane operacional tem prejudicado o tratamento dos contribuintes acolhidos na maior unidade pública do Estado de Sergipe. O Huse possui hoje duas máquinas, sendo a danificada a mais antiga. Para Sheila Galba, representante do Grupo Mulheres de Peito, é de fundamental importância que os gestores públicos estaduais se reúnam a fim de solucionar o problema em caráter de urgência. Galba não descarta a possibilidade de realizar novos atos públicos com o objetivo de chamar a atenção dos órgãos de fiscalização.
 "É triste a gente continuar se deparando com esse descaso contínuo da Oncologia. No momento em que as pessoas mais precisam, dependem de assistência sem paralisações para que possam vencer a doença, acabam voltando para casa sem remédio e sem sessões de radioterapia. Essa questão da máquina é recorrente e mesmo assim parece não existir nenhuma solução definitiva", declarou. Sobre os danos à saúde dos pacientes sem assistência, Sheila Galba informou que para cada dia de assistência interrompida, cresce em 3% a possibilidade de o tumor retornar. Ainda de acordo com a denunciante, essas ações negativas se abrangem quando o tumor ainda não foi completamente combatido.
 "Essa porcentagem de três é muito alta para quem segue lutando contra uma doença como o câncer que no ano passado matou milhares de pessoas no Brasil. Isso se complica ainda mais quando alguns pacientes deixam de receber as sessões e ainda estão com o tumor no corpo. Temos casos de sergipanos dependentes do SUS enfrentando uma dessas duas situações e por isso estamos na luta para que o sistema seja restabelecido o mais rápido possível", concluiu. 
O Governo do Estado de Sergipe informou que 30 empresas responsáveis por fornecer medicamentos já foram notificadas em virtude do atraso no repasse dos produtos. Desse total, 22 são grupos empresariais responsáveis por comercializar medicamentos oncológicos.

Máquina - No que se refere à máquina de radioterapia danificada há uma semana, a Secretaria de Estado da Saúde garantiu que um técnico especializado na manutenção do aparelho está em Sergipe dedicado ao conserto. Enquanto o reparo não é concluído, a direção da SES informou que a máquina comprada no início do ano passado seguem atendendo a demanda. Além dessa máquina, a pasta da saúde estadual destacou ainda que o SUS / Sergipe possui um convênio com uma clínica particular a qual contribui para que nenhum paciente fique sem o devido atendimento. A perspectiva é que ainda essa semana o aparelho passe por avaliações técnicas e posteriormente seja disponibilizado ao púbico externo.